Camilo promete formação de policiais de “alta performance” para combater facções no Ceará

Candidato à reeleição, o governador do Ceará Camilo Santana (PT) promete criar tropa de policiais civis e militares de “alta performance” para o enfrentamento das facções criminosas no Estado.

A proposta é parte do conjunto de diretrizes apresentado pelo petista ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no ato de registro de sua candidatura, nesta segunda-feira.

O documento, anexado ao cadastro do postulante como “Propostas”, reúne tópicos que vão subsidiar a elaboração do plano de governo para um eventual novo mandato.

Dividido em eixos temáticos sob o título de “Estado criativo, inovador e transformador”, ele agrupa ideias de aperfeiçoamento de políticas já implementadas pelo Executivo, mas também ações que representam novidade.

É o caso da proposta de número 11 do eixo “Ceará Pacífico”, mesmo nome do programa já executado pelo Governo Estadual.

Nela, o documento da chapa governista apresenta a linha geral da medida específica para a área da segurança: “Formação de policiais militares e civis de alta performance para atuar de forma estratégica no combate ao crime organizado, em especial ao tráfico de drogas e às facções criminosas”.

De acordo com o texto de abertura do programa de Camilo, esse documento, parte fundamental da formatação do plano de governo, “irá nortear, de forma responsável e transparente, o desenvolvimento do Ceará nos próximos quatro anos”.

“Daí a importância de diretrizes respaldadas na compreensão dos desafios a serem enfrentados por nosso Estado”, informa.

Defendida por Camilo, a proposta é um trunfo do governador em meio a índices de violência que, mesmo em queda nos últimos meses, ainda impõem desafio imenso ao gestor e desgaste certo durante a disputa eleitoral como fator a ser explorado pelos adversários.

Na corrida ao Abolição, o principal oponente do governador é o candidato tucano General Theophilo, que, aliado ao deputado estadual Capitão Wagner (Pros), tem explorado o tema da segurança em suas críticas a Camilo.

A proposta de aperfeiçoamento da formação do policiamento, direcionando parte da tropa para o combate às facções criminosas, é também uma resposta do governador às últimas chacinas no Ceará. Apenas em 2018, foram seis chacinas e 44 mortos no Estado.

A dois dias do fim do prazo legal, apenas três dos seis candidatos ao Governo do Estado haviam se registrado no TSE: além de Camilo e Theophilo, o advogado e professor universitário Hélio Gois, do PSL.

Dos três postulantes, só o tucano ainda não apresentou um conjunto de propostas junto com os dados de patrimônio.

Aliado do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no Ceará, Gois dividiu seu programa de governo em cinco capítulos.

 

Com informações: Blog de Política O Povo

Número de homicídios no Ceará cai em julho; primeiros sete meses de 2018 têm 2.758 assassinatos

O número de homicídios em julho no Ceará caiu 20,3% se comparado com igual mês de 2017. Foram 378 assassinatos em julho deste ano e 474 em julho de 2017, conforme números divulgados nesta quarta-feira (8) pela secretaria da Segurança Pública. É o quarto mês consecutivo que o estado apresenta redução de homicídios.

Comparando com julho do ano passado, a queda foi registrada em todas as regiões: capital, Região Metropolitana de Fortaleza, interior Norte e Sul.

Os primeiros sete meses do ano acumulam 2.758 assassinados, 0,5% a menos que no mesmo período de 2017 (2.773), ano em que o Ceará terminou com um recorde de violência.

Houve redução dos crimes de roubo a pessoa, roubo de carga, a residência, de veículo e a banco, e nos furtos.

