Sistema Jangadeiro realiza debate para governador dia 22 de agosto

O Sistema Jangadeiro realizará debate para o Governo do Estado no dia 22 de agosto. Nesta segunda-feira houve reunião com os assessores dos quatro candidatos cujos partidos têm representatividade na Câmara dos Deputados.

Para definir as regras do debate, foram convidados os candidatos a governador Camilo Santana (PT), Ailton Lopes (Psol), Hélio Gois (PSL) e General Theophilo (PSDB).

O debate será realizado no dia 22 de agosto, das 12h30 às 14h. Os mediadores serão os jornalistas Wanderley Filho e Fábio Campos. A transmissão será ao vivo e simultânea na TV Jangadeiro, Nordestv, Tribuna BandNews FM, Rede Jangadeiro FM, portal Tribuna do Ceará e redes sociais do Sistema Jangadeiro.

Foram apresentadas as regras, e três candidatos já confirmaram presença: Ailton Lopes, General Theophilo e Hélio Gois. A assessoria do governador Camilo Santana ainda não confirmou sua participação.

Com informações: Tribuna do Ceará

IBOPE realiza a 1ª pesquisa para eleições 2018 no Ceará

Já está em andamento, desde o dia 10 de agosto, a primeira pesquisa de opinião para eleição gerais de 2018 no Ceará, após as convenções partidárias. Contratada pela TV Verdes Mares, está sendo realizada pelo IBOPE e tem como previsão de publicação o dia 16 de agosto. O registro foi feito no TSE com o número de identificação CE-04197/2018.

De acordo com o questionário registrado na Justiça Eleitoral, a pesquisa contém cenários de espontânea e estimulada para os cargos de presidente da República, governador do Ceará e as duas vagas para o Senado. A margem de erro prevista é de 3%, com nível de confiança estimado em 95%.

Com informações: Focus

Começa a funcionar o comitê de Camilo Santana

O jornalista Chagas Vieira deixou o seu posto na equipe de comunicação do governador Camilo Santana, no Palácio da Abolição, nesta segunda-feira. Ele já na próxima quinta-feira estará instalado no comitê de campanha à reeleição do governador.

Chagas trabalhou na campanha de Camilo, em 2014, permaneceu ao lado do governador desde o início do Governo, em janeiro de 2015, e agora volta a fazer o que fez na disputa passada, por sua competência deveras reconhecida, assim como pelo seu comportamento ético, e as relações respeitosas com os colegas.

Com informações: Edison Silva

Fernando Haddad diz que espera estar junto com Ciro no segundo turno

O candidato a vice-presidente pelo PT, Fernando Haddad, afirmou que espera estar junto com Ciro Gomes, candidato a presidente da República pelo PDT, no segundo turno. Foi o que ele disse nesta segunda-feira durante entrevista concedida ao programa O POVO no Rádio, apresentado pelo jornalista Luiz Viana.

Haddad, que pode virar o candidato ao Planalto caso Lula não tenha registro acatado pela Justiça Eleitoral, elogiou Ciro, definindo-se como “amigo”, lembrando que com ele foi ministro do Governo Lula: Haddad na pasta da Educação e Ciro como titular da Integração Nacional.

“Ciro é um grande amigo e tenho certeza que vamos estar juntos  no segundo turno”, disse Haddad.

Bom lembrar que essa dupla sempre foi cogitada por Camilo Santana (PT). Em várias entrevistas, o governador defendeu a candidatura de Ciro para presidente tendo Haddad como candidato a vice.

Com informações: Eliomar de Lima

24 milionários já buscam mandatos no Ceará; Saiba quem são

Quase 10% dos candidatos que já se registraram na Justiça Eleitoral em busca de cargos eletivos no Ceará possuem patrimônio de mais de R$ 1 milhão. Até a tarde deste domingo, 24 das 245 candidaturas oficializadas no Estado já haviam declarado bens na casa dos milhões.

