Grato a Gorete e Aníbal, Camilo enfrenta pressão para contemplar outros suplentes

O governador Camilo Santana tem manifestado a interlocutores gratidão aos atuais deputados federais Gorete Pereira (PR) e Aníbal Ferreira Gomes (DEM) e não os deixará fora do mandato na Câmara. Os dois sempre foram atenciosos aos pedidos de Camilo para defender pleitos do interesse da administração estadual junto ao Governo Federal.

Aníbal cumpriu, por sinal, importante papel nas articulações para reaproximação entre Camilo e o presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB). Gorete não titubeou quando foi convidado para o PR se integrar ao grupo de partidos na reeleição do governador cearense.

Ronaldo, Chico Lopes, Odorico

Em meio a conversas para formar o novo governo, Camilo Santana recebe pressão ou escuta apelos para contemplar, também, atuais deputados federais que ficaram na suplência e o ajudaram na reeleição. É o caso, por exemplo, do deputado federal Ronaldo Martins (PRB) que recebeu 101.089 votos e não conseguiu se reeleger para o terceiro mandato.

 Ronaldo é o primeiro suplente de uma bancada com apenas três deputados – Moses Rodrigues (MDB), Genecias Noronha (SD) e Domingos Neto (PSD). Se Camilo for atendê-lo, um desses três parlamentares será convidado para o secretariado do Governo do Estado ou mesmo da Prefeitura de Fortaleza. Outros dois suplentes – Odorico Monteiro (PSB) e Chico Lopes (PC do B), sonham dia e noite com a volta à Câmara Federal.

 

Com informações: Ceará Agora

Aécio já prejudicou muito o PSDB, afirma Tasso Jereissati

Ex-presidente do PSDB, o senador Tasso Jereissati (CE) disse ontem que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) já “prejudicou muito” a imagem dos tucanos e que é preciso “dar um jeito nesse problema”, quando questionado sobre as novas denúncias que envolvem o mineiro em um esquema de pagamentos via Grupo J&F.

“Eu acho que o Aécio já prejudicou muito o partido. E, se isso for comprovado (mesada para Aécio), é um negócio muito sério. Se essa mesada for realmente verdadeira, é uma questão séria”, enfatizou.

Em seguida, Tasso foi perguntado se o caso era relevante até para expulsão de Aécio Neves da legenda. “Não estou mais na direção do partido, a gente tem que dar um jeito nesse problema. A imagem do partido não pode mais ficar ligada a isso para o resto da vida”, complementou.

A cúpula do PSDB vai pressionar o senador Aécio Neves (MG) a se afastar do partido, mesmo que temporariamente. Uma das ideias em estudo para evitar a expulsão de Aécio, eleito deputado federal, é que ele peça uma licença partidária. Em conversas reservadas, dirigentes tucanos avaliam que, se ele não fizer isso, acabará sendo obrigado a deixar a sigla.

A Operação Ross, deflagrada na manhã de ontem pela Polícia Federal, aponta que o senador Aécio Neves liderou uma associação criminosa que tinha como finalidade comprar apoio político para sua campanha presidencial nas eleições de 2014. De acordo com a PF, o Grupo J&F, dos irmãos Batista, pagou propina, a pedido de Aécio, de R$ 109,3 milhões ao senador, seu partido e outras legendas, como PTB, DEM e Solidariedade.

A operação, um desdobramento da Operação Patmos, deflagrada pela PF em maio de 2017, investiga ao todo um suposto pagamento direto e indireto de propina de R$ 128 milhões da J&F ao senador Aécio Neves e seu grupo político entre os anos de 2014 e 2017.

De acordo com a PF, parte do valor foi repassado ao senador em espécie e outra por meio de depósitos bancários e pagamento de serviços simulados. São investigados os senadores Agripino Maia (DEM-RN) e Antônio Anastasia (PSDB-MG), e os deputados federais Cristiane Brasil (PTB-RJ), Benito Gama (PTB-BA) e Paulinho da Força (SD-PR).

As investigações mostram que o senador Aécio Neves teria recebido R$ 109,3 milhões para a campanha presidencial da coligação apoiadora do PSDB. O valor teria sido solicitado por Aécio em encontro com o empresário no início de 2014.

