Derrotas em redutos de aliados tiraram Eunício do Senado

Derrotas em redutos dominados por candidatos da base aliada foram decisivas para o fracasso de Eunício Oliveira (MDB) contra Eduardo Girão (Pros) na disputa pelo Senado. Entre os 33 municípios do Ceará onde o emedebista perdeu para o adversário, apenas dois não deram votações expressivas para deputados eleitos aliados de Camilo Santana (PT).

Em todos os outros, pelo menos um candidato próximo do governo foi eleito com grande votação que não se refletiu em votos para Eunício. Observando o mapa das vitórias de Girão, real empenho de deputados da base pela vitória do emedebista fica sob suspeita. Durante a campanha, foram vários os rumores sobre “traições” de aliados contra Eunício.

 

Em alguns casos, municípios que deram votações expressivas para mais de um deputado da base só arregimentaram poucos votos para o emedebista. Apesar de ter conseguido a maior parte da votação na Região Metropolitana de Fortaleza, Eduardo Girão teve municípios do Interior como “fiéis da balança” para os menos de 12 mil votos que lhe garantiram a vitória.

Segundo o coronel Plauto de Lima, um dos articuladores da campanha de Girão, não houve qualquer tipo de acordo entre o candidato do Pros e deputados da base. Ele destaca, no entanto, ter notado perceptível movimento de lideranças locais em “abrir” o 2º voto para o Senado, sem pedir apoio a Eunício. “Deram uma de Pôncio Pilatos: lavaram as mãos”.

Casos notáveis envolvem os deputados José Guimarães (PT) Dr. Sarto (PDT). Em três municípios onde eles foram os mais votados, Eunício teve pequena votação e acabou derrotado. “A rigor, não fiz campanha para o Eunício. Deixei as bases à vontade, só tinha um senador, que era o Cid”, admite Sarto, que em setembro prometia pedir votos ao emedebista.

“Meu grupo ficou chateado com apoio de Eunício a grupos opostos em Acopiara (base do deputado), então acabou optando por outra candidatura. Ainda ponderei que Camilo e Cid tinham pedido pelo Eunício, mas não deu”, explica Sarto. “Ele tentou puxar voto para aliados na base de outros, então criou uma ambiência muito ruim. Foi muito pouco hábil”, disse.

Plauto destaca ainda que, em várias regiões, líderes locais mesmo os ligados à base aliada enxergaram a disputa entre Eunício e Girão como oportunidade de fazer uma “prévia” da eleição municipal de 2020. “Como o MDB tinha muitos desses prefeitos, muita gente da oposição viu nisso uma oportunidade de ver as chances para 2020”, diz.

Em Quixeramobim, reduto histórico de José Guimarães e onde Girão venceu por mais de 10 mil votos de diferença, pesou nesse sentido racha entre o prefeito, Clébio Pavone (SD), e o vice, Sargento Rogério (Pros). Em cidades como Santa Quitéria, circularam adesivos que uniam Camilo, Guimarães, o deputado estadual Bruno Pedrosa (PP) e Eduardo Girão.

A reportagem tentou entrar em contato com José Guimarães para falar sobre o caso. O deputado, no entanto, não atendeu ligações. A assessoria de Eunício Oliveira disse que ele não irá se manifestar sobre o assunto.

Com informações: O Povo

“Recolho-me agora à vida pessoal”, diz Eunício após derrota para Girão

Após perder vaga no senado em disputa acirrada com Eduardo Girão (Pros), o senador Eunício Oliveira (MDB) lançou nota agradecendo os 1.313.793 votos que teve na disputa. Dizendo receber “com reverência e respeito” o resultado das urnas, Eunício desejou boa sorte aos novos eleitos e disse que irá se “recolher à vida pessoal”.

“O voto é a forma como o povo se manifesta nas democracias. Foi a partir das urnas que os brasileiros, e os cearenses em particular, demonstraram os anseios de mudança. Recebo com reverência e respeito essa determinação imposta a todos nós pelas regras democráticas, pelas quais tanto lutei”, diz o senador.

“Agradeço, com muita honra e humildade, aos 1.313.793 cearenses que seguiram confiando em mim. Recolho-me agora à vida pessoal. Desejo boa sorte e energia para os que foram eleitos”, conclui nota do senador.

Eleito em 2010 com mais de 2,6 milhões de votos, Eunício ficou de fora do Senado após receber apenas quase 12 mil votos a menos que Eduardo Girão. A eleição do senador do Pros acabou sendo a maior vitória da oposição na disputa, sobretudo para o deputado Capitão Wagner (Pros).

