André diz que PT foi “irresponsável e safado” ao afirmar que PDT pediu cargos para apoiar Haddad

O presidente estadual do PDT, André Figueiredo, aumentou ainda mais a sua zanga (pra não dizer repugnância) para com o PT. Trata-se de uma reação ao que, segundo o Estadão, “petistas graúdos” relataram à jornalista Andreza Matais que o PDT teria pedido a Casa Civil, o Planejamento, o BNB, a presidência do Senado para Cid Gomes e mais um ministério para Carlos Lupi em troca do apoio à candidatura de Fernando Haddad.

Leiam a seguir o que André, que foi ministro das Comunicações de Dilma Rousseff (PT), disse ao Focus.jor  a respeito: É o PT sendo PT, né? Nunca aconteceu. A gente não ia pedir nem sequer a vaga de porteiro do Palácio do Planalto. Estamos assumindo a responsabilidade de não pregar a neutralidade por conta de que a eleição de Bolsonaro será uma tragédia. O PT cada vez mais mostra realmente a sua verdadeira face. Espalhar essa notícia absolutamente… é… eu não sei nem o termo que utilize. Irresponsável, safado. Isso mostra bem a índole de alguns que fazem o PT. Se entregassem todo o Ministério o PDT não aceitaria. O PDT tem outro projeto, que não é do PT. Todas essas colocações apenas mostram o que realmente esse partido fez com o Brasil e que leva o País aos braços de Bolsonaro. Lamento muito ver essas notícias colocadas na imprensa. O PDT não exigiu a vaga de porteiro da garagem do Palácio do Planalto para declarar apoio crítico. Se viesse todo o ministério o PDT não aceitaria porque o nosso projeto é bem diferente do projeto do PT.

Ciro não sobe no palanque de Haddad, sai de férias e PDT projeta seu nome para 2022

Ao sair do encontro do PDT que definiu “apoio crítico” do partido a Fernando Haddad (PDT), o presidente nacional da sigla, Carlos Luppi, reafirmou que o projeto é lançar a candidatura de Ciro Gomes nas eleições presidenciais de 2022. Segundo o presidente do PDT, “a partir de agora”, o partido “está decidindo lançar a candidatura Ciro 12 em 2022”.

Ciro não quis falar com a imprensa na saída do encontro do PDT. Segundo uma fonte, a ideia é não se expor para não ligar seu nome ao de Fernando Haddad, ratificando a posição de independência do pedetista. Lupi informou que Ciro não fará campanha para Haddad e não subirá no palanque do petista. Para ficar ainda mais distante da disputa do segundo turno, Ciro planeja sair de férias com a família e só retornar ao Brasil para a votação do segundo turno.

Com informações: Fábio Campos/Focus

Partido de Ciro Gomes anuncia apoio a Haddad contra “derrocada da democracia”

Está definido mais um apoio ao candidato do PT, Fernando Haddad. O maior detentor de votos além dos dois candidatos no segundo turno, o PDT de Ciro Gomes anunciou na tarte dessa quarta-feira, 10, um “apoio crítico” ao petista no segundo turno.

O apoio era quase certo, já que o presidenciável Ciro Gomes havia falado, logo após a apuração dos votos confirmar disputa em segundo turno, que não apoiaria Jair Bolsonaro (PSL) – a quem se referiu durante a campanha como “Hitlerzinho tropical”.

Já o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, afirmou no mesmo dia que o partido “jamais” apoiaria o capitão da reserva. No primeiro turno, Ciro recebeu mais de 13 milhões de votos e foi terceiro colocado no pleito.

Confira a nota divulgada pelo PDT em seu site:

A Executiva Nacional do PDT reunida nesta quarta-feira na sede nacional do partido, em Brasília, declara seu apoio crítico à candidatura de Fernando Haddad para evitar a vitória das forças mais reacionárias e atrasadas do Brasil e a derrocada da Democracia.

Com informações: Blog de Política O Povo

PT convida Ciro para campanha de Haddad

Para tentar atrair o apoio de Ciro Gomes (PDT), que terminou as eleições em terceiro lugar, com 12% dos votos, o PT propôs ao ex-governador do Ceará integrar o comando da campanha de Fernando Haddad.

O petista enfrenta no segundo turno o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL), que obteve 46% dos votos válidos no último domingo ante 29% de Haddad e larga com vantagem na etapa final da disputa.

O convite a Ciro foi feito às vésperas de reunião do PDT que deve anunciar a posição do partido no segundo turno presidencial.