A PF aponta que outra parte da propina teria sido entregue a pedido de Aécio por meio de doações oficiais que totalizaram R$ 64,6 milhões a diretórios e candidatos do PSDB.

Ao PTB, teria sido destinado R$ 20 milhões, mediante intermediação de Cristiane Brasil, Benedito Gama e Luiz Rondon, tesoureiro do partido. Ao Solidariedade, as doações teriam sido de R$ 15 milhões, por intermédio de Paulinho da Força e Marcelo Lima Cavalcanti.

 

Com informações: O Povo

Especulação sobre a eleição da Mesa Diretora da Assembleia

O pacote de mensagens do governador Camilo Santana chegado ontem à Assembleia Legislativa, só mereceu alguns comentários por conta da provocação dos jornalistas. As conversas dominantes, mesmo com algumas reservas, ficaram por conta dos novos encontros que o governador teve com deputados, onde, também, tratou da eleição da nova Mesa Diretora da Assembleia, a acontecer no primeiro dia de fevereiro do próximo ano.

Os deputados só queriam saber o que disseram os colegas que foram abordados pelo governador sobre suas preferências quanto ao próximo presidente da Casa. Três nomes do PDT estão no páreo: o atual presidente, Zezinho Albuquerque, Tin Gomes,  vice-presidente da Assembleia, e o líder do Governo, Evandro Leitão. Nenhum dos três ainda foi chamado pelo governador.

Além de falar sobre a eleição dos novos dirigentes da Assembleia, o governador fala das dificuldades da administração, talvez buscando sensibilizar os seus aliados para a necessidade de votação das matérias que ele ontem mandou para o Legislativo. Nenhum deputado tomou conhecimento, antecipado, das propostas lidas no expediente da sessão ordinária da manhã.

 

Com informações: Edison Silva

Caucaia: Prefeitura paga 13º salário e injeta mais de R$ 8 milhões na economia

A Prefeitura de Caucaia começou a pagar ontem (terça-feira 11/12) a segunda parcela do 13º salário aos servidores públicos municipais. A primeira cota foi depositada em julho.
Segundo a Secretaria Municipal de Finanças, Planejamento e Orçamento (Sefin), até esta quarta-feira (12/12) serão transferidos às contas dos servidores mais de R$ 8 milhões.
O montante é cerca de 4% maior do que o referente à primeira parcela (R$ 7,7 milhões) e representa um importante incremento financeiro para Caucaia, especialmente para o comércio, historicamente beneficiado com esse recurso em decorrência da temporada festiva.
Receberam ontem os servidores de todas as secretarias e autarquias municipais da Administração Direta e Indireta, exceto os lotados na Secretaria Municipal de Saúde (SMS) – cujo pagamento será feito hoje.
“Muita gente usa esse dinheiro para as compras de fim de ano, mas também muita gente, principalmente quem tem filhos, aplica para as contas de janeiro ou para quitar dívidas. É algo que todo trabalhador espera. Por isso, nós empreendemos todos os esforços possíveis para assegurar esse direito. Sabemos que é uma renda extra muito importante. E importante pra Prefeitura também, porque significa mais dinheiro circulando e economia aquecida”, pontua o prefeito Naumi Amorim.
Com informações: ASCOM da Prefeitura de Caucaia

Por unanimidade, TSE valida registro de Lia Gomes.

Por sete votos a zero o TSE deferiu pelo registro da candidatura de Lia Ferreira Gomes, validando os mais de seis mil votos por ela obtidos.

Com essa decisão, a coligação de Lia ganhará mais uma vaga e quem ganha também com isso é o governador Camilo Santana, pois além da entrada de mais um deputado da base governista, a oposição deverá ser afetada com a perda de uma vaga.

A notícia foi divulgada pela própria Lia em suas redes sociais.

Essa decisão favorece diretamente o deputado Lucilvio Girão que até então ocupava a primeira suplência da coligação.

Com a subida de Girão, quem ocupará a primeira suplência é o deputado Duquinha, seguido de Oriel Nunes e Ferreira Aragão.

Cogita-se nos bastidores da política cearense que Soldado Noélio, vereador em Fortaleza, seja o atingido com a decisão e perca sua vaga na Assembleia Legislativa e continue na Câmara Municipal de Fortaleza.