  • Roubo a pessoas: ocorreram 4.515 em julho de 2018, contra 5.673 em julho de 2017
  • Roubo de carga, residência, veículo e banco: foram 810 em julho de 2018, contra 1.105 em julho de 2017
  • Furto, são 5.067 casos em julho de 2018, contra 5.557 em julho de 2017

“O mês de julho, tradicionalmente, é um mês em que a gente têm dificuldades na redução dos assaltos, muito fluxo turístico, férias, mas ainda assim houve uma redução forte. São vários dados positivos, fruto de um esforço da secretaria e do governo, através dos investimentos que foram realizados, diferentes do que a gente vê no resto do país, investimentos focados em tecnologia para apoiar as investigações, a inteligência e as ações de campo”, comentou o secretário de Segurança do Ceará, André Costa.

Capital e interior

Em Fortaleza, o decréscimo de crimes em julho foi de 29,3%, com 130 mortes em 2018, contra 184 em 2017. Na Região Metropolitana, a redução foi de 23% (104 casos em 2018/ 135 em 2017).

Já no acúmulo de casos de janeiro a julho, houve aumento de crimes na Região Metropolitana, com 766 casos em 2018 contra 681 no ano passado, e no Norte do estado, com 586 crimes registrados este ano, contra 470 registrados em 2017.

Investimento

De acordo com o secretário, o investimento em tecnologias para trabalhar a serviço da polícia no estado e o estudo da segurança pública têm contribuído para a redução dos números.

“A gente tá tratando a segurança pública no Estado do Ceará como uma ciência. O primeiro Big Data da segurança pública do país está sendo construído aqui no Ceará, que é um painel analítico, com tecnologia de inteligência artificial”, frisou.

A ampliação do videomonitoramento também é um dos elementos que reflete na redução dos crimes, defende o secretário. “Hoje tem mais de 2 mil câmeras de videomonitoramento, até o final do ano vão ser mais de 3.200, sendo 2.500 só em Fortaleza. Câmeras que podem detectar a presença de veículos roubados e pessoas com antecedentes criminais nas ruas. Nos próximos anos isso vai ser modelo pro restante do país”, destacou o secretário.

Estudos sobre a motivação dos homicídios também estão entre as medidas recentes da secretaria de Segurança. “A gente entrevistou familiares das pessoas que foram mortas, no caso, em Fortaleza, e estamos concluindo o estudo da Região Metropolitana. Ficou demonstrado que cerca de 85% dessas mortes em Fortaleza são de pessoas que tinham algum histórico com drogas, ou eram traficantes ou usuários. Isso é importante pro estado saber que precisa ter investimentos na prevenção ao uso de drogas.”

Mulheres no crime

Sobre o aumento da participação de mulheres no crime, o secretário comenta os dados de 2017, que revelam um aumento de 30% no número de prisões, no entanto, se analisados os mesmos dados em relação somente às mulheres, o aumento chega a 70%.

“Infelizmente a gente tem visto mais mulheres se envolvendo com o crime e com o tráfico de drogas, e isso tem sido realmente o maior motivador de mortes envolvendo mulheres”, disse.

Os dados da Secretaria de Segurança não incluem assassinatos ocorridos dentro de presídios nem mortes em decorrência de ação policial.

Ataques criminosos

No fim de julho, o Ceará registrou a segunda onda de ataques a ônibus e equipamentos públicos e privados do ano. As ações, ocorridas em março e julho, foram represálias de facções criminosas, de acordo com órgãos e entidades que participam ou acompanham as investigações.

Nas duas sequências de ataques do ano, o modo de atuação foi semelhante. Especialistas afirmam que a situação se agravou em 2015 com uma reconfiguração dos quatro grupos criminosos que atuam no estado.

Sobre o trabalho de investigação da polícia em relação aos últimos casos, o secretário afirmou que os responsáveis estão sendo presos. A secretaria da Segurança efetuou nove prisões em julho relativas aos ataques. De acordo com o órgão, quatro dos presos também são investigados por ataques anteriores.

Com informações: G1 Ceará

Combate às facções: “O principal é bloquear as finanças”, diz delegado

A discussão em torno da onda de violência que tem tomado o estado do Ceará é pautada, em grande parte, pelo avanço da atuação de facções criminosas. O assunto vem à tona principalmente após ataques como os registrados durante a última semana, quando 16 ônibus e diversos prédios públicos foram danificados. Segundo o titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas (DRFVC) da Polícia Civil, Diego Barreto, a chave para enfrentar esse tipo de ofensiva é atingir essas organizações onde dói mais: no bolso.