Com informações: Blog de Política O Povo

TRE-CE realiza apreensão de material no Comitê de Eunício Oliveira

O TRE-CE determinou na tarde de ontem, 2, a busca e apreensão de material no Comitê eleitoral do candidato a Senador Eunício Oliveira (MDB). A solicitação foi feita pela Coligação “Tá na Hora de Mudar”, do general Theóphilo (PSDB), e determinada pelo juiz José Vidal Silva Neto. Na denúncia, os advogados afirmam que existiram no Comitê de Eunício, em Fortaleza e Juazeiro do Norte, bandeiras com as imagens do candidato ao Senado, Lula, como candidato a presidente, e Haddad como candidato a vice-presidente.

Foram realizadas busca e apreensão no Comitê da avenida Barão de Studart, da Rua Dom Manuel Medeiros (Parque Araxá) e em Juazeiro do Norte, no bairro Santa Tereza. O Magistrado ainda determinou que Eunício se “abstenha de fazer qualquer propaganda irregular como a denunciada, com uso da imagem associada do candidato Eunício Oliveira ao lado do ex-Presidente Lula e do candidato à Presidência da República, Fernando Haddad, sob pena de multa de 50.000,00 (cinquenta mil reais) por cada descumprimento verificado”.

Com informações: Focus

PPS Ceará declara apoio à candidatura ao Senado de Eunício Oliveira

Em encontro realizado na noite desta segunda-feira, 1º, o Partido Popular Socialista (PPS) Ceará declarou apoio a Eunício Oliveira, candidato à reeleição ao Senado Federal. O anúncio foi feito pelo vereador Michel Lins (PPS), eleito o quarto vereador mais influente da Câmara Municipal de Fortaleza.
Em seu discurso, Michel afirmou que o partido continuaria ampliando as parcerias ao apoiar a candidatura de Eunício. Alexandre Pereira, presidente do PPS, afirmou estar muito feliz com a parceria, confiando na reeleição de Eunício ao Senado. “A reeleição de Eunício, pode ter certeza que vai ajudar o nosso vereador Michel Lins”.
Na ocasião, o presidente do Senado afirmou ser uma honra receber o apoio do partido, afirmando que Alexandre Pereira é uma “figura destacada na política e economia cearense”.
Com informações: O Povo

PSDB-Pros pede a cassação da candidatura de Eunício Oliveira

A coligação “Tá Na Hora de Mudar”, do candidato a governador Theophilo Cals e dos candidatos  a senadores Luis Eduardo Girão (Pros) e Mayra Pinheiro (PSDB, nas fotos), apresentou ao Tribunal Regional Eleitoral do Ceará (TRE-CE) pedido de cassação da candidatura do senador Eunício Oliveira (MDB) à reeleição. A representação aponta que Eunício doou R$ 600 mil ao candidato ao Governo do Ceará Camilo Santana (PT), de outra coligação. A doação feita pelo senador consta na prestação de contas parcial do governador divulgada no site do TRE-CE.

Segundo a coligação, a doação revelaria que Eunício “pagou pelo apoio político, uma vez que suas agremiações sequer são coligadas”. “O abuso de poder econômico ora denunciado representa uma megacaptação de votos, agravada pela ousadia de transformar a própria Justiça Eleitoral em entidade branqueadora dos recursos (lavanderia de dinheiro da campanha), comprometedores da normalidade do pleito”, diz a representação.

A Resolução nº 23.553/2017 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), no seu art. 27, § 2º, permite a doação de um candidato a outro candidato do mesmo partido ou coligação. “Partidos políticos e candidatos podem doar entre si bens próprios ou serviços estimáveis em dinheiro, ou ceder seu uso, ainda que não constituam produto de seus próprios serviços ou de suas atividades”.

Já a lei nº 9.504/97, no seu art. 23, proíbe a doação de candidato a pessoa física ou jurídica. “Ficam vedadas quaisquer doações em dinheiro bem como de troféus, prêmios, ajudas de qualquer espécie feitas por candidato, entre o registro e a eleição, a pessoas físicas e jurídicas.”

Com informações: Roberto Maciel

Eunício Oliveira reúne prefeitos da Região da Ibiapaba no afunilamento da campanha

O senador Eunício Oliveira (MDB), candidato à reeleição, reuniu um total de 20 prefeitos e varias lideranças políticas da Região da Ibiapaba nesta sexta-feira. O objetivo foi mostrar força eleitoral no momento em que se afunila a campanha. O encontro ocorreu no município de São Benedito, organizado pelo prefeito Gadyel Gonçalves (PCdoB), que também preside a Associação dos Prefeitos do Estado do Ceará (Aprece).