O CANDIDATO se reuniu com governadores do PT DIVULGAÇÃO
Haddad se reuniu com governadores do PT

O senador eleito pela Bahia e novo articulador político da candidatura de Haddad, Jaques Wagner, ligou pessoalmente para o pedetista na última na segunda-feira para tratar de apoio na briga pelo Planalto.

A cúpula do PDT se encontra hoje em Brasília, com a participação de Ciro e de outros dirigentes. Presidente da legenda, Carlos Lupi já declarou que a sigla brizolista deve firmar um “apoio crítico” ao PT.

Ontem, Haddad fez novo aceno a Ciro ao garantir que poderia adotar pontos do programa do ex-candidato, como o que facilita o financiamento de dívidas, batizado popularmente de “SPCiro”.

Em coletiva de imprensa transmitida pelas redes sociais nessa terça, o petista voltou a afirmar que as diretrizes dos planos de governo de Ciro e do PT “são as mesmas” e que não há grandes divergências entre os dois projetos de País.

“Nós defendemos a soberania popular, nacional, e eles também. Não há muita dificuldade em dar um passo adiante”, disse Haddad.

O presidenciável então acrescentou: “Aproveito aqui para mandar um abraço ao Ciro, um democrata que se comprometeu em lutar contra o fascismo”.

As declarações foram dadas logo depois de encontro fechado entre o ex-prefeito de São Paulo e o grupo de governadores do Nordeste reeleitos no primeiro turno.

Participaram da reunião de estratégia os correligionários Camilo Santana (Ceará), Wellington Dias (Piauí) e Rui Costa (Bahia), do PT, e o comunista Flávio Dino (PCdoB), chefe do Executivo do Maranhão.

Defensor de mais flexibilidade na campanha de Haddad a fim de acomodar o maior número de aliados, Camilo afirmou que irá conversar com Ciro sobre eventual apoio ainda nesta semana.

“Pelo que conheço do Ciro, um homem que sabe o momento difícil que o Brasil está vivendo, acredito que ele irá se posicionar”, respondeu.

Eleito com 79% dos votos, o maior percentual do Brasil, o governador cearense assinalou ainda que o Brasil precisa de diálogo.

“No Ceará, demos um exemplo disso: convidar todos os segmentos para discutir. Tive voto de pessoas que jamais votariam no PT, mas votaram em mim.”

Camilo destacou também a necessidade de que Haddad faça uma autocrítica em relação aos erros do partido nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba, e de Dilma Rousseff, apeada do poder em 2016.

“O governo da presidenta Dilma teve muitos erros na área econômica”, avaliou. “É preciso superar. Coloquei lá atrás que o PT precisa se reinventar e buscar suas origens nas bases sociais, das quais se distanciou a partir do momento em que foi para o poder.”

Com informações: O Povo

PDT e PT definem voto em Cid Gomes para o Senado e liberam filiados para escolher 2º postulante

Duas das principais legendas que dão sustentação à coligação encabeçada pelo governador Camilo Santana, o PT e o PDT definiram voto no candidato Cid Gomes (PDT) para o Senado e liberaram os filiados para votarem no postulante de sua preferência para a segunda vaga em disputa. Isso faz com que muitos membros da base aliada optem por nomes que não fazem parte do bloco governista.

De acordo com pesquisa Ibope encomendada pela TV Verdes Mares, divulgada pelo Diário do Nordeste na segunda-feira, 24, as intenções de voto em branco ou nulo são de 12% para a primeira vaga e 21% para a segunda. Cid Gomes soma 64% das intenções de voto e Eunício Oliveira (MDB), em segundo lugar, tem 39%. Eduardo Girão (PROS) vem depois, com 10%, seguido por Dra. Mayra (PDSB), com 9%. Os demais postulantes alcançam até 3%.

O presidente estadual do PDT, deputado federal André Figueiredo, afirmou ao Diário que o partido não indicou voto para a segunda vaga ao Senado. “Não existe definição sobre quem será a segunda vaga e está todo mundo liberado”, ressaltou.

O presidenciável Ciro Gomes (PDT), em entrevista ao Diário em agosto passado, informou que seu candidato ao Senado era o irmão, Cid Gomes, e que estaria em busca de outro nome para a segunda vaga. O pedetista ainda não definiu o segundo voto ao Senado, mas não seguirá orientação de Camilo, que apoia a reeleição de Eunício.

