Rogério decide se fica, na sexta

De acordo com o presidente do Fortaleza, Marcelo Paz, o técnico Rogério Ceni deverá responder em Curitiba, se permanecerá ou não no cargo para as disputas da Série A do Campeonato Brasileiro.

O presidente do Leão não quis antecipar nada, em termos percentuais para a permanência do treinador, mas considerou que existem grandes possibilidades de que isso ocorra. Rogério, no entanto, tem uma lista de solicitações para que renove seu vínculo, as quais passam por melhorias estruturais tanto do Estádio Alcides Santos quanto do CT Ribamar Bezerra, bem como a formação de um time competitivo para 2019.

“Há possibilidades de o Rogério renovar contrato conosco, mas temos que conversar com calma, nesse jogo de encerramento da Série B”, disse o presidente do Leão.

Sonho real

Marcelo Paz advertiu à torcida que o Fortaleza entrará numa competição de alto nível e que é preciso compreender a maneira de disputa: “Não adianta vender para o torcedor um sonho maior. O Fortaleza não vai fazer na Série A o que fez na B. Vamos vender para a torcida um sonho real. Quando a gente passa a verdade para o torcedor, ele compra a ideia e nos apoia naquele objetivo”, disse Paz, que falou ainda em montar um time competitivo.

Com informações: Diário do Nordeste

Após 29 anos como comentarista, Arnaldo Cezar Coelho faz despedida em amistoso do Brasil

A parceria ao lado de Galvão Bueno durou 29 anos, com direito a bordão (“Pode isso, Arnaldo?”) conhecido por torcedores de diversos lugares do Brasil. Durante a trajetória na televisão, Arnaldo Cezar Coelho se tornou referência. O fim do amistoso entre Brasil e Camarões, nesta terça-feira (20), às 16h30 (horário local), marcará também o final da carreira do ex-árbitro como comentarista da Rede Globo. Em entrevista, ele comenta o fim do ciclo.

“A vida tem etapas e objetivos. Quando parei de apitar e fui ser comentarista, era um projeto novo, um frescor. Fiquei por 29 anos e cheguei a um momento que não tenho mais meta. Então, antes que eu me torne uma pessoa relaxada na função, é hora de sair de cena”, comenta.

Na vitória da França sobre a Croácia por 4 a 2, no final da Copa do Mundo, Arnaldo pegou todos de surpresa ao anunciar a decisão de encerrar a carreira como comentarista. O plano do ex-árbitro é se dedicar à família, aos negócios e a novos projetos, deixando de lado a cansativa rotina de viagens.

Ainda em 2018, Arnaldo participou de transmissões em jogos da Copa do Brasil. O comentarista tem contrato com a emissora até dezembro, com prorrogação por mais um, mas preferiu encerrar o acordo e se dedicar a outros projetos.

“Pretendo dar palestras, posso ter a oportunidade de fazer publicidade… Mas a intenção imediata é viajar, tirar férias” avisa.

Carreira

Arnaldo estreou na Globo em 1989. Com Galvão, cobriu oito Copas do Mundo: na Itália (1990), nos Estados Unidos (1994), na França (1998), na Coreia do Sul e Japão (2002), na Alemanha (2006), na África do Sul (2010), no Brasil (2014) e na Rússia (2018). Hoje relembra o momento mais marcante da carreira como comentarista.

“A final da Copa de 94. Quando Baggio perdeu o pênalti, a gente pulava tanto… Eu agarrei o Galvão, numa gravata, e ele gritava ‘é tetra’”, abraçado ao Pelé, faltando ar (risos)”, finaliza.

Com informações: Diário do Nordeste

Caucaia: Cumbuco sedia etapa brasileira do Mundial de Kitesurf

Começou nesta segunda-feira (19) na praia do Cumbuco, a etapa brasileira do Circuito Mundial de Kitesurf 2018 (World Kitesurfing Championship 2018 – WKC). Essa será a terceira vez (a segunda consecutiva) que a praia sediará as provas, que seguem até 25 de novembro no complexo Duro Beach.

O campeonato vai reunir os 30 melhores atletas do mundo e consolidar Caucaia como capital brasileira do kite, como um dos melhores locais do mundo para a prática do esporte e destino turístico internacional. A iniciativa tem apoio da Prefeitura de Caucaia, através da Secretaria Municipal de Esporte e Juventude (Sejuv) e da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura (SetCult).

