Morte de Roni, mascote Tutuba, do Ferroviário, foi por agressão policial, dizem testemunhas

A morte de Ronierbson Gomes e Silva, que trabalhava como o mascote do Ferroviário, o Tutuba, teria sido motivada por agressão policial, e não por um acidente de carro. As informações são de moradores dos arredores de onde Ronierbson bateu o carro, no bairro Cristo Redentor.

O acidente aconteceu na segunda-feira (5), quando o a vítima voltava da comemoração do título da Taça Fares Lopes, conquistada pelo time. Ronierbson colidiu com um poste.

Nova Versão

Segundo moradores que optaram por não se identificar, Ronierbson saiu do veículo andando, caminhou cerca de 150 metros e parou em uma pizzaria, onde teria pedido ajuda. Logo uma viatura da Polícia Militar chegou, mas Ronierbson, que estava alcoolizado, negou a ajuda dos PMs.

Os oficiais, então, segundo as testemunhas, começaram a agredir Robierson com pontapés. “Quando chegou na pizzaria, arrastaram ele para fora e começou a agressão. Eu e outros populares pedimos pra não bater no rapaz. Mas, eles não deram a mínima”, conta uma mulher que presenciou a violência.

Após alguns minutos de agressão, os agentes o colocaram dentro da viatura. Tutuba foi levado para o Instituto Doutor José Frota (IJF), onde chegou sangrando bastante e com fortes dores abdominais.

Um fato inusitado é que o veículo onde Ronierbson estava na hora do acidente não teve nenhuma marca de sangue.

A Controladoria Geral de Disciplina dos Órgãos de Segurança Pública e Sistema Penitenciário (CGD) instaurou procedimento disciplinar referente à denúncia citada.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Torcida tricolor recebe Fortaleza de Ceni com festa e comemora título com carreata pela capital

As ruas de Fortaleza foram tomadas por um mar branco, azul e vermelho na tarde deste domingo (11). Isso porque jogadores e comissão técnica do Tricolor do Pici desembarcaram na capital cearense às 15h (horário local) e se juntaram à carreata da torcida.

Com ponto de partida no Aeroporto Velho, a comemoração do título de campeão da Série B do Campeonato Brasileiro seguiu até a Avenida Beira-Mar, onde a delegação se apresentou a um jantar, na churrascaria Rascos.
Durante o percurso, muita festa tricolor e carinho da torcida. A delegação foi recebida com fogos e faixas. Centenas de torcedores puderam soltar o grito de campeão junto com a equipe, que faturou a taça em uma partida fora de casa, contra o Avaí. Foram homenageados jogadores que fizeram uma grande campanha com o clube, como Diego Jussani e Gustavo. Ceni desistiu de ir a São Paulo para comemorar em Fortaleza e foi recebido com muito carinho pela torcida.

O Jogo do Título

No último sábado, 10, o Leão venceu o Avaí por 1 a 0 e garantiu o título da Série B. Um feito inédito na história clube – que fez 100 anos no último dia 18 de outubro – e do futebol cearense, que até então só tinha títulos nacionais na Série D, com Ferroviário (2018) e Guarany de Sobral (2010).

O gol da vitória foi marcado no último lance do jogo, aos 49 minutos. Após contra-ataque fatal, Rodolfo recebeu na área, limpou na área e bateu no canto. Com o resultado, o Leão chegou aos 68 pontos, abriu nove pontos do vice-líder CSA, que empatou em 0 a 0 com o Atlético-GO, no estádio Rei Pelé, em Maceió.

Restando mais seis pontos em disputa, o Fortaleza não pode ser mais alcançado e agora jogará diante de sua torcida, na quinta-feira (15), as 17h15min (horário local), contra o Juventude, na Arena Castelão, na partida que marcará a entrega da taça de campeão da Série B.


Com informações: G1 Ceará

Rogério Ceni: permanência no Fortaleza não depende de fatores financeiros; conheça a proposta

A diretoria do Fortaleza já tem desenhado um plano para apresentar ao técnico Rogério Ceni quando for a hora: dois anos de contrato e dois aumentos salariais em 2019. O primeiro, até abril, colocaria os rendimentos dos atuais R$ 150 mil para R$ 200 mil; o segundo, quando a Série A tiver início, atingirá R$ 250 mil (números divulgados pelo jornalista Sérgio Ponte da Rádio O POVO/CBN). Para além de tais questões essenciais, o técnico seguirá responsável por diversos aspectos da modernização do clube – gramado, local de treinamento, alimentação, fisiologia, academia – como já foi desde a sua chegada.

