Presidente do PSDB revela um dos prefeitos “infiéis” a General Theophilo

O presidente estadual do PSDB, Francini Guedes, afirmou que Jaguaribara, no vale do Jaguaribe, é onde fica uma das prefeituras que se insere na crítica do candidato General Theophilo (PSDB) sobre infidelidade partidária. O município – de onde Guedes é ex-prefeito – é  administrado pelo prefeito Joacy Junior (PSDB), conhecido como Juju. Questionado, não quis citar outras regiões do estado.

Theophilo disparou na última segunda-feira, 17, contra tucanos que naturalmente deveriam lhe prestar apoio, mas não o fazem porque estariam vendidos para a situação em troca de obras nas cidades. Na oportunidade, ele não citou quem seriam os infiéis. A declaração foi dada em evento de campanha do deputado federal Raimundo Gomes de Matos (PSDB), que tenta reeleição.

Além de Jaguaribara, o PSDB elegeu outros 14 prefeitos nas seguintes cidades: Aracoiaba, Barbalha, Barro, Capistrano, Carius, Coreaú, Cruz, Deputado Irapuan Pinheiro, Horizonte, Itapipoca, Jaguaribara, Morrinhos, Paracuru, Paraipaba e Trairi.

Em reação ao comentário, o governador Camilo Santana (PT) disse que processará o militar. Segundo o petista, Theophilo “só anda mentindo nesta eleição” .

Semana de tensões

Além desta,  tucano e  petista protagonizaram outro “embate”.  Na última terça-feira, 18,  PSDB entrou com representação pedindo a cassação da chapa de Santana, Izolda Cela e Cid Gomes (PDT) com base em delação de Wesley Batista, da JBS.  Abordado sobre o assunto o governador disse que não iria “nem iria comentar”.

Com informações: Blog de Política O Povo

PPS deve expulsar prefeito de Groaíras por infidelidade partidária

O PPS do Ceará decidiu, nesta sexta-feira, em sua sede, durante reunião da executiva estadual, expulsar dos seus quadros o prefeito de Groaíras, Wellington Vasconcelos. O motivo é um só: infidelidade partidária.

Segundo o presidente regional da legenda, Alexandre Pereira, Wellington havia fechado compromisso de apoiar nomes do PPS para cargos proporcionais, mas, na prática, fechou com nomes de outras legendas.

“Esse tipo de atitude não admitimos. Havia acerto com o prefeito, único que temos no partido, e ele descumpre sem dar qualquer satisfação. Infidelidade a gente resolve com expulsão”, afirmou Alexandre Pereira.

A oficialização da medida passará, no entanto, pelo Conselho de Ética, onde o prefeito deve apresentar sua defesa.

Com informações: Eliomar de Lima

TRE: Erasmo Gomes é acusado de infidelidade partidária e pode perder o cargo de vereador

A Procuradoria Regional Eleitoral do Ceará remeteu ao Tribunal Regional Eleitoral – TRE/CE representação formal cobrando a cassação do mandato eletivo do Vereador de Camocim, Erasmo Gomes, por ato de infidelidade partidária.

Erasmo desfiliou-se do Partido da República (PR) e ingressou em julho deste ano ao Partido Social Liberal (PSL), a mesma sigla que concorre Jair Bolsonaro à presidência da república. Com a mudança, o vereador se tornou pré-candidato a Dep. Federal nas eleições de outubro deste ano.

O relator do caso no TRE-CE, o Juiz Alcides Saldanha Lima, mandou intimar as partes para se manifestarem sobre o caso.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o Vereador Erasmo Gomes fala sobre o caso. O parlamentar garante que sua saída do PR foi devidamente comunicada no prazo e diz possuí carta de anuência do Diretório Estadual do partido validando sua desfiliação. Ele acusa o suplente Sidney O Bola, que é chefe do diretório municipal do PR em Camocim, de tentar cassar seu mandato e assumir em sua vaga.

Já Bola considera haver um mal entendido e nega as afirmações do Vereador do PSL e, reforça que apenas realizou ato de ofício mediante determinação da Procuradoria Regional Eleitoral e TRE. O tribunal colegiado irá decidir através de Processo Judicial. O desfecho é incerto.

Importante: Na questão acima existem dois interessados na vacância da cadeira e que podem requerer o mandato, são eles: o Partido e o Suplente.

Com informações: Camocim Portal de Notícias / André Martins