Entre elas, nove são políticos em busca de reeleição. Somados, espólios dos milionários chegam a R$ 191,5 milhões. A cifra é puxada sobretudo pelo senador Eunício Oliveira (MDB) – dono de empresas da área da segurança e de uma fazenda de 21 mil hectares – que declarou sozinho possuir R$ 89,2 milhões.

Como o registro de candidaturas segue ocorrendo até esta quarta-feira, a expectativa é que outros nomes bem abastados surjam entre os aspirantes a representantes dos cearenses. Segundo o IBGE, renda média de moradores do Estado é de R$ 824.

Confira os candidatos que declararam bens superiores a R$ 1 milhão até agora:

Candidatos a senador

Eunício Oliveira (MDB) – R$ 89,2 milhões

Gaudêncio Lucena (MDB) – R$ 17,6 milhões

Edmilson Bastos (PSD) – R$ 5,1 milhões

Candidatos a deputado federal

Adail Carneiro (Podemos) – R$ 13,1 milhões

Alexandre Damasceno (Pros) – R$ 1,2 milhão

Crescencio Junior (PHS) – R$ 2,1 milhões

Fredy Menezes (Novo) – R$ 1,1 milhão

Genecias Noronha (SD) – R$ 19 milhões

Gomes Filho (Pros) – R$ 1,2 milhão

Major e Médico Dr. Haroldo (Podemos) – R$ 2,5 milhões

Marcelo Medeiros (Novo) – R$ 5,8 milhões

Moses Rodrigues (MDB) – R$ 3,2 milhões

Candidatos a deputado estadual

Acaci (PCdoB) – R$ 6 milhões

Agenor Neto (MDB) – R$ 1,8 milhão

Ana Angélica (PCdoB) – R$ 1,3 milhão

Diego Barreto (PTB) – R$ 1,1 milhão

Domingos Filho (PSD) – R$ 2,6 milhões

Dr. Ciro (Pros) – R$ 1,4 milhão

Heitor Férrer (SD) – R$ 2 milhões

Jarbas (PCdoB) – R$ 2,5 milhões

Leonardo Araújo (MDB) – R$ 2,5 milhões

Raimundão (MDB) – R$ 2,1 milhões

Roberto Mesquita (Pros) – R$ 6,1 milhões

Walter Cavalcante (MDB) – R$ 1 milhão

Com informações: Blog de Política O Povo

Ciro diz que procura outro senador para votar no Ceará, além de Cid

Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência da República, acompanhado do prefeito Roberto Cláudio, visitou na manhã de hoje as obras de construção do Residencial Alto da Paz, no Bairro Vicente Pizón, em Fortaleza, como primeiro ato de campanha no Ceará, após a homologação do seu nome para disputar a chefia do Executivo Nacional.

Indagado, Ciro disse que está a procura de um segundo senador para dar o seu voto, no Ceará, pois o primeiro é Cid Gomes.

A obra do Residencial Alto da Paz, sob a responsabilidade da Prefeitura de Fortaleza, dentro do Programa Mina Casa, Minha Vida, está com 60% da sua primeira etapa efetivadas.  São  1.111 apartamentos, divididos em vários blocos de quatro andares cada um. Numa segunda etapa, serão construídos mais 317 apartamentos, de frente para o mar, com três quartos cada um,  novidade em todo o Programa Minha Casa, Minha Vida. A segunda etapa tem a participação do Governo do Estado.

Com informações: Edison Silva

Ciro diz que é ‘doce de coco’ e que não elevará o tom

Um dia após o primeiro debate presidencial na TV, o candidato do PDT, Ciro Gomes, disse que não pretende subir o tom para ter mais visibilidade na disputa. A estratégia, segundo ele, é seguir enfatizando as propostas de sua campanha.