Processo

O relator do processo nº 0601248-48.2018.6.06.0000, foi o ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto e o Tribunal, por unanimidade, deu provimento ao recurso especial, para deferir o pedido de registro de candidatura, nos termos do voto do relator. Votaram com o relator, os ministros Luís Roberto Barroso, Luiz Edson Fachin, Jorge Mussi, Og Fernandes, Admar Gonzaga e Rosa Weber (presidente). O acórdão foi publicado em sessão.

Falaram pela recorrente, o advogado Dr. Arnaldo Versiani, e pelo Ministério Público Eleitoral, o Dr. Humberto Jacques de Medeiros.

 

Três senadores e três deputados federais são alvos de operação da PF

A Polícia Federal e o Ministério Público cumpriram na manhã de hoje (11) 24 mandados de busca e apreensão, assim como 48 intimações para oitivas no Distrito Federal, em São Paulo, Minas Gerais, no Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e na Bahia, além de Mato Grosso do Sul, do Tocantins e Amapá. São investigados os crimes de corrupção passiva, organização criminosa, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Os alvos foram três senadores do PSDB e DEM, além do mesmo número de deputados do Solidariedade, PDT e PTB.

A PF no Distrito Federal confirmou a Operação Ross. No total,  200 homens trabalharam na ação, que investiga o recebimento de vantagens indevidas por parte dos parlamentares no período de 2014 a 2017.

A Operação Ross é um desdobramento da Patmos, deflagrada pela PF em maio de 2017. Os valores investigados, que teriam sido utilizados também para a obtenção de apoio político, ultrapassam R$ 100 milhões.

Alvos

Os alvos são o senador Aécio Neves (PSDB-MG), a irmã dele, Andrea Neves, e o primo Frederico Pacheco de Medeiros. Também estão na mira os senadores Antonio Anastasia (PSDB-MG) e José Agripino Maia (DEM-RN). A Operação Ross investiga também os deputados Paulinho da Força (Solidariedade-SP), Benito Gama (PTB-BA) e Cristiane Brasil (PTB-RJ).

Os mandados de busca e apreensão foram autorizados a partir do inquérito 4.519, relatado pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Denúncias

A operação se baseia em informações de empresários, que teriam relatado a promotores a emissão de notas fiscais frias. Há denúncias, que estão sob investigação, sobre a suposta compra de apoio político do Solidariedade, e que empresários teriam ajudado com doações de campanha e caixa 2, por meio de notas frias.

Nome

O nome da Operação Ross é referência ao explorador britânico que dá nome à maior plataforma de gelo do mundo, na Antártida, fazendo alusão às notas fiscais frias que estão sendo investigadas.

 

Com informações: Agência Brasil

Saques de ex-auxiliar de Flávio Bolsonaro ocorriam após depósitos de valor similar

Os maiores saques feitos em 2016 pelo policial militar Fabrício Queiroz, ex-assessor do senador eleito Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), foram precedidos, geralmente na véspera, de depósito de valores de mesmo patamar.

Essa movimentação é característica de uma conta de passagem, na qual o real destinatário do valor creditado não é o seu titular. O uso de dinheiro em espécie nas duas pontas da operação reforça esse indício.

Queiroz foi citado num relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) como tendo apresentado uma movimentação financeira atípica de R$ 1,2 milhão em 2016. O alerta se deve tanto ao volume como à forma com que as transações foram feitas. O documento, contudo, não é o suficiente para apontar algum ato ilegal.

O Ministério Público do Rio de Janeiro instaurou uma investigação criminal sigilosa com base no relatório, que cita membros do gabinete de 22 deputados estaduais -entre eles Flávio Bolsonaro.

Do total movimentado, R$ 324,8 mil se referem a saques e R$ 216,5 mil a depósitos em espécie –os demais valores são transferências identificadas, entre outras operações.

Dos 176 saques realizados pelo policial militar naquele ano, 50 foram de valores acima de R$ 2.000. Apenas um, contudo, superou os R$ 10 mil, no qual a comunicação ao Coaf é automática.

Na maioria desses casos, o saque foi precedido de um depósito em espécie de valor em patamar semelhante. Nenhum, contudo, acima dos R$ 10 mil.

Nos dias 16 e 17 de fevereiro, por exemplo, Queiroz fez três saques de R$ 5.000 cada um, totalizando R$ 15 mil. O movimento foi acompanhado de cinco depósitos em espécie feitos em sua conta entre os dias 15 e 17 de fevereiro, que somam R$ 15,3 mil.