A diretoria do Fortaleza mantém esperança na permanência de Rogério. O ex-goleiro admite que vai trabalhar onde estiver feliz e é justamente o caso da atual passagem do técnico pelo Pici. O fator financeiro não será essencial, a não ser que uma proposta estratosférica de fora do Brasil apareça. Ceni sempre foi um atleta acima da média no aspecto intelectual e tem patrimônio e investimentos suficientes para escolher onde vai trabalhar, independente do salário. Importa efetivamente o projeto e é o que ele tem dito para dirigentes do clube.

O Blog apurou que pessoas ligadas ao treinador trabalham a perspectiva de encaixe do técnico em times grandes do Rio de Janeiro, já que em São Paulo sua única porta aberta é justamente o São Paulo. No Sul, Inter (Odair Hellmann), Grêmio (Renato Gaúcho) e Atlético-PR (Tiago Nunes) indicam que seus técnicos atuais vão permanecer, situação também do Cruzeiro com Mano Menezes. O Atlético-MG, que tentou tirar o treinador no meio deste ano do Tricolor, surge como possibilidade.

Restando quatro rodadas para o fim da Série B, é fundamental que a decisão de Rogério seja tomada o quanto antes porque o trabalho da diretoria para a Série A já começou. A diferença da Série C para a Série B é muito menor do que a distância da Série B para a Série A.

 

Com informações: Blog Futebol do Povo

Roni, o Mascote Tutuba, do Ferroviário, morre em acidente de carro na Capital

Ronierbson Gomes e Silva, o homem responsável por dar vida ao Mascote Tutuba, nos jogos do Ferroviário, morreu no fim da noite desta segunda-feira (5), em Fortaleza. A informação foi confirmada, por telefone, pelo filho dele, Ronielerson Araújo.

Segundo ele, o pai voltava da comemoração do título da Taça Fares Lopes, conquistada pelo Ferroviário no domingo (4), quando o carro que dirigia colidiu contra um poste nas proximidades do Vila do Mar. Ronierbson teve um corte na cabeça e perdeu muito sangue. Ele foilevado ao IJF, onde permaneceu internado por todo o dia desta segunda-feira.

Ainda conforme Ronielerson, seu pai não conseguia urinar e os médicos tiveram que colocar uma sonda. À tarde, os rins pararam de funcionar e a equipe médica disse que o paciente teria de fazer uma hemodiálise. Porém, o quadro se agravou e ele veio à óbito no fim da noite desta segunda-feira (5).

A família não divulgou os detalhes do velório e do sepultamento. Segundo Ronierlerson, a diretoria do Ferroviário deve se pronunciar sobre o falecimento de Roni na manhã desta terça-feira (5) através de nota oficial.

Juba

Joaquim Neto, atual responsável por Juba, mascote do Fortaleza Esporte Clube, conversou com a nossa reportagem e lamentou profundamente a morte de Roni. Ele relembrou a alegria excepcional do amigo. “Ele era um cara com um carisma e simpatia gigantes, algo que contagia, não era à toa que o Tutuba era adorado por todas as torcidas”, conclui Neto.

Tutuba, do Ferrão e Juba, do Leão no Castelão Foto: Arquivo Pessoal/Joaquim Neto

Eles se conheceram em 2015, no jogo entre Ferroviário x Guarani de Juazeiro, no PV. No intervalo do jogo, Neto foi ao vestiário e deu palavras de apoio ao amigo que estava tenso, nervoso por sua estreia como mascote do Ferrão naquele jogo. Desde então, a amizade se fortaleceu e os dois, juntamente com outros mascotes do Brasil, nunca mais deixaram de se falar.

Tutuba

Ronierbson tinha 36 anos e há três ganhou espaço no coração de muitos torcedores cearenses. Sem roteiros ou planejamentos, Roni recebeu a difícil missão de levar alegria a um público específico: torcedores de futebol. Mais precisamente os do Ferroviário.

Sob a fantasia de Tutuba, mascote coral, Roni mostrava irreverência e colecionava “causos”  à beira do gramado nos jogos do Tubarão da Barra.

Roni topou assumir a identidade do Tubarão da Barra em 2015. E não pense que a função era feita só de alegrias. Requeria coragem para encarar o calor, força para carregar a fantasia e disposição para manter a energia da torcida lá em cima em todos os jogos. E tudo feito por amor ao time.

Juba, Vozão e Tutuba Foto: Arquivo Pessoal/Joaquim Neto

Tutuba tinha muitos fãs, chamava a atenção nas partidas e sempre estava fazendo algo divertido. O mascote já foi expulso de campo uma vez por tirar a camisa e já sambou no gramado. Em agosto deste ano, Roni relembrou em entrevista que no último jogo do Ferroviário contra o Treze-PB, o mascote resolveu  brincar com os bancos da Arena Castelão e foi alertado pelo árbitro.

