Camocim: Vereador sugere que parlamentares ganhem o mesmo salário que um professor do município

Em pronunciamento na tribuna da Câmara de Vereadores de Camocim, ocorrida na sexta-feira (09), o edil Erasmo Gomes (PSL) solicitou de forma verbal que a casa elaborasse projeto de lei que reduzisse os vencimentos salariais dos parlamentes municipais igualando ao mesmo valor que recebe um professor da rede pública.
A proposta polêmica encontra notada resistência do conjunto da bancada governista formada por 9 integrantes. Na tese do autor da matéria, o Sargente da reserva remunerada da Marinha, Erasmo Gomes, vereador não é profissão.
Atualmente, o salario dos vereadores de Camocim giram em torno de R$ 10 mil bruto. Se aprovada a redução, o valor cairá para menos da metade do atual provento. O que sobrará, segundo a proposta, seria destinado ao um fundo de apoio ao estudante universitário de baixa renda.
O texto será apreciado em forma de requerimento nas próximas sessões ordinárias.
 
Com informações: Camocim Portal de Notícias

TRE: Erasmo Gomes é acusado de infidelidade partidária e pode perder o cargo de vereador

A Procuradoria Regional Eleitoral do Ceará remeteu ao Tribunal Regional Eleitoral – TRE/CE representação formal cobrando a cassação do mandato eletivo do Vereador de Camocim, Erasmo Gomes, por ato de infidelidade partidária.

Erasmo desfiliou-se do Partido da República (PR) e ingressou em julho deste ano ao Partido Social Liberal (PSL), a mesma sigla que concorre Jair Bolsonaro à presidência da república. Com a mudança, o vereador se tornou pré-candidato a Dep. Federal nas eleições de outubro deste ano.

O relator do caso no TRE-CE, o Juiz Alcides Saldanha Lima, mandou intimar as partes para se manifestarem sobre o caso.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o Vereador Erasmo Gomes fala sobre o caso. O parlamentar garante que sua saída do PR foi devidamente comunicada no prazo e diz possuí carta de anuência do Diretório Estadual do partido validando sua desfiliação. Ele acusa o suplente Sidney O Bola, que é chefe do diretório municipal do PR em Camocim, de tentar cassar seu mandato e assumir em sua vaga.

Já Bola considera haver um mal entendido e nega as afirmações do Vereador do PSL e, reforça que apenas realizou ato de ofício mediante determinação da Procuradoria Regional Eleitoral e TRE. O tribunal colegiado irá decidir através de Processo Judicial. O desfecho é incerto.

Importante: Na questão acima existem dois interessados na vacância da cadeira e que podem requerer o mandato, são eles: o Partido e o Suplente.

Com informações: Camocim Portal de Notícias / André Martins