“A ideia que construímos é um plano de combate ao crime organizado com objetivo de ir atrás das finanças das facções, dos bens deles, o dinheiro que percorre as contas bancárias daqueles que lavam o dinheiro deles. Enfim, fechar as torneiras que abastecem as facções”, explica. Desse modo, conta, é possível minar a atuação dos membros desses grupos, uma vez que um dos principais fatores que contribuem para seu poder é a força econômica de que dispõem hoje. Isso tem o poder de impedir que esses grupos tenham acesso às drogas e armas de que dispõem hoje em dia, que em grande parte vêm de fora do País.

A partir disso, a ideia é usar as reservas financeiras das organizações contra elas próprias, por meio da criação de um fundo de combate ao crime organizado. Com o fundo, os bens e finanças são penhorados e a quantia resultante é direcionada às forças policiais, de modo a treinar os agentes e investir em compra e desenvolvimento de tecnologia de ponta.
Diego menciona como exemplo o caso do Rio Grande do Sul, que em 2017 bloqueou 67,5 milhões – equivalente a metade do orçamento anual das forças policiais daquele estado. Em Goiás, uma iniciativa semelhante já foi aprovada na Assembleia Legislativa, com um balanço dos resultados obtidos ao longo de 2018, devendo ser apresentado no mês de dezembro.
A estratégia, defende, deve ser posta em prática em paralelo a um esforço por bloquear a comunicação dos membros das facções que estão dentro dos presídios – com aparelhos bloqueadores de sinal de celular, o que tem sido discutido pelo poder público e setores da sociedade nos últimos meses. Ele lembra, no entanto, que isso por si só não será capaz de enfraquecer o crime organizado, que, muitas vezes, encontra outros meios para trocar informações: “Exemplo disso são os presídios federais, onde os presos são isolados, não têm telefone dentro, mas eles não deixam de dar ordem de lá”.
As facções, explica Diego Barreto, surgiram no início da década de 1990, como forma de os criminosos se organizarem dentro dos presídios, até que eles perceberam que isso poderia passar a gerar lucro. A partir daquele momento, passaram a se organizar de modo mais contundente, inclusive no Ceará.

Prisões
Diego defende que é preciso enfrentar o crime com muito trabalho de inteligência da polícia, e que no Ceará isso tem resultado em números positivos: segundo ele, entre 2014 e 2017 um total de 13 dos 16 criminosos mais procurados do Estado foram capturados – além da prisão de um dos chefes do Comando Vermelho, no Rio de Janeiro, ocorrida em território cearense.

O delegado avalia que é preciso, também, que se faça uma modernização de todo o sistema, envolvendo Polícia, sistema carcerário, Poder Judiciário e Ministério Público. Ele destaca, ainda, que as ferramentas do poder público para pulverizar a atuação de grupos criminosos não se limitam a esse universo: “Precisamos dessas instituições com investimento cada vez maior na área social, dar oportunidade aos jovens no esporte, na cultura, para evitar que organizações consigam essa mão de obra barata”, diz ele, lembrando que crianças e adolescentes de 10 a 17 anos são os mais vulneráveis a serem absorvidos pelo mundo do crime.

Diego Barreto já comandou as delegacias municipais de Santana do Acaraú, Acaraú e Itapajé, além da Delegacia Regional de Itapipoca. Atualmente, além de titular da Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos e Cargas, é pré-candidato a deputado estadual pelo PTB.