Segundo Gadyel, votar em Eunício é a forma que os gestores têm de “agradecer por todo o empenho demonstrado por ele em defesa dos municípios.”

Participaram dessa reunião os prefeitos Zé Firmino (MDB), de Viçosa do Ceará, Augusto Brito (PCdoB), de Graça, Íris (PDT), de Hidrolândia, Ademir Martins (MDB), Carnaubal, Dr. Cárlisson (PDT), de Poranga, Marfisa (PDT), de Pires Ferreira, Áquila (PDT), de Moraújo, Canarinho (PCdoB), de Mucambo, Alex Melo (PDT), de Pacujá, Elmo Aguiar (PDT), de Cariré, Adail Machado (MDB), de Guaraciaba do Norte, Jacques Albuquerque (MDB), de Massapê, Helton Luis (PDT), de Frecheirinha, Dr. Jaydson (PTB), de Tianguá, Renê (PDT), de Ubajara, Osvaldo Neto (PDT), de Reriutaba e Nenem do Cazuza (PDT), de Ipueiras.

Com informações: Eliomar de Lima

Senador Eunício Oliveira emite nota sobre caso do Dnocs

O presidente do Senado Eunício Oliveira (MDB), candidato à reeleição no Senado, enviou nota para esclarecer caso da suspensão da perfuração de poços pelo Departamento Nacional de Obras Contras as Secas (Dnocs) no Ceará.

Confira a nota na íntegra:

O senador Eunício Oliveira sempre trabalhou pelo bem do Ceará e não cometeu, em nenhum momento de sua carreira como homem público, ações ilícitas ou que não estejam de acordo com a Constituição Federal. 
A falta d’água é um dos problemas crônicos do Ceará. Sempre que puder, o Senador empenhará a força de seu mandato popular a favor da população mais carente.
O Senador Eunício não exerce cargo algum no Poder Executivo. Não tem, portanto, como definir as ações de órgão federal. Paralisar trabalhos de perfuração de poços d’água em razão de disputa política é trabalhar contra a população cearense – e isso o senador Eunício Oliveira jamais fará.

Assessoria de imprensa do Senador Eunício Oliveira

TRE suspende perfuração de poços do Dnocs em ação contra Eunício

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-CE) deferiu liminar que determina a suspensão imediata da perfuração de poços pelo Departamento Nacional de Obras Contras as Secas (Dnocs) no Ceará. Segundo denúncia do Ministério Público Federal no Ceará (MPF-CE), há indícios de que ação beneficiaria irregularmente candidatura de Eunício Oliveira (MDB) ao Senado.

A ação segue pedido do procurador regional eleitoral, Anastácio Tahim, que identificou sinais de abuso de poder político e econômico de Eunício na escolha das localidades beneficiadas pelas perfurações. Também são réus na ação o diretor-geral do Dnocs, Ângelo José de Negreiros Guerra, e o coordenador estadual do órgão, Francisco Hermenegildo Sousa Neto.

Segundo Tahim, investigações deixaram “evidente” que o serviço do Dnocs ocorria sem quaisquer critérios técnicos para a escolha dos municípios beneficiados, que era feita com base apenas na ingerência de políticos de olho nas eleições de 2018. “Os fatos mostram absoluto desrespeito à necessária igualdade de condições entre os candidatos”, diz.

Lavras da Mangabeira

De acordo com a ação do MPF, dos 150 poços perfurados pelo órgão até agosto, 43 estão em Lavras da Mangabeira – cidade natal e berço político de Euínicio –, o que corresponde a quase 30% do total de poços. O procurador regional eleitoral destaca que, até junho deste ano, o município sequer estava em estado de emergência, enquanto vários outros esperavam ajuda.

Após constatada a discrepância nos municípios, a Controladoria Geral da União (CGU) questionou o Dnocs sobre critérios usados na escolha. Em resposta, o Departamento alegou que atendia prioritariamente pedidos mais recentes, o que foi contestado pelo MPF. Segundo o órgão, pelo menos quatro municípios já se enquadravam acima de Lavras nesses critérios.

Questionado pelo MPF, o diretor do Dnocs não soube dizer porque 30% dos poços foram feitos em Lavras, mas admitiu ter sido indicado por Eunício e que sua atuação do órgão tenta atender “ambas as partes, entendidas como comunidades necessitadas e pressão dos políticos”. Além da perfuração, o TRE determinou o recolhimento de máquinas do pátio do Dnocs até a instauração de critérios técnicos.