Movimento sincronizado também ocorreu em junho, quando nos dias 14 e 15 ele fez dois saques de R$ 5.000, tendo recebido no mesmo período em depósito de dinheiro vivo R$ 13,2 mil.

A ocorrência desses saques maiores mantém como padrão o fato de ocorrerem poucos dias após depósito em espécie de patamar semelhante. Em 35 dos 50 casos de retiradas acima de R$ 2.000, depósito acima do mesmo valor ocorreu até um dia antes –algumas vezes, no mesmo dia. Ampliando o intervalo entre o depósito e o saque para três dias, a sincronia se repete em 40 dos 50 maiores saques de Queiroz.

A correlação entre depósitos em dinheiro vivo e saque imediato também fica evidenciado em dezembro, quando o total sacado aumenta muito, assim como a entrada de dinheiro vivo.

No último mês do ano, por 12 vezes ele fez retiradas de dinheiro vivo acima de R$ 2.000, num total de R$ 58 mil. O volume de entrada também cresce e alcança R$ 41,6 mil distribuído em oito depósitos em espécie.

Procuradores, policiais federais e auditores fiscais afirmam que o uso de dinheiro vivo em transações bancárias costuma ter como objetivo ocultar o destinatário ou remetente dos recursos. A prática dificulta a identificação dos responsáveis pelas transações. O presidente eleito Jair Bolsonaro quer que o ex-assessor do filho explique as movimentações atípicas.

Uma das hipóteses já levantadas é de que o policial militar fosse o responsável por recolher uma parcela dos salários de assessores do gabinete de Flávio Bolsonaro – sete aparecem no relatório transferindo recursos a Queiroz.

Essa é uma prática comum no Legislativo, embora ilegal. Os recursos arrecadados podem tanto servir para campanhas políticas como para entrega ao titular do gabinete, entre outras possibilidades.

Não há até o momento, contudo, qualquer indício sobre o destino do dinheiro sacado por Queiroz. O relatório do Queiroz não foi localizado para comentar as informações do relatório. Flávio Bolsonaro afirmou que o ex-assessor lhe deu explicações plausíveis que deverão ser dadas ao Ministério Público Federal quando convocado.

 

Com informações: Diário do Nordeste

 

Deputados articulam CPI para investigar filho de Bolsonaro

O futuro chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, terá, nos próximos dias, seu primeiro grande desafio. É o que revela a Veja Online nesta terça-feira.

Deputados do PT, PCdoB e PSOL articulam a criação de uma CPI para investigar as transações financeiras feitas por assessores de Flávio Bolsonaro (PSL).

As conversas ainda são embrionárias, mas devem aquecer na terça (11), quando a maioria dos parlamentares começa a voltar a Brasília.

Segundo relatório do Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf), órgão do Ministério da Fazenda, Fabrício de Queiroz, ex-assessor de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio, fez movimentações financeiras consideradas suspeitas em mais de R$ 1,2 milhão.

 

Com informações: Eliomar de Lima / Veja

Fusão de PPS e REDE que pode formar o “Cidadania”, esfria

O esfriamento das negociações entre Rede e PPS para a fusão partiu da Rede, que, com os cinco senadores, poderá ter assento na Mesa Diretora do Senado e a presidência de uma comissão de médio porte. O PPS não terá uma coisa nem outra.

Primeiro, ocupa-se os postos. Depois, as siglas se fundem.

A articulação que planeja fundir a Rede de Marina Silva com o PPS de Roberto Freire estuda batizar o novo partido com o nome “Cidadania”. O projeto político ainda tenta atrair para a futura agremiação movimentos como o Agora, Livres e Acredite, que despontaram a partir de 2016.

Com informações: Blog da Cidadania

Governo vai reduzir de 27 para 21 o número de secretarias e cortar cerca de mil cargos públicos

O governador Camilo Santana (PT) vai reduzir em cerca de 30% o número das secretarias estaduais. Das 27 existentes, haverá redução para 21 pastas. Também virá um corte de quase mil cargos públicos na estrutura administrativa estadual. Será a maior reforma da área desde a Era Tasso Jereissati.