Com informações: O Estado/Ce

Homem natural de Itapajé desaparece durante viagem de São Paulo a Fortaleza; ajude a encontrá-lo

Carlismar Teixeira Mesquita, de 32 anos, natural de Itapajé, está desaparecido. De acordo com a família, ele morava há 12 anos no Estado de São Paulo e no dia 25 de março embarcou em um ônibus da empresa Guanabara no Terminal Rodoviário do Tietê, na capital paulista, com destino a Fortaleza. Ainda segundo seus familiares, ele deveria fazer contato, via telefone, com sua irmã Karleane Teixeira logo que desembarcasse em Fortaleza, na noite do dia 27. No entanto, desde que deixou a cidade de São Paulo ele não deu mais notícias.

Ao entrar em contato com a empresa Guanabara, a família foi informada de que todos os passageiros na lista de embarque chegaram à Fortaleza. Carlismar ficou viúvo há poucos meses e de acordo com sua irmã, ele ainda não havia superado a perda.

Quem tiver informações que levem ao paradeiro de Carlismar Teixeira Mesquita deve ligar para o telefone (85) 9 92720465, falar com Karleane.

A família está aflita.

Com informações: Mardem Lopes

“O Governo do Ceará é frouxo e não tem coragem”, diz Tasso sobre as facções

Com um discurso de franco-atirador, o PSDB do Ceará lançou ontem a chapa de candidatos para as eleições majoritárias deste ano. Durante a convenção do PSDB, que oficializou o general Guilherme Theophilo (PSDB) candidato ao Governo do Estado, ainda sem vice definido, a principal liderança do partido, o senador Tasso Jereissati (PSDB) fez duro discurso contra o governador Camilo Santana (PT).

“Temos hoje o Estado do Ceará dominado pelas facções criminosas. E não é que elas estejam em toda parte. Elas dominaram o Estado do Ceará. E são mais fortes do que o Governo do Ceará porque o Governo do Ceará é frouxo e não tem coragem”, disparou. A convenção foi realizada no ginásio do colégio Ari de Sá no Centro de Fortaleza.

Na avaliação do senador, há “omissão” e falta da “valentia necessária” para enfrentar as facções. “Governo que tem autoridade não deixa o Estado ficar dominado pelas facções. Tem bairros que você precisa baixar o vidro, pedir a autorização de traficantes para entrar. A questão das chacinas, da queima de ônibus, que acontece e volta a acontecer, e o Governo fica omisso. Se tivesse um governo mais ativo, mais agressivo em relação a isso, com certeza, as circunstâncias seriam diferentes”, criticou.

Os ataques, contudo, não ficaram somente na segurança. Tasso também acusou o governador Camilo Santana de oferecer vantagens em troca de apoio eleitoral, chamando de “armação” as articulações realizadas pelo Palácio Iracema, anulando a oposição e culminando em um “fato inédito” na história do Ceará.

“Estamos numa situação tal de negociação de acordos que não era para ter dois lados. Era para ter um lado só. Usam o poder de uma maneira deslavada. A máquina do Governo Estadual, a máquina do Governo Federal, para cooptar, trazer para um lado só, o lado do Governo, todos os políticos, praticamente todos. Todos os partidos políticos, de maneira que não houvesse competição e democracia”, disparou.

Por causa dos acertos, conforme o senador, restaram somente “três ou quatro prefeitos” no Interior do Estado que apoiarão a chapa PSDB-Pros. Ele afirma, contudo, que isso não será problema, pois coligação tem “candidatos do povo e não dos políticos”. Segundo ele, será uma luta entre Davi e Golias.

“Felizmente, tiveram alguns que resistiram. Estamos para enfrentar, talvez, o grupo mais poderoso que já se fez aqui no Estado do Ceará. 24 partidos estão do lado de lá. A máquina do Governo do Estado e os recursos, captando, dando cargos, dando lugares, dando verbas”, insistiu. “É muita vantagem que o Governo dá. O Governo usa recurso público. Nós não temos recursos públicos. E, se tivéssemos, não íamos usar porque não é ético fazer isso”, emendou.