Na peça, o MPF aponta ainda que, em seu programa eleitoral, Eunício tem anunciado a perfuração de poços pelo Dnocs como atuação direta sua. “Água de qualidade vai jorrar no interior. Nós estamos perfurando quase trinta mil poços profundos. O Dnocs não tinha uma máquina de perfurar poços”, diz Eunício, em trecho destacado pelo procurador regional eleitoral.

Outro lado

A assessoria de imprensa do senador Eunício Oliveira, foi procurada para que ele se manifestasse sobre o caso. Até agora, no entanto, não houve resposta do emedebista.

Com informações: Blog de Política O Povo

PDT e PT definem voto em Cid Gomes para o Senado e liberam filiados para escolher 2º postulante

Duas das principais legendas que dão sustentação à coligação encabeçada pelo governador Camilo Santana, o PT e o PDT definiram voto no candidato Cid Gomes (PDT) para o Senado e liberaram os filiados para votarem no postulante de sua preferência para a segunda vaga em disputa. Isso faz com que muitos membros da base aliada optem por nomes que não fazem parte do bloco governista.

De acordo com pesquisa Ibope encomendada pela TV Verdes Mares, divulgada pelo Diário do Nordeste na segunda-feira, 24, as intenções de voto em branco ou nulo são de 12% para a primeira vaga e 21% para a segunda. Cid Gomes soma 64% das intenções de voto e Eunício Oliveira (MDB), em segundo lugar, tem 39%. Eduardo Girão (PROS) vem depois, com 10%, seguido por Dra. Mayra (PDSB), com 9%. Os demais postulantes alcançam até 3%.

O presidente estadual do PDT, deputado federal André Figueiredo, afirmou ao Diário que o partido não indicou voto para a segunda vaga ao Senado. “Não existe definição sobre quem será a segunda vaga e está todo mundo liberado”, ressaltou.

O presidenciável Ciro Gomes (PDT), em entrevista ao Diário em agosto passado, informou que seu candidato ao Senado era o irmão, Cid Gomes, e que estaria em busca de outro nome para a segunda vaga. O pedetista ainda não definiu o segundo voto ao Senado, mas não seguirá orientação de Camilo, que apoia a reeleição de Eunício.

Com informações: Diário do Nordeste

Delator diz ter pagado propina a Eunício

O presidente do Senado Federal, Eunício Oliveira (MDB), que é candidato à reeleição, teve uma delação premiada homologada contra si pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O benefício jurídico foi utilizado por Jorge Henrique Marques Valença, ex-superintendente regional da Galvão Engenharia, que afirma ter pagado ao menos R$ 1 milhão em propina ao político, em troca de liberação de recursos para obras contra a seca.

Mantida sob sigilo e obtida pelo portal O Globo, a delação inclui ainda outros três emedebistas: o senador Fernando Bezerra; o ex-deputado Henrique Alves e o ex-ministro Geddel Vieira Lima. Este último, preso desde setembro de 2017, após a apreensão de mais de R$ 51 milhões em espécie em um apartamento ligado a seu nome.

Valença declara que o pagamento existia como forma de “pedágio”, a ser pago a título de propina a políticos do MDB em contratos do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (Dnocs). De acordo com Valença, o órgão federal tem influência de Eunício.

As propinas seriam repassadas a um percentual de 5% à medida que a empreiteira recebia os pagamentos pelos serviços referentes à obra da Barragem Figueiredo, em Alto Santo, entregue em 2013.

Tanto Eunício Oliveira quanto os demais acusados, negam ter recebido pagamentos da empresa, segundo o site.

Disputa ao senado

A candidata ao Senado Federal Dra. Mayra Pinheiro (PSDB) postou vídeo no último domingo, 23, em resposta ao pedido liminar de busca e apreensão de bonecas da candidata, emitido pelo senador Eunício.

Conforme Legislação Eleitoral, é proibida a propaganda mediante distribuição de brindes, a exemplo de “camisetas, chaveiros, bonés, canetas, brindes, cestas básicas ou quaisquer outros bens ou materiais que possam proporcionar vantagem ao eleitor”.

Ocorre, entretanto, que as bonecas de Mayra são em forma de adesivos, adereços comuns em período eleitoral. “A justiça esteve no nosso comitê e constatou que a denúncia é falsa. () São adesivos de papel que as pessoas vêm usando em sinal de carinho e apoio a nossa candidatura”. “Agora que ficou claro que sua adversária nessa campanha sou eu, faça oposição como tenho feito a você, de forma transparente”, disse.

Procurada, a equipe de Eunício disse que não se posicionaria sobre o assunto.

Com informações: O Povo