Com informações: Diário do Nordeste

‘Não sou favorito, mas a eleição está aberta’, diz Ciro em Duque de Caxias (RJ)

Em visita a Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, onde cumprimentou pessoas em uma praça do centro na manhã desta terça-feira (25/9) o candidato do PDT à presidência da República, Ciro Gomes, deu pouca importância ao resultado da pesquisa Ibope/Estado/TV Globo de intenções de voto para presidente divulgada na segunda-feira (24/9). Neste levantamento, ele aparece em terceiro lugar, com 11% das intenções de voto, a metade do índice alcançado por Fernando Haddad (PT), de 22% das preferências.

“A eleição está aberta”, afirmou, questionando também os resultados dos institutos de pesquisa. “Vamos pegar o passado para não parecer que é candidato se queixando de resultado de pesquisa: dia 23 de setembro de 2014, mais ou menos neste dia da eleição passada, o Ibope dizia que a Dilma tinha 37% (das intenções de voto), a Marina tinha 32% e o Aécio, 19%. Como todo brasileiro sabe, o resultado foi completamente diferente disso”, afirmou.

“Isso tem duas razões. Primeira: o povo não decidiu ainda. Nós ainda temos três debates fundamentais, nas três emissoras (de TV) de maior audiência. Segunda: dia 29 você terá manifestações importantes de mulheres, que são a maioria do eleitorado e tendem a influenciar muito o voto. Cinquenta e um por cento das mulheres, que são 52% do eleitorado, não decidiram o voto ainda. Portanto, a eleição está aberta”, afirmou.

“Isso quer dizer que eu sou favorito? Não, eu nunca fui. Vamos ter clareza, eu não entrei nisso porque era favorito. Entrei nisso porque a gente precisa dar ao povo brasileiro (uma opção)”, afirmou Ciro, que lançou dúvida sobre a idoneidade dos institutos de pesquisa: “Neste país se compra e se vende até deputado. Será que os institutos de pesquisas estão imunes ao poder avassalador do dinheiro e da corrupção?”

O candidato do PDT acredita que o panorama eleitoral pode mudar até outubro: “As pesquisas são um retrato do momento, mas nenhuma nação do mundo civilizado dá aos institutos de pesquisa o direito de escolher por nós o nosso destino. Acredito muito que o povo vai tirar esses últimos dias (antes da eleição) para pensar. Será que o Brasil está obrigado a escolher entre o ‘coisa ruim’ (referência ao candidato do PSL, Jair Bolsonaro) e a volta do PT?”

“Será que o país aguenta esse nível de ódio na política? Quando a Dilma ganha a eleição por quase nada e o Aécio se nega a reconhecer o resultado, se cria a ambiência para destruir a economia. Quem está pagando muito caro por isso é a população mais pobre. Nós temos a chance de criar um caminho novo para o Brasil”, afirmou Ciro.

Petróleo

O candidato pedetista criticou os leilões para exploração dos poços de petróleo no Brasil: “Pitorescamente, para não dizer canalhamente, entregamos o petróleo brasileiro, a pretexto de privatizar, para uma estatal da Noruega. Vamos ver quem é sério, quem é inteligente: o Brasil, que tem petróleo para dar e vender, ou a Noruega, que vem aqui com a estatal dela e compra o nosso petróleo? Evidentemente que os canalhas que nos governam estão levando algum por trás para entregar a riqueza do povo brasileiro aos estrangeiros”, afirmou.

A visita a Duque de Caxias, que consumiu cerca de 40 minutos, foi o único compromisso de Ciro no Estado do Rio nesta terça-feira.

Com informações: Correio Braziliense

Em Marco, Cid diz que Camilo é uma “pedra preciosa”

O candidato do PDT ao Senado, Cid Gomes, participou de um grande comício na cidade de Marco, na Região Norte, na noite deste domingo (23/09). Cid estava acompanhado do governador e candidato à reeleição, Camilo Santana, da vice-governadora Izolda Cela e do prefeito do município, Roger Aguiar.
No discurso, Cid fez elogios ao governador. “O Camilo é uma pedra preciosa. É um jovem talentoso, competente e humilde. O Ceará deve muito ao Camilo por esses três anos e meio que ele está à frente do estado”, disse.
Cid aproveitou e pediu votos para o irmão. “O Ciro é a oportunidade da gente colocar no lugar mais importante do Brasil, que é a presidência do Brasil, uma pessoa que conhece o Ceará é que quer com o seu trabalho fazer com que os cearense tenham uma vida melhor”.
O governador Camilo Santana destacou as ações realizadas em seu governo e que beneficiaram não só o município, mas todo o Ceará. “Nós ampliamos o programa de carteira popular para carro e o motociclista que tira carteira de motorista recebe o capacete de graça. Nós vamos voltar com o Cartão Mais Infância, pois identificamos que mais de 60 mil mães no Ceará ainda vivem em dificuldades para dar uma alimentação necessária e uma vida melhor para seus filhos”, afirmou o governador.
Milhares de moradores de várias cidades da Região Norte assistirem ao comício. Lideranças, políticas, apoiadores e militantes encheram as ruas de Marco de alegria, com a certeza da vitória dos candidatos da coligação “Por um Ceara cada vez mais forte”.