Tasso encerrou o discurso com uma convocação, recordando o ano em que foi eleito governador pela primeira vez, e afirmando que, se eleito, Theophilo acabará com o problema das facções e da mentalidade política da troca de cargos por favores e do poder pelo poder.

“Cearense, é hora de fazer como em 86. Levantar a cabeça e dizer: nós somos um Estado. Esse Estado tem uma história. Nós não vamos aceitar isso. Isso não é normal! Isso não é natural! vamos enfrentar isso. Vamos acabar com isso! (…) Deus nos iluminou e nos trouxe alguém que tem coragem para enfrentar o Governo Temer e o Governo Camilo. Esse é o cara! O general que vai botar moral”, concluiu.

Bastidores

O evento teve início com a exibição de vídeo enviado pelo candidato tucano à Presidência, Geraldo Alckmin, que se dirigiu ao general como “boa semente que cairá em terra fértil”.

No mural onde foi exibido o vídeo de Alckmin, um cronômetro foi iniciado, marcando 69 dias para o início da “renovação” e o “fim da corrupção”.

Candidato a deputado federal, Capitão Wagner (Pros) voltou a afirmar que “o cearense está cansado da velha política” e que a chapa representa a renovação.

Wagner ensaiou ainda um grito de “eu vim de graça”, insinuando ser paga a militância dos outros partidos, mas obteve silêncio de boa parte dos jovens que agitavam bandeiras no meio do ginásio.

A médica Mayra Pinheiro afirmou que a chapa apresentada é diferente de tudo que já foi visto no Ceará. “É formada por pessoas que não precisam da política de vida, mas escolheram a política como missão”.

O acesso do Fortaleza à Série B do Campeonato Brasileiro foi citado por Tasso Jeresissati como um dos atributos de Luís Eduardo Girão (Pros). “Até quem torce pelo Ceará sabe que foi ele quem salvou o Fortaleza”, brincou.

Na plateia, havia um grupo uniformizado de militantes do MBL, o Movimento Brasil Livre.

Com informações: O Povo

 

Nova onda de ataques a equipamentos públicos atinge Grande Fortaleza

Em pouco mais de 72 horas, 24 ataques contra ônibus, prédios públicos e instituições financeiras foram registrados na Grande Fortaleza. As ações, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram em represália à morte de três suspeitos de envolvimento em assaltos a ônibus e carros-forte na quinta-feira, 26, em Amontada, a 168 Km de Fortaleza.
Motivação
Francisco Adriano Martins da Silva, 33, conhecido como Macumbeiro, Francinei Nobre da Silva, 46, o Gangão, e José Sílvio dos Santos Vieira , 39, mortos na quinta-feira, 26, estavam foragidos e com mandados de prisão em aberto. “Os envolvidos na ocorrência (em Amontada) eram pessoas com largos antecedentes criminais, uma história longa no crime, tinham uma certa posição de chefia ligada a um grupo criminoso aqui no Ceará”, explicou o secretário André Costa.
Modus operandi
As retaliações ocorrem principalmente durante a noite. Grupos de jovens param os coletivos, ordenam que os passageiros abandonem o veículo enquanto despejam combustível e iniciam o incêndio. Nos atentados aos prédios, os criminosos disparam contra a fachada dos locais e fogem logo em seguida. Até a noite de domingo, 29, a SSPDS contabilizada 22 casos. Nesta segunda-feira, 30, mais dois registros: uma granada foi deixada na porta do 28º Distrito Policial, em Maracanaú. Durante a madrugada, um coquetel molotov foi jogado contra o Batalhão Policial Militar Ambiental (BMPA), localizada na avenida Raul Babrbosa, atingindo um veículo da unidade.
Ataques
Na sexta-feira, 27, além de nove coletivos atacados, houve disparos de armas de fogo contra a agência dos Correios, no bairro Jacarecanga, prédio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), no São Gerardo, na sede da Secretaria Municipal de Segurança Cidadã, no Vila União. Também houve ataques contra a Regional IV, na Serrinha, e uma agência bancária, no Carlito Pamplona.
Sábado
Já no sábado, 28, três veículos foram incendiados nos bairros Passaré, Carlito Pamplona e Cristo Redentor. Uma agência do banco Itaú, na av. Washington Soares, a Delegacia de Chorozinho e a sede da Pefoce também sofreram ataques.
Domingo
No domingo, 29, um ônibus foi incendiado e alvejado no KM 23, na localidade de Boqueirão, em Caucaia. No bairro Bonsucesso, em Fortaleza, a SSPDS confirmou outra ação contra um coletivo, totalizando 14 ônibus depredados pelos bandidos.
Prisões
Até agora, dez suspeitos foram presos. Gean Patrick Aguiar Lima, 19, foi capturado na tarde de sábado com um galão de gasolina, no Bairro Vila Ellery. Oderison dos Anjos Oliveira, 19, foi preso ao infringir o perímetro permitido pelo uso de tornozeleira eletrônica, na Sapiranga. Pedro Henrique Mesquita de Sousa, 27, foi apreendido no Cristo Redentor,com uma arma de fogo calibre 12 de fabricação artesanal. Os outros sete suspeitos ouvidos não foram presos por falta de “elementos para flagrante” mas continuam sob investigação.
Com informações: O Povo