Serão realizadas em paralelo à competição atividades socioculturais para o público. A programação inclui mostras de danças e de artistas, apresentações locais que valorizam a cultura do município. Acontecerão ainda oficinas e sessões de autógrafos de camisetas.

Serviço
SUPER KITE BRASIL 2018
Quando: de 19 a 25 de novembro
Onde: Duro Beach Hotel & Kite Center, localizado à rua Beatriz Corrêa, 64, no Cumbuco.

 

Com informações: ASCOM da Prefeitura de Caucaia

Goleada de campeão

Agora sim, o torcedor tricolor pode dizer que a festa está completa. Centenário, acesso para a elite do Brasileirão e título da Série B. Só faltava o troféu de campeão, levantado na noite de ontem. A entrega ocorreu em grande estilo, após o Fortaleza vencer com tranquilidade o Juventude por 4 a 1 (Gols de Marlon (2) e Gustavo (2) para o Fortaleza, enquanto Hugo Sanchez descontou para o Juventude) e diante de mais de 57 mil torcedores na Arena Castelão, no jogo que marcou ainda a despedida oficial do Leão diante da torcida nesta temporada.

Com o resultado o  Fortaleza chegou aos 71 pontos na Série B e encerrará sua participação contra o Coritiba, na próxima sexta, às 18h15min, no estádio Couto Pereira, em Curitiba.

Após o fim do jogo, o palco da festa foi montado no gramado para o momento mais esperado da noite: a entrega do troféu, erguido pelo capitão Marcelo Boeck. Sem invadir o campo, o torcedor ficou no estádio para celebrar com os jogadores, com a tradicional volta olímpica.

Times

Fortaleza 4-2-3-1: Marcelo Boeck, Tinga, Jussani, Ligger, Bruno Melo; Felipe, Nenê Bonilha (Éderson); Marlon, Dodô (Rodolfo), Marcinho (Romarinho); Gustavo. Técnico: Rogério Ceni

Juventude 4-3-3: Douglas Silva; Vidal, Wagner, Neuton e Esquerdinha; Felipe Mattioni (Felipe Lima), Diones e Leandro Lima (Choco); Denner, Hugo Sanchez, Douglas Kemmer (Amaral) e Dener. Técnico: Luiz Carlos Winck

Local: Castelão, em Fortaleza-CE

Data: 15/11/2018

Árbitro: Rodrigo Batista Raposo/DF Assistentes: José Reinaldo Júnior/DF e Luciano Benevides de Sousa/DF

Cartões amarelos: Diones, Vidal e Neuton (J)

Público: 57.223 pagantes

Renda: R$ 1.249.237

Gols: Hugo Sanchez aos 8 do 1º tempo (J); Marlon aos 9 do 1º T e aos 44 do 2 T; Gustavo aos 21 e aos 33 do 1ºT (F).

Ceni diz que emoção é maior em ser campeão como técnico

Após a partida, o técnico Rogério Ceni admitiu ter uma emoção maior sendo campeão como treinador do que jogador, e fez questão de exaltar a torcida do Tricolor.

“A emoção é a mesma de quando eu fui campeão brasileiro como atleta. Aliás, até maior, porque você consegue botar o teu trabalho em prática e ver o sucesso final. Eu acho que é muito do talento do jogador, da cabeça boa de cada atleta. Eles são os grandes astros do espetáculo”, disse o treinador.

A diretoria do clube tem a intenção de continuar com Ceni para a Série A no ano que vem. No entanto, o comandante ainda não se manifestou sobre a sua decisão. O ex-goleiro teme que não consiga dar as mesmas alegrias que deu este ano para a torcida.

“Em 2019, a gente dificilmente consegue entregar para eles uma festa desse tamanho. É o ano do Centenário. Fechamento do ano com título. E você tem que pesar. Nós deixamos uma história tão bacana. Não conseguir repetir essa história é até certo ponto frustrante. Claro que o objetivo final do Fortaleza deve ser permanecer mais tempo em uma Série A, se estruturar mais, mas às vezes é constrangedor você não ter força para brigar por um título”, afirmou Ceni.

 

Com informações: O Povo

AL: Liberação de bebida em estádios volta ao debate

O bom momento do futebol cearense, com a possível permanência do Ceará na primeira divisão e o título do Fortaleza na Série B, migrando para a elite do Brasileirão, reacendem uma discussão que vem sendo travada nos últimos anos em arquibancadas, ruas e nos parlamentos: a bebida alcoólica deve ou não ser liberada nos estádios de futebol? A possível influência em episódios de violência e experiências positivas em outros estados ou mesmo na Copa do Mundo de 2014, realizada no Brasil, são dois lados de uma moeda polêmica, que, na forma de projeto de lei, está pronta para ser votada no Plenário da Assembleia Legislativa.