“No último jogo, estava brincando muito, então o delegado da partida me chamou. Pensei que ia ser  expulso de novo, mas ele me tirou de um lado e me mandou para o outro, o lado vazio.  Então comecei a animar as cadeiras. Vazias. O jeito era animar elas. E o pessoal riu bastante”, comentou Roni na entrevista.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Fortaleza recebe o Paysandu com chances de selar o acesso à Série A

Os últimos dias foram de muita festa para os torcedores do Fortaleza. Os vários eventos em comemoração ao centenário do clube animaram tricolores nos quatro cantos da Capital com lembranças da história gloriosa e vencedora do clube. Mas falta, ainda, a “cereja do bolo”. Só uma vitória hoje, às 19 horas, contra o Paysandu, num Castelão lotado, será capaz de ampliar ainda mais a celebração leonina e tornar a festa completa.

O ato final da semana centenária do Leão do Pici terá público à altura da importância da partida, e com direito a quebra de recorde. Mais de 37 mil ingresso foram vendidos de forma antecipada, isso sem contar os cerca de 20 mil sócios-torcedores. Então, é certo que o jogo terá o maior público desta Série B do Campeonato Brasileiro, superando os 39.463 pagantes que presenciaram a vitória do próprio Fortaleza, por 1 a 0, sobre o Sampaio Corrêa partida que até hoje registrava o maior público da competição.

Além da comemoração pelos 100 anos, a euforia leonina é totalmente justificável pela importância da peleja de logo mais. Afinal, triunfo leva a equipe de Rogério Ceni aos 60 pontos e praticamente garante oficialmente o retorno à Primeira Divisão após 13 anos.

Se hoje a probabilidade de subida é de 99,7%, de acordo com o site Chance de Gol, especialista em estatísticas de futebol, um resultado positivo representa quase o fim de qualquer chance de fracasso. Mais que isso, uma vitória aumenta também a chance de conquista de título, que atualmente é de 79,3%.

Apesar do clima de festa, os jogadores estão cientes que a euforia não pode passar da arquibancada para o campo.

“Nosso grupo é experiente e está sabendo dosar esse nível de ansiedade. É um privilégio pra cada um de nós participar dos 100 anos e de um grande ano, mas isso de maneira alguma pode mudar nosso foco e nosso pensamento, que é totalmente no jogo contra o Paysandu. Esperamos sim fazer uma grande festa, mas só depois do jogo, comemorando com mais uma grande vitória”, disse o goleiro Marcelo Boeck.

Em relação ao time que atuou na última partida, o técnico Rogério Ceni deve promover apenas uma mudança: o retorno do atacante Gustavo ao comando de ataque no lugar de Éderson, que foi o titular contra o Oeste por uma opção tática do treinador.

Em situação totalmente quase oposta à do Fortaleza, o Paysandu tem grande necessidade de vitória para tentar escapar do rebaixamento. Sem vencer há cinco jogos, o Papão precisa do resultado positivo para sair da 18ª colocação e tentar terminar a 32ª rodada fora da Z-4.

Fortaleza

4-3-3: Marcelo Boeck; Tinga, Diego Jussani, Ligger e Bruno Melo; Felipe, Nenê Bonilha e Dodô; Marlon, Marcinho e Gustavo Técnico: Rogério Ceni

Paysandu

4-4-2: Renan Rocha; Maicon Silva, Diego Ivo, Fernando Timbó e Guilherme Santos; Renato Augusto, Willyam, Marcos Júnior e Pedro Carmona; Mike e Hugo Almeida. Técnico: João Brigatti

Local: Arena Castelão, em Fortaleza – CE

Data: 20/10/2018

Horário: 19 horas

Árbitro: Heber Roberto Lopes (SC)

Assistentes: Henrique Neu Ribeiro (SC) e Eder Alexandre (SC)

Com informações: O Povo

Morre o técnico e ex-jogador Argeu dos Santos

Morreu na madrugada desta quinta-feira (11) o técnico e ex-jogador do Ceará Argeu dos Santos. Ele lutava contra um câncer de próstata.

Desde 2015, Argeu lutava contra problemas de saúde. A informação foi confirmada por uma amiga próxima da família.

Argeu foi um dos maiores zagueiros da história do futebol cearense. Além de ter jogado no Ceará, o atleta passou, como treinador, por vários clubes do futebol local, conseguindo vários acessos e levando outros a finais de turno e campeonato, como Horizonte e Guarany.

Ele tinha 63 anos e chegou a se afastar do futebol entre 2014 e 2015 por problemas decorrentes de uma hérnia de disco, anormalidade na próstata e uma ferida na perna.

Biografia

Argeu dos Santos iniciou a carreira como jogador em 1972 pelo Vasco da Gama. Zagueiro técnico e de boa velocidade e marcação, logo chegou ao time titular ajudando o clube carioca a conquistar o título brasileiro de 1974. Após passagens pelo Vasco, Campinense e América de Natal, Argeu foi contratado pelo Ceará no início dos anos 1980 onde ajudou a conquistar o certame local de 1980, 1981, 1984 (marcou três gols no certame) e 1986. Após atuar pelo time Alvinegro, Argeu tem uma rápida passagem pelo Central de Pernambuco e Fluminense de Feira de Santana.