Nove ônibus são incendiados e prédios públicos alvejados a tiros em Fortaleza

Enquanto as atenções de parte de Fortaleza estão voltadas para eventos artísticos, musicais e religiosos, na noite desta sexta-feira, 27, ações criminosas  ocorrem em diferentes bairros da cidade. Ao todo, nove ônibus foram incendiados e prédios públicos alvejados a tiro. O jornal O POVO apurou que as ações criminosas são em retaliação ao confronto entre policiais e criminosos, em Amontada, no interior do Ceará, nessa quinta-feira, 26.
Na Sapiranga, três veículos foram incendiados entre às 16h30min e às 18 horas. Testemunhas contaram que, na rua Evilázio Almeida Miranda, homens invadiram um ônibus e arremessaram um pneu em chamas, que logo consumiu todo o automóvel, que estava estacionado, sem pessoas dentro.
A poucos metros dali, na estreita rua Olyntho Arruda, próximo à Lagoa do Coité outro ônibus foi incendiado por criminosos, os quais o pararam, com ordens de que passageiros descessem. Na rua Olegário Memória, a equipe de reportagem encontrou o terceiro veículo sendo rebocado.
No local estava uma equipe móvel da Polícia Militar, com sete agentes. Um deles, sem se identificar, informou que o provável motivo das ações criminosas, ligadas à facções, é de retaliação à troca de tiros entre policiais e criminosos, em Amontada, nessa quinta. Na ocasião, três suspeitos de integrar organização criminosa foram mortos, entre eles um dos líderes.
De acordo com a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ônibus foram incendiados nos bairros: Parque São José; Parque Dois Irmãos; Bela Vista; e Parque Estrela, em Horizonte.
Informações dão conta de que houve ações ainda na avenida Bernardo Manuel e na rua Urucutuba, no Bom Jardim, totalizando nove ataques.
Segundo a SSPDS, tentativas de incêndio a ônibus foram frustadas na avenida Maestro Lisboa e nos bairros Álvaro Weyne e Jacarecanga.
Na Serrinha, a Regional IV da prefeitura foi alvejada a tiros. De acordo com vigilantes, seis disparos foram efetuados e dois coquetéis molotov arremessados contra o prédio. Os agentes, no entanto, contiveram as chamas.
A Secretaria Municipal de Segurança Cidadã (Sesec), no Vila União, assim como uma agência dos Correios e da Caixa Econômica Federal, na avenida Francisco Sá, também foram alvos de tiros.
Com informações: O Povo

PF cumpre mandados na segunda fase da Operação Vereda

A segunda fase da Operação Vereda está sendo deflagrada, nesta sexta-feira, pela Polícia Federal. A investigação teve por objetivo desarticular organização criminosa formada por policiais civis lotados na Divisão de Combate ao Tráfico de Drogas (DCTD) do Ceará. Segundo a assessoria de imprensa da PF, foram cumpridos 16 mandados de prisão preventiva, dois mandados de busca e apreensão e quatro ordens de afastamento das funções. Os mandados judiciais foram expedidos pela 32ª Vara Federal Criminal da Seção Judiciária do Ceará após a conclusão do inquérito policial e recebimento da denúncia.