O Projeto de Lei 237/15, do deputado estadual Gony Arruda (PP), defende a liberação, no interior dos estádios, da venda e do consumo de bebidas alcoólicas com até 10% de teor alcoólico, como a cerveja. A proposta encontra resistência no próprio Estatuto do Torcedor, lei federal que define, como condições de acesso e permanência nos ambientes esportivos, “não portar objetos, bebidas ou substâncias proibidas ou suscetíveis de gerar ou possibilitar a prática de atos de violência”.

A Federação Cearense de Futebol (FCF) e os dois clubes com maior número de torcedores no Estado, Ceará e Fortaleza, manifestam posicionamento favorável à liberação, enquanto o Ministério Público Estadual (MPE) e o Sindicato dos Médicos do Ceará, por exemplo, criticam a proposta. Já deputados estaduais, que têm a prerrogativa de legislar, se dividem sobre o tema.

Divergências

Depois de um longo caminho desde a apresentação, em outubro de 2015, o projeto de lei foi aprovado na última comissão prevista, a de Orçamento, Finanças e Tributação, no último dia 6 de novembro, e está pronto para entrar na pauta de votação do Legislativo.

Para o deputado Gony Arruda, as comissões representam “um termômetro favorável”. “Não tem porque esse projeto não ter a devida acolhida no plenário”, defende. Ele cita como argumentos a aceitação de torcedores, a venda já “escancarada” de bebidas na informalidade e a liberação vista durante a Copa do Mundo.

Também favorável, o líder do Governo na Assembleia, deputado Evandro Leitão (PDT) diz que o presidente da Casa, Zezinho Albuquerque (PDT), ainda não pautou, mas considera pouco provável o avanço no Legislativo.

Por meio da assessoria da Presidência, Zezinho Albuquerque reafirma que é contra a venda de bebidas nos estádios e que, de fato, não pretende colocar a matéria em votação agora. “Há outras prioridades tramitando na Casa, e por acreditar que este assunto requer um maior de debate, já que alguns deputados também já se manifestaram contra a matéria”, diz em nota.

Entre os parlamentares contrários à proposta está Heitor Ferrer (SD), que percebe na bebida um incentivo à violência. “No momento em que mesmo sem álcool ainda há violência, se amanhã nós liberarmos, vamos sustentar uma barra de já aumentar a violência nos estádios, quebra de cadeiras, agressões entre torcidas. Vamos patrocinar isso? É arriscado”, sustenta.

Neste debate, o coordenador do Núcleo de Desporto e Defesa do Torcedor (Nudtor), do Ministério Público do Estado do Ceará, promotor Edvando França, mantém posição firme no tema. Ele entende que uma lei estadual não pode se sobrepor ao Estatuto do Torcedor, uma lei federal. Diz que há estatísticas e análises de psicólogos e psiquiatras sobre a interferência da bebida no comportamento humano.

Edvando destaca que “há um movimento político” em prol da aprovação da matéria, mas revela que tem visitado gabinetes na Assembleia e manteve conversas com o próprio presidente Zezinho Albuquerque. “As assembleias aprovam na marra e o Ministério Público fica correndo atrás pela inconstitucionalidade nos tribunais”, comenta.

“Aqui, estão querendo aprovar e nós estamos segurando isso como trem desgovernado. Não é fácil a gente, da área jurídica, segurar o Parlamento. O Parlamento é independente. A gente torce para que não façam isso”, completa.

A permissão de venda e consumo de bebida alcoólica durante a Copa do Mundo de 2014, segundo ele, foi uma questão específica, de uma lei temporária apenas durante o evento. “Se aqui liberar, eu vou para o Tribunal de Justiça pedir a suspensão”.

Na mesma corrente está o Sindicato dos Médicos do Ceará. Para o presidente, Edmar Fernandes, o consumo de álcool traz grandes prejuízos à sociedade, sendo um dos principais fatores motivadores de “práticas de atos violentos”.

Clubes

Já dentro das agremiações esportivas, a proposta é vista com bons olhos. O presidente do Ceará Sporting Club, Robinson de Castro, afirma que já existe venda legalizada na porta do estádio. “O que a gente quer é transformar em uma venda oficial, uma venda formal e não uma venda informal, que é como acontece hoje fora do estádio”. Para o dirigente, a mudança poderia evitar tumultos e riscos de acidentes percebidos hoje, com a entrada de última hora dos torcedores que ficam bebendo nas imediações da Arena Castelão, por exemplo.