Estas duas medidas constam da reforma administrativa a ser implementada para a nova gestão de Camilo, a partir de 2019. Virão em forma de mensagens detalhando as ações, que deverão seguir, nas próximas horas, para a Assembleia Legislativa, e decretos que sairão publicados no Diário Oficial do Estado.

O pacote da reforma administrativa foi fechado nas primeiras horas desta terça-feira, após reunião, no Palácio da Abolição, sob comando de Camilo Santana, que envolveu membros do Comitê de Gestão por Resultados e Gestão Fiscal (Cogerf). O chefe de gabinete Élcio Batista e o chefe da Casa Civil, Nelson Martins, também participaram da reunião, na qual o secretário do Planejamento e Gestão do Estado, Maia Júnior, detalhou as medidas.

O Estado, implementando todas essas medidas, deve economizar R$ 28 milhões por ano.

Secretarias que ficam

Casa Civil

Secretaria do Planejamento e Gestão

Secretaria da Fazenda

Procuradoria-Geral do Estado

Controladoria Geral do Estado

Secretaria da Saúde do Estado

Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social

Secretaria da Educação do Estado

Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior

Secretaria de Infraestrutura do Estado

Secretaria de Recursos Hídricos

Secretaria do Desenvolvimento Agrário

Secretaria de Desenvolvimento Econômica, que terá uma secretaria-executiva do Agronegócio que absorverá as atividades da pasta da Agricultura e Pesca

Secretaria do Meio Ambiente do Estado

Secretaria do Turismo do Estado

Secretaria da Cultura do Estado

DETALHE – A Secretaria da Justiça e Cidadania vira Secretaria de Gestão Penitenciária, que vai incorporar a Secretaria do Trabalho e Desenvolvimento Social.

DETALHE 2 – Secretaria de Agricultura e Pesca perde a condição de secretaria.

DETALHE  3 – A Secretaria de Políticas sobre Drogas terá funções absorvidas pela Secretaria da Saúde.

DETALHE 4 – Gabinete do Governador e Gabinete da Vice serão incorporados pela Casa Civil; Casa Militar e Conselho de Educação do Estado perdem status de secretaria;

DETALHE 5 – Secretaria de Esportes junta com Juventude

DETALHE 6  – A CGD ganha status de Secretaria

DETALHE 7 – No pacote, 17 secretarias são de caráter finalístico, enquanto 4 passam à condição de assessoramento. São elas: PGE, Casa Civil, Controladoria Geral de Disciplina e Controladoria e Ouvidoria do Estado.

 

Com informações: Eliomar de Lima

Beberibe: Câmara de Vereadores afasta o prefeito Padre Pedro por 90 dias

A Câmara Municipal de Beberibe afastou do cargo, na noite dessa segunda-feira, por 11 votos a 2, o prefeito Padre Pedro, do PSD. O gestor ficará afastado do cargo por 90 dias e, nesse período, uma Comissão Parlamentar investigará supostas irregularidades administrativas, como obras superfaturadas, licitações com suspeitas de vícios e atraso de salários.

Padre Pedro chegou a suspender, por meio de uma liminar, a sessão para votação do pedido de afastamento que estava marcada para a última quarta-feira, mas, nessa segunda, os vereadores avançaram nas articulações e decidiram afastá-lo do comando político e administrativo do Município.

Padre Pedro se prepara para contestar, nesta terça-feira, a decisão da Câmara Municipal.

Votação na Câmara Municipal de Beberibe decidiu pelo afastamento temporário do prefeito Padre Pedro (PSD) nesta segunda-feira, 10. O pedido de cassação do mandato de Padre Pedro é proveniente de indícios de desmandos administrativos, além de meses de atraso no pagamento de servidores.

Com a decisão dos vereadores, o vice Tharsio Facó (PPS) assumirá a Prefeitura em caráter temporário. Se a Comissão Parlamentar Processante constatar as irregularidades com os recursos públicos, será sugerida ao Plenário da Câmara Municipal a cassação em definitivo do mandato do prefeito. Situação semelhante aconteceu na cidade de Tauá, na Região dos Inhamuns.

O prefeito Carlos Windson (PR) chegou a ser afastado do cargo e, após 120 dias, a Câmara o cassou. O vice-prefeito Fred Rego (DEM) assumiu o cargo de prefeito e cumprirá o restante do atual mandato que fica encerrado no dia 31 de dezembro d e 2020.

 

Com informações: Ceará Agora