Foram mobilizados 50 policiais federais para o cumprimento dos mandados em Fortaleza e Caucaia (RMF) e Belém (PA). A execução das medidas contou ainda com a participação de policiais da Controladoria-Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública (CGD).

A investigação teve início a partir de apuração sobre a comercialização ilegal de anabolizantes provenientes da Europa, elucidando a participação dos policiais civis em extorsões praticadas contra o principal investigado, culminando na revelação de fortes indícios de cometimento de outros crimes.

Os acusados foram indiciados e denunciados, na medida de suas participações, por extorsão, roubo, receptação tortura, organização criminosa, embaraço à investigação de organização criminosa, tráfico de drogas, abuso de autoridade, usurpação da função pública, favorecimento pessoal e violação de domicílio.

Detalhe – A operação foi batizada de “Vereda” em alusão ao livre arbítrio que levou os integrantes da quadrilha, à sombra da condição policial, para a prática delitiva de crimes diversos.

Com informações: Eliomar de Lima

Umari: Vereador é preso sob suspeita de abuso sexual

O vereador e médico Valmir Costa Gonçalves, de 46 anos, foi preso nesta terça-feira (24), em Umari, 323 km de Fortaleza, sob suspeita de abuso sexual contra uma paciente, durante um plantão na cidade.

Valmir Costa foi encaminhado para a Delegacia Municipal do Cedro, onde ficará à disposição da Justiça durante a conclusão das investigações.

A ação foi realizada pela Polícia Civil de Ipaumirim, que cumpriu mandato de prisão temporária expedida pela Justiça. A prisão tem o prazo de 30 dias, podendo ser prorrogada por igual período, visando preservar a continuidade das investigações.

O médico Valmir Costa Gonçalves (PSD) foi o terceiro vereador mais votado no Município de Aurora, com 1.280 votos (7,72% dos votos válidos), nas eleições de 2016. Ele cumpre mandato até 2020. Na Câmara, é relator da Comissão de Orçamento e Finanças e membro da Comissão de Justiça e Redação.

A Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, (SSPDS), se pronunciou sobre o caso, confira abaixo:

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PCCE) informa, por meio da Delegacia Municipal de Ipaumirim, que cumpriu na manhã desta terça-feira (24) mandado de prisão temporária expedida pelo juizado de Umari em desfavor do médico e político Valmir Costa Gonçalves (46), sem antecedentes criminais, suspeito de estupro de vulnerável. O crime teria ocorrido, no último dia 11 de julho deste ano (2018), no município de Umari – Área Integrada de Segurança 21 (AIS 21). Informações preliminares da investigação policial apontaram que o suspeito teria praticado o crime durante um de seus plantões e dentro da unidade hospitalar onde ele é diretor, contra uma criança de sexo feminino de 11 anos de idade.

A prisão tem prazo de 30 dias, podendo ser prorrogada por igual período. Mais detalhes sobre o crime não podem ser repassados para não atrapalhar o andamento do inquérito policial e para preservar a imagem da vítima. O suspeito foi encaminhado para a Delegacia Municipal do Cedro, onde ficará à disposição da Justiça durante a conclusão das investigações”.

Com informações: CNews

‘Não foi uma fatalidade’, diz viúva de homem morto em acidente no Beach Park

A viúva do radialista Ricardo José Hilário Silva, morto ao cair em um brinquedo do Beach Park, na segunda-feira (16), afirmou ao Fantástico que a tragédia na Grande Fortaleza “não foi uma fatalidade”. “Uma tremenda irresponsabilidade, uma falta de insegurança”, disse Luciane Cristina da Silva. Ela estava com a filha do casal, uma menina de 8 anos, quando o acidente aconteceu.