O presidente do Fortaleza Esporte Clube, Marcelo Paz, consultado sobre o assunto, diz apenas que a “essa pauta é legislativa” e que “não cabe ao clube opinar”, mas o vice-presidente do time, Marcelo Desidério, acredita que é preciso assegurar ao torcedor o direito de consumir cerveja no interior das praças esportivas.

“A gente entende que o consumo da bebida alcoólica dentro do estádio vai facilitar a acessibilidade do torcedor, porque ele vai chegar antes, vai consumir dentro, não fora do estádio. É uma discussão que está madura para ser feita. Ano que vem vamos ter grandes públicos”, ressalta.

Diretor jurídico da Federação Cearense de Futebol, Leandro Vasques manifesta posicionamento favorável, “desde que os excessos sejam modulados”. A ideia, explica ele, é a venda de bebida apenas durante o primeiro tempo e no intervalo da partida, para “desacelerar o torcedor”. O vereador Márcio Martins, com articulação junto às torcidas organizadas no Ceará, afirma que é preciso “parar de hipocrisia”, citando possíveis prejuízos para a Arena Castelão com a restrição vigente.

Com informações: Diário do Nordeste

Garantido nas oitavas de final, Fortaleza abre vaga para Atlético-CE na Copa do Brasil de 2019

Ao conquistar o título da Série B do Campeonato Brasileiro, o Fortaleza assegurou o direito de entrar na Copa do Brasil de 2019 direto na fase de oitavas de final. Diante disso, a vaga que seria do Tricolor do Pici na 1ª fase da competição foi herdada pelo Atlético (ex-Uniclinic), 3º colocado no Campeonato Cearense deste ano, ficando atrás de Leão e Vovô, times com vaga assegurada no torneio nacional.

Assim, o Futebol Cearense terá quatro representantes na Copa do Brasil de 2019: Ceará (campeão cearense), Fortaleza, Ferroviário (campeão da Taça Fares Lopes deste ano) e Atlético. Será a 1ª vez que o Atlético, comandado pelo jogador cearense naturalizado russo Ari, disputará o mais democrático torneio de clubes do futebol brasileiro.

Com a participação total de 91 clubes, a Copa do Brasil de 2019 terá início no dia 6 de fevereiro e tem o seu encerramento programado para o dia 11 de setembro.

 

Com informações: O Povo

Cearense Ari é convocado para a seleção da Rússia

Vídeo incorporado

Arrendador do Atlético Cearense, ex-Uniclinic, Ariclenes da Silva Ferreira, também conhecido como “Arigol”, foi convocado para a Seleção Russa de futebol. Cearense natural de Fortaleza, Ari tem dupla nacionalidade e está atuando no futebol russo desde 2010. No FK Krasnodar desde o início da temporada 2018/2019, o atacante marcou sete gols em 11 jogos e tem quatro assistências.

Com o corte do atacante Artem Dzyuba por lesão, Ari, de 32 anos, recebeu a oportunidade e deve jogar nos jogos contra a Alemanha, em amistoso, e Suécia, na Liga B pela Liga das Nações, certame disputado por seleções da Europa.

O atacante já treinou com o grupo russo de olho no amistoso contra os alemães, na quinta (15).

A Rússia fará amistoso com a Alemanha na próxima quinta-feira (15), às 16h45 (horário da capital cearense), na Red Bull Arena, nos Leipzig (ALE). Na outra terça (20), os russos enfrentam Suécia, às 15h45 (horário cearense), no estádio Friends Arena, pela Liga das Nações, em Estocolmo, na Suécia.

 

Com informações: Diário do Nordeste

De olho na renovação, presidente do Fortaleza quer implantar o ‘Padrão Ceni’ desde as categorias de base do clube

Depois de cumprir e bem as suas metas para o fim desta temporada, com a conquista do acesso e dotítulo da Série B, o Fortaleza começa a olhar para 2019. E a diretoria do clube já sabe qual é a primeira e mais desafiadora missão que tem pela frente: lutar pela permanência de Rogério Ceni. Em entrevista nesta terça-feira (13), o presidente tricolor, Marcelo Paz, revelou que um dos trunfos para convencer o treinador a renovar o contrato é a implantação do “Padrão Ceni’ em todas as divisões de base do Leão.