Nos anos de 1991 e 1992, Argeu se tornou ídolo do Fortaleza depois das conquistas do cearense. O atleta ainda vestiu as camisas do Ferroviário, Moto Club, Tiradentes/CE, 4 de Julho e encerrou a carreira no Quixadá em 1994.

Como treinador, Argeu dos Santos ficou conhecido como o “rei do acesso”, por ajudar muitos clubes do Interior a realizar conquistas. Trabalhou como técnico no Quixadá, Fortaleza, Ferroviário, Uniclinic, River do Piauí, Boa Viagem, Maranguape, Crateús, Central de Pernambuco, 4 de Julho, Botafogo/PB e Horizonte.

Um dos seus maiores trabalhos como treinador foi com o Horizonte em 2008. Com ele no comandado, o Galo realizou uma das suas melhores campanhas no certame local. Com um time formado por Jefferson, Izaquiel, Gilmak, Eusébio, Júnior Cearense, Raul, Léo Jaime e Stênio, o Horizonte chegou a decidir o 2º Turno com o Fortaleza. Primeiro jogo da final saiu 3 a 1 para o Fortaleza. No segundo o Galo venceu por 1 a 0. Na decisão nos pênaltis deu Tricolor pelo placar de 5 a 4.

Ceará, Fortaleza e Ferroviário divulgam nota de pesar pelo falecimento de Argeu dos Santos

O Ceará, clube onde Argeu se destacou notadamente, lamentou e decretou luto no clube por um dia.

“O futebol cearense perde um dos seus grandes símbolos e um pouco da sua memória”, trecho da nota ofical do Ceará Sporting Club”

Pelo Alvinegro, foi campeão estadual em 1984 e 1986. O retrospecto no Ceará Sporting Club, entre 1982 e 1988, foi de 269 jogos e 24 gols marcados.

Já o Fortaleza Esporte Clube, onde Argeu atuou no início dos anos 90, também demonstrou apoio.

“Fortaleza se solidariza com família e amigos de Argeu dos Santos, ao tempo que presta as condolências”

O Ferroviário, clube onde o ex-zagueiro não apenas atuou mas também foi técnico, também mandou a sua mensagem.

“O Ferroviário Atlético Clube lamenta profundamente o falecimento do ex-atleta e técnico Argeu dos Santos. Com toda uma vida dedicada ao futebol, Argeu foi um dos maiores zagueiros do futebol cearense e teve grande destaque como técnico no futebol local”.

Argeu dos Santos é velado na manhã desta quinta-feira, no Ginásio Joaquim Domingos Neto, do Horizonte Futebol Clube. O sepultamento acontece no Cemitério Municipal de Horizonte.

Em 2016, Argeu lembrou ao Diário do Nordeste o dia em que enfrentou Romário no Castelão, 30 anos antes. Assista:

Com informações: Diário do Nordeste

Futebol cearense tem três dos cinco maiores goleadores do Brasil em 2018

Os centroavantes dos três principais clubes do futebol cearense ocupam um lugar de destaque na tabela de goleadores do Brasil na atual temporada. Dos cinco jogadores que mais balançaram as redes no País em 2018, até a virada de julho para agosto, três atuam por aqui.

O topo da lista é ocupado por Gustavo, que já marcou 22 gols este ano pelo Fortaleza. E a conta já poderia ser maior, se o jogador não tivesse machucado o antebraço e ficado os últimos 40 dias longe dos gramados. Foram 16 gols marcados no Campeonato Cearense e seis na Série B do Campeonato Brasileiro.
O segundo colocado na lista não joga no futebol cearense, mas é um velho conhecido do Estado: Cassiano, ex-Fortaleza, que marcou 20 gols pelo Paysandu em 2018. Quem fecha o pódio é Edson Cariús que, ao todo, balançou as redes 20 vezes na temporada. Foram 11 gols pelo Ferroviário e 9 pelo Floresta, equipe onde disputou o Campeonato Cearense e Copa do Brasil este ano.
O quarto colocado também já vestiu a camisa do Tricolor do Pici: Neto Baiano, que anotou 19 gols pelo CRB no ano.
Fechando o TOP está o atacante Arthur, fez 18 gols pelo Ceará, atuando por quatro competições diferentes: Série A, Copa do Brasil, Copa do Nordeste e Campeonato Cearense. Arthur tem o mesmo número de gols que Neilton, do Vitória.
Juntos, Gustavo, Arthur e Edson Cariús respondem por 60 gols na temporada. Uma média de 20 gols para cada atleta.
Com informações: Bruno Balacó / O Povo