‘Brasileiro precisa se vacinar contra o momento fascista’, diz Ciro

Após esclarecimentos da ex-esposa Patrícia Pillar, o candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, disse, na tarde desta sexta-feira (21/9), que o brasileiro precisa “se vacinar” nesses últimos 15 dias antes das eleições, porque ocorrerão todo tipo de “molecagem” e “canalhice”.  Ele atribuiu as notícias falsas ao “momento fascista” no qual vive a sociedade, representada por Jair Bolsonaro (PSL).
“As mulheres e mais pobres vão salvar nosso país do precipício do militarismo e fascismo. Minha ex-mulher, de quem sou separado e me transformei em melhor amigo, foi desrespeitada e nada tinha a ver com política. Vou me vingar disso protegendo o povo brasileiro, especialmente as mulheres contra o fascismo que o Bolsonaro representa”, criticou.
Ao lado do governador do Distrito Federal e candidato à reeleição, Rodrigo Rollemberg (PSB), Ciro caminhou pela área central do Núcleo Bandeirante. Antes de fazer um pronunciamento para os militantes que estavam no local, criticou o alto índice de violência contra as mulheres, a falta de representatividade delas no poder e a segurança pública do país.
“A maior homenagem que deve fazer as mulheres é dividir o poder com elas. A injustiça contra a mulher está se agravando. Por isso, se eu for eleito, metade dos meus ministérios serão dados a mulheres”, disse. E completou: “Me sinto envergonhado com o alto número de estupros registrado no último ano. O Estado tem que garantir que as medidas de proteção sejam executadas imediatamente pelo escrivão ou pelo delegado. Essa é a mudança na lei que vou fazer, além de aumentar a pena de feminicídio”.
O presidenciável afirmou que ainda que criará novas creches de tempo integral para que as mulheres mais pobres tenham onde deixar os filhos e ir trabalhar. “O país tem que garantir aquilo que está na regra: Mulher que faz o mesmo trabalho de homem tem que receber o mesmo salário. É preciso avançar e apoiá-las na luta pela vida. Eu vou aumentar o número de creches para crianças de 0 a 5 anos para garantir que elas deixem as crianças nos melhores cuidados para tentarem ganhar a vida”.
Ciro faz maratona no Nordeste: 5 estados em 2 dias
O candidato do PDT à Presidência, Ciro Gomes, volta ao Nordeste neste fim de semana em uma maratona de agendas com a missão de barrar o avanço do adversário Fernando Haddad (PT) sobre os eleitores da região. São cinco estados da região a serem visitados em dois dias: no sábado (22), Ciro visitará Salvador (BA) e a cidade de João Câmara (RN). No domingo (23), é a vez de Teresina (PI), Timon (MA) e Recife (PE).

Com informações: Correio Braziliense

PDT e PT: Pressão sobre apoio de Camilo aumenta

O empate entre Ciro Gomes (PDT) e Fernando Haddad (PT) na mais recente pesquisa Datafolha aumenta expectativas de correligionários sobre a disputa do eleitorado cearense pelos dois candidatos e também faz crescer a pressão do PDT e do PT no Estado sobre o governador Camilo Santana, petista apadrinhado pelos irmãos Ferreira Gomes, que, até o momento, não tem pedido votos para nenhum dos presidenciáveis.

O presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, acredita que Camilo, antes do pleito do dia 7 de outubro, confirmará apoio a Ciro Gomes. No entanto, o presidente estadual do PT, Moisés Braz, espera que o petista cumpra compromisso firmado durante Encontro de Tática Eleitoral, de apoio à candidatura da sigla à Presidência da República.

Pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira (14) mostrou que Haddad e Ciro estão empatados com 13% das intenções de voto. Carlos Lupi opinou que Haddad “já foi até onde poderia ter ido e, quando começar a artilharia pesada, ele começa a baixar”. Questionado se tal “artilharia” partiria de Ciro, o dirigente afirmou apenas que “as críticas, os questionamentos, a rejeição do PT, que seria de 62%, tudo isso fará com que ele pare de crescer”.

Lupi destacou, porém, que apesar de Ciro e Haddad estarem disputando vaga no segundo turno, os dois não são adversários diretos. “Nosso adversário é o pensamento que o (candidato Jair) Bolsonaro apresenta. Isso é um risco para a Nação, ruim para a democracia”. Ele disse ainda acreditar que, no momento certo, o governador tende a estar ao lado de Ciro Gomes. “Acho que é natural que ele fique com o Ciro. O Camilo é fruto da liderança do Ciro e do Cid no Ceará”.

Cobrança

Do outro lado, petistas exigem que o governador apoie, de forma incondicional, o nome de Haddad. De acordo com Moisés Braz, um voto fará toda a diferença no pleito deste ano, e o apoio no Ceará é importante para a candidatura petista. “O Camilo precisa dizer ao eleitorado que o candidato dele é o Haddad. É isso o que estamos cobrando”.

Para o dirigente, nos próximos dez dias a tendência é que Fernando Haddad ultrapasse os adversários na disputa, inclusive Ciro Gomes. No entanto, ele também destacou que o pedetista não é o adversário do PT, mas a direita, representada, segundo Braz, por Jair Bolsonaro (PSL) e Geraldo Alckmin (PSDB).

Com informações: Diário do Nordeste

Cid afirma que, se não votar, população abre espaço para os corruptos

Na noite desta quarta-feira (5/9), o candidato ao Senado pelo PDT, Cid Gomes, comentou a falta de interesse da população na política. “O pior dos mundos é não votar. O pior dos mundos é perder a fé. Porque é aí que os picaretas, os vagabundos, os corruptos é que vão reinar”, afirmou.
O discurso aconteceu durante a inauguração do comitê do candidato à reeleição para deputado estadual, Tin Gomes, em Fortaleza. O ex-governador fez elogios a Tin e disse que ele tem sido uma referência na Assembleia.
Estiveram presentes ao evento: prefeitos, lideranças políticas, militantes e apoiadores das candidaturas de Tin, Cid, Camilo Santana e Ciro Gomes.

Ciro diz que vai processar revista Veja

A revista Veja publicou na tarde desta sexta-feira, 31, reportagem acusando o candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes, de participar de esquema de corrupção durante governo de seu irmão Cid Gomes (2007-2015). Em nota, o presidenciável rebateu a matéria, chegando a dizer que irá processar “essa revista moribunda”, cujo público leitor “jamais teve o direito de saber a verdade”.

De título “O esquema cearense”, a matéria informa que Ciro Gomes tem lembrado os eleitores de que não é investigado pela Operação Lava Jato. “Mas a Lava Jato está no seu encalço”, diz o texto, que explica um suposto esquema em que Cid extorquia os irmãos Joesley e Wesley Batista, donos da JBS.

A matéria traz ainda uma entrevista com Niomar Calazans, ex-tesoureiro do Pros, partido em que Ciro e Cid foram filiados entre 2013 e 2015. Niomar afirma que “Ciro sabia e participava, com certeza”, do esquema.

No Facebook, o ex-ministro Ciro Gomes se manifestou repudiando a publicação, associando-a “ao baronato que sangra o povo brasileiro”. “Vou processar criminalmente essa revista moribunda e o tal entrevistado que está, flagrantemente, mentindo a serviço de interesses clandestinos, os quais irei descobrir”, alega.

O candidato também defende seu irmão, que está disputando vaga ao Senado Federal pelo PDT. “Cid é honrado e nunca se envolveu em nenhuma imoralidade, ilegalidade ou corrupção”, assegura.

Leia nota completa:

“A terceira geração de gângsteres que controla a revista Veja a serviço de interesses internacionais, associada ao baronato que sangra o povo brasileiro, mais uma vez forja uma calúnia contra mim. Nunca me envolvi em qualquer tipo de corrupção, ilegalidade ou imoralidade ao longo dos meus 38 anos de vida pública. Nunca respondi e nem respondo por nenhuma acusação moral, nem jamais tive meu nome envolvido em qualquer escândalo. Vou processar criminalmente essa revista moribunda e o tal entrevistado que está, flagrantemente, mentindo a serviço de interesses clandestinos, os quais irei descobrir.

Nas