 

“Algo que nós vamos propor a ele é a criação do Padrão Ceni de futebol, que é fazer com que o modelo que ele enxerga no futebol seja implantado desde as categorias de base. Fazer com que o Fortaleza tenha o método de trabalho dele em todas as divisões, para que quando o atleta chegar ao profissional já saiba como o clube trabalha, assim como o Barcelona fez com o Cruyff. Vamos propor isso e no tempo certo vamos conversar para discutir a renovação. Ele (Rogério Ceni) é a nossa prioridade”, cravou Paz.

Outro ponto que será colocado na negociação é o tempo de contrato. “Se ele (Ceni) quiser um contrato com mais tempo, estou disposto a dar. Ele se adaptou bem ao clube. Já sinalizamos o desejo de renovar contrato com ele há mais de um mês, até para acabar com qualquer tipo de especulação. Veremos tudo o que ele tem a dizer, sobre tempo de contrato, condições. Tenho certeza de que o Fortaleza será o primeiro clube que ele vai ouvir”, afirmou.
Rogério Ceni, por sua vez, deixou o futuro em aberto, mas disse em entrevista recente que pensa nisso todas as noites. No último domingo, ao término da carreata da comemoração do título da Série B, no Aterro da Praia de Iracema, a torcida gritou “Fica, Rogério!”.

Com informações: O Povo

Em 2019, a Série A pode ter a presença de até seis clubes nordestinos

A elite do futebol brasileiro pode ter participação recorde de clubes do Nordeste no formato de disputa de pontos corridos, em 2019. O melhor dos cenários aponta para seis equipes nordestinas disputando a próxima edição da Série A, incluindo os dois principais times cearenses, Ceará e Fortaleza.

O recorde de representantes da região em uma única edição da Série A desde a adoção dos pontos corridos, é de quatro. O caso ocorreu justamente neste ano, com as presenças de Ceará, Bahia, Sport-PE e Vitória-BA.

No próximo ano já estão garantidos pelo menos dois nordestinos na Série A. Um deles é o Fortaleza, que carimbou o acesso para a elite do futebol antecipadamente. A outra garantia é devido à confirmação de rebaixamento antecipado do Paraná. Desta forma, só podem cair mais três times, o que assegura que um dos quatro representantes do Nordeste na atual edição da Primeira Divisão permanecerá para o ano que vem.

O melhor dos cenários prevê o acesso do CSA-AL, junto ao Fortaleza, para a Série A e a permanência de Ceará, Bahia, Sport e Vitória. Entretanto, esta é uma projeção improvável. A maior probabilidade é de o recorde ser batido com a participação de cinco nordestinos.

Na atual Série A, o Vitória é o segundo clube com a maior chance de rebaixamento, com mais de 72%, após a confirmação da descida do Paraná. América-MG e Chapecoense-SC, das regiões Sudeste e Sul, fecham o Z-4 com as probabilidades mais altas de descenso, com 89,3%% e 64,1%. Os dados estatísticos são do Departamento de Matemática da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

Na briga contra o rebaixamento, mas com condições mais favoráveis, estão Ceará, Bahia e Sport. Do trio, os pernambucanos possuem a chance de queda mais elevada, com 29,3%, porém, é menos do que a metade da apresentada pela Chapecoense, conforme os dados da UFMG. O tricolor baiano tem chances remotas de cair, com 1,2%, enquanto os cearenses possuem 13,6%.

Os dados da Série A foram colhidos antes do término de Santos x Chapecoense.

O CSA deve carimbar o acesso nas próximas rodadas. Vice-líder da Série B, atrás apenas do Fortaleza, os alagoanos têm mais de 92% de chances de subida, faltando duas rodadas para o fim da competição.

Fernando Ferreira, sócio-diretor da Pluri Consultoria, empresa referência em pesquisas sobre o futebol, atribui o cenário positivo à evolução na gestão dos clubes nordestinos. O Fortaleza e o Bahia, ressalta o especialista, são os grandes destaques da região atualmente. “Isso está se refletindo dentro de campo. O Fortaleza fez uma campanha em campo como os principais clubes brasileiros fazem quando jogam a Série B. É fruto de gestão”, analisou.

Segundo o consultor, clubes de médio porte têm sido mais ágeis e eficientes na busca por inovação e melhorias do que os maiores do País. Para Fernando, se as equipes seguirem nessa linha de gestão, elas tendem a se consolidar, principalmente as marcas mais fortes do Nordeste: Ceará, Bahia e Pernambuco. “Para o Brasileirão é muito bom, porque são clubes de apelo popular, que enchem estádios e movimentam cidades. Acho que ano que vem tem chance de ter a maior média de público do futebol brasileiro nos últimos anos”, afirma.

Ouvidos, os presidentes de Ceará e Fortaleza, Robinson de Castro e Marcelo Paz, apontam a logística como um dos fatores positivos da maior presença do Nordeste na Série A, além da própria valorização do futebol da região.

“Valoriza a própria Copa do Nordeste por conta de os clubes estarem dentro do calendário nacional”, diz Robinson. “Isso é ótimo. Fortalece a região do país que tem muito público consumidor, que adora ir aos estádios”, afirma Paz.

 

Com informações: O Povo

Torcida tricolor recebe Fortaleza de Ceni com festa e comemora título com carreata pela capital

As ruas de Fortaleza foram tomadas por um mar branco, azul e vermelho na tarde deste domingo (11). Isso porque jogadores e comissão técnica do Tricolor do Pici desembarcaram na capital cearense às 15h (horário local) e se juntaram à carreata da torcida.

Com ponto de partida no Aeroporto Velho, a comemoração do título de campeão da Série B do Campeonato Brasileiro seguiu até a Avenida Beira-Mar, onde a delegação se apresentou a um jantar, na churrascaria Rascos.
Durante o percurso, muita festa tricolor e carinho da torcida. A delegação foi recebida com fogos e faixas. Centenas de torcedores puderam soltar o grito de campeão junto com a equipe, que faturou a taça em uma partida fora de casa, contra o Avaí. Foram homenageados jogadores que fizeram uma grande campanha com o clube, como Diego Jussani e Gustavo. Ceni desistiu de ir a São Paulo para comemorar em Fortaleza e foi recebido com muito carinho pela torcida.

O Jogo do Título

No último sábado, 10, o Leão venceu o Avaí por 1 a 0 e garantiu o título da Série B. Um feito inédito na história clube – que fez 100 anos no último dia 18 de outubro – e do futebol cearense, que até então só tinha títulos nacionais na Série D, com Ferroviário (2018) e Guarany de Sobral (2010).

O gol da vitória foi marcado no último lance do jogo, aos 49 minutos. Após contra-ataque fatal, Rodolfo recebeu na área, limpou na área e bateu no canto. Com o resultado, o Leão chegou aos 68 pontos, abriu nove pontos do vice-líder CSA, que empatou em 0 a 0 com o Atlético-GO, no estádio Rei Pelé, em Maceió.

Restando mais seis pontos em disputa, o Fortaleza não pode ser mais alcançado e agora jogará diante de sua torcida, na quinta-feira (15), as 17h15min (horário local), contra o Juventude, na Arena Castelão, na partida que marcará a entrega da taça de campeão da Série B.


Com informações: G1 Ceará

Fortaleza se une a Ferroviário e Guarany de Sobral entre cearenses campeões nacionais

O futebol cearense é um dos mais tradicionais do Nordeste e do país, pela representatividade de Ceará, Fortaleza e Ferroviário, com grandes campanhas e médias de público em qualquer divisão, mas ainda com poucos títulos no cenário nacional.

O Fortaleza foi vice-campeão da Taça Brasil em 1960 e 1968 e o Ceará foi 3º colocado da Taça Brasil em 1964 e vice-campeão da Copa do Brasil em 1994, mas o ano de 2018 entrou para a história com dois títulos nacionais. Duas grandes forças locais, Fortaleza e Ferroviário levantaram taças nas Séries B e D, respectivamente, coroando suas temporadas, já gloriosas com acessos. Foram as duas primeiras taças nacionais entre times da capital, se juntando ao título nacional do Guarany de Sobral na Série D em 2010.

As trajetórias de Fortaleza e Ferroviário nos torneios nacionais em 2018 são exemplos de superação após anos de dificuldades. Enquanto o Tricolor de Aço amargou 8 anos seguidos de Série C (2010/2017) e conquistou o acesso para a Série A com uma campanha histórica, integrando o G4 por todas as rodadas, o Ferroviário, renasceu no cenário local e nacional ao chegar na final do Cearense em 2017 – o clube só jogou o certame após a desistência do Alto Santo – garantindo vaga na Série D do ano seguinte e se sagrando campeão em agosto batendo o Treze/PB.

 

Com informações: Diário do Nordeste