Luciane contou que ela, o marido e a filha esperavam juntos para descer na atração Vainkará. No entanto, Ricardo se separou delas porque foi convidado para ocupar o lugar que faltava no grupo que iria à frente.

Cada boia comportava quatro pessoas. Ricardo, então, completaria o grupo que estava prestes a descer.

“Falaram para o meu marido: ‘Você pode vir com a gente?’. Aí, o Ricardo falou: ‘Então ‘tá’, vou com vocês'”, narrou Luciane. Ela e a menina desceriam na boia seguinte, apenas segundos depois.

Segundo ela, ninguém perguntou sobre o peso dos participantes. Nenhuma boia poderia, de acordo com exigência do próprio Beach Park, ultrapassar os 320 quilogramas somando o peso dos quatro ocupantes. O G1 apurou que, na boia de Ricardo, esse valor havia sido ultrapassado.

A viúva afirmou só ter percebido o acidente depois que terminou a descida na atração. Luciene relatou que foi alertada por um funcionário do Beach Park já na piscina ao final do brinquedo.

Ricardo morreu na hora, de traumatismo craniano associado a trauma na coluna. Ele foi enterrado na quarta-feira (18) em Sorocaba (SP), cidade onde morava.

Desde o acidente, o brinquedo está interditado. O Beach Park, em respeito à família, não funcionou no dia seguinte à tragédia. O parque também retirou a placa que indicava o nome da atração. A perícia que vai determinar as causas do acidente deve ficar pronta em um mês.

‘Um marido dedicado’

Luciene contou que era a terceira vez do casal em Fortaleza: uma na lua de mel dos dois e a outra quando a filha ainda era um bebê. Eles já haviam visitado o Beach Park. “[Desta vez], a gente foi pela minha filha, para que ela aproveitasse”, disse.

O radialista Fábio Cardoso de Oliveira afirmou que o amigo Ricardo estava feliz por conseguir viajar com a filha. “Tudo o que ele falava era ao redor da filha dele”, relembrou.

Ocupante relatou tragédia: ‘filme de terror’

O comerciante Tarcísio Pontes, que descia junto com Ricardo, contou que a boia virou em uma das rampas do escorregador. O radialista bateu a cabeça no começo de um túnel do brinquedo, disseram os relatos.

“Eu percebi que o Ricardo tinha desmaiado, que ele não estava consciente. Peguei ele e o coloquei no meu peito, e aí veio uma onda mais forte, levando a gente até a piscina”, relatou.

Tarcísio ainda está abalado com o acidente. “Todo momento estou me lembrando disso, de tentar salvar ele e não conseguir ter êxito”, disse.

Parque e fabricante respondem

Em nota, o Beach Park disse que “as autoridades e as perícias vão esclarecer se a boia foi utilizada conforme limite de segurança. Além disso, a empresa assegurou que foram feitos cem testes oficiais antes da liberação do brinquedo.

O Beach Park também afirmou que “segue os protocolos de segurança e as recomendações do fabricante”, e que “seus funcionários avaliam a altura e o peso dos usuários”. O parque mantém sinalizações indicativas no acesso aos brinquedos.

A fabricante do brinquedo, a empresa canadense Proslide, afirmou que a morte de Ricardo “foi a única fatalidade com um usuário em uma das milhares de instalações” da companhia “no mundo”.

Veja como é o brinquedo

Altura: 29,5 metros

Comprimento: 159 metros

Quantidade máxima de pessoas na boia: quatro, segundo a assessoria do parque

Peso máximo por boia: 320 kg, segundo a assessoria do parque

Duração do trajeto: de 30 a 40 segundos

Recomendação de segurança: manter-se segurando as alças da boia

 

Com informações: G1 Ceará