— Acho que o povo brasileiro está tão sofrido, machucado, descrente, que temos que ser muito respeitosos, cuidadosos, delicados. É o que vou procurar fazer — disse a jornalistas, após evento promovido pela ONG Todos Pela Educação, nesta sexta-feira. — Ontem consegui ser duro, em certos momentos, mas sem levantar a voz, sem ser grosseiro. Não precisa ser. Esse monstro que criaram ao meu redor, da minha imagem, não guarda a menor coerência da minha vida. Sou um doce de coco, pode acreditar nisso — afirmou.

Ciro disse que sempre foi “paz e amor”, mas que, ao mesmo tempo, sabe brigar e que não está na luta política para “alisar”, pois não faz parte da máfia, na qual vigora “a lei do silêncio”.
— Então, eu não falo do teu rabo de palha e você não fala do meu. E eu não pertenço à máfia. Então o Ciro é ‘bocão’ — disse.

Na sequência, citou alguns dos políticos que já denunciou por malfeitos, como o ex-deputado Eduardo Cunha, o presidente Michel Temer, e o senador Eunício Oliveira, com quem seu irmão e coordenador de campanha, Cid Gomes, firmou uma aliança informal no Ceará.

Ciro nega que tenha tido uma repercussão tímida no debate, mas a avaliação interna de sua equipe é de que o formato o desfavoreceu. Estes assessores admitem que outros oponentes, como o tucano Geraldo Alckmin e a candidata da Rede, Marina Silva, tiveram mais visibilidade por terem tido mais oportunidades de falar ao eleitor.

No debate, Ciro prometeu tirar 63 milhões de brasileiros que estão com o nome sujo no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC). Questionado sobre como irá fazê-lo, explicou:

— Trata-se de entender o volume da dívida, que humilha 63 milhões de pessoas. De descontar do volume dessa dívida, com a mediação poderosa de um governo que sabe o que faz, de descontar todos os desaforos, como juros sobre juros, correção monetária, multas, entre outros, e refinanciar o que sobrar — afirmou.

Segundo Ciro, ao fazer isso, a dívida média por cidadão é de R$ 1,4 mil, o que seria factível de negociar mediante ações como o afrouxamento dos compulsórios dos bancos.

— Essa é a questão: quando é para rico é muito rápido e simples e quando é para pobre, todo mundo quer botar defeito.

Durante a sua exposição, Ciro criticou fortemente a emenda 95, do chamado teto de gastos, aprovada pelo governo de Temer, e que ele comparou a um “torniquete de pescoço”. Segundo Ciro, o próximo presidente do Brasil “será derrubado em seis meses” diante da falta de condições de governar, caso não revogue a proposta.

— O baronato financeiro vai pedir o meu fígado na eleição — disse, em referência às críticas que têm feito à medida e aos elevados ganhos dos bancos com juros. — Nosso problema é conflito distributivo, porque a gente gasta muito com despesas financeiras — complementou.

Programa de Governo mais detalhado

De acordo com o coordenador de campanha de Ciro, Nelson Marconi, uma versão mais detalhada de seu programa de governo, que contempla 12 áreas, será divulgada no site do candidato até a próxima segunda-feira, dia 13.

A ênfase será a área econômica, mais especificamente sobre a meta de criação de 2 milhões de empregos no primeiro ano de governo. O programa também tratará de reformas, como a da Previdência, e explicará o projeto de Ciro de fortalecimento da indústria e da infraestrutura nacional.
— Serão diretrizes gerais e abertas à discussão com os setores envolvidos em cada uma das áreas — diz Marconi.

Com informações: Ceará Agora / O Globo

Eunício Oliveira diz que votará em Cid Gomes e Camilo Santana

O senador Eunício Oliveira (MDB) disse, nesta sexta-feira, 10, que votará em Cid Gomes para o Senado e em Camilo Santana para o Governo do Ceará. “E, obviamente, pedindo para votar também em Eunício Oliveira”. O político também falou de reunião que teve com prefeitos e vereadores do Ceará pedindo que todos votem nele, no governador e no pedetista.

Segundo Oliveira, a parceria entre ex e atual governador “deu certo” para ajudar o estado. “Cid tem um grande trabalho feito na questão da educação, no desenvolvimento desse estado. Camilo deu sequência ao seu trabalho”.

O senador relembrou que a parceria já rendeu cerca de R$ 10 bilhões para o Ceará – entre repasses e empréstimos -, que devem ser aplicados em várias áreas que “precisa desenvolver” no Estado.

A fala do senador vem dois dias após Cid ter dito, em entrevista à Tribuna Band News, que recomendará voto em Eunício “em homenagem ao Camilo e levando em conta o interesse maior do Ceará e do povo do Estado”.

A ausência do PT na disputa da vaga deu a Cid e Eunício a possibilidade de composição de aliança informal. Assim, o político de Lavras da Mangabeira ganhou campo para aproximação.

Com informações: Blog de Política O Povo

Deputado Roberto Mesquita desiste de disputar a reeleição e apoiará Erika Amorim

O deputado estadual Roberto Mesquita, recentemente filiado ao PROS, um dos principais adversários do governador Camilo Santana (PT),  desistiu de disputar um novo mandato de deputado estadual. Ele não explicou as razões de sua decisão, mas já acertou transferir alguns dos seus colégios eleitorais, no Interior, para outros candidatos.

Dois desses colégios já teriam sido acertados com o prefeito de Caucaia, Naumi Amorim, para melhorar a situação eleitoral de sua mulher, candidata a deputado estadual, Érika Amorim.  São os colégios de Pentecostes e Apuiarés.

Há dias o deputado não participa das sessões ordinárias da Assembleia, onde é assíduo na tribuna, sempre com pronunciamentos críticos ao Governo do Estado.  Ele durante um certo tempo foi ligado ao conselheiro do TCE, em disponibilidade, Domingos Filho, quando este era oposição ao Governo Camilo Santana.

Roberto Mesquita, antes de ser eleito deputado estadual, foi vereador de Fortaleza.

Com informações: Edison Silva

União PT-PSDB? Haddad não descarta apoio a Alckmin no 2º turno

Candidato à vice-presidência pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad afirmou que, caso a sigla fique de fora do 2º turno, não está descartada a possibilidade de apoio ao PSDB de Alckmin. A declaração foi dada nesta quinta-feira (9) pelo ex-prefeito de São Paulo durante entrevista promovida pelo banco BTG Pactual.
A resposta de Haddad veio após ter sido questionado sobre eventual segundo turno entre Geraldo Alckmin (PSDB) e Jair Bolsonaro (PSL) e se ele recomendaria o apoio do PT ao PSDB. Sem dar uma resposta clara, ele lembrou das eleições de 1998, quando Marta Suplicy, à época deputada federal pelo PT, declarou apoio a Mário Covas, do PSDB, na corrida pelo governo de São Paulo.
“Eu não seio o que o PT vai fazer nesse caso, o que eu acho é o seguinte: o PT e o PSDB aqui em São Paulo mesmo, tiveram episódios muito interessantes. Em 98, por exemplo, a Marta era candidata e quase foi pro segundo turno, foi o Covas, e a Marta declarou apoio ao Covas, e não integramos o governo Covas. Dois anos depois tiramos a recíproca, a Marta foi pro segundo turno e como era o mesmo adversário, o Covas retribuiu. E a Marta foi eleita em 2000 com o apoio do PSDB.O que eu estou querendo dizer é o seguinte: o PT não tem esse preconceito, então é muito difícil responder a sua pergunta na conjuntura atual”.
Haddad participou do evento na condição de representante do PT, já que o ex-presidente Lula está preso em Curitiba e não conseguiu liberação da Justiça para participar de eventos e sabatinas como candidato.

Com informações: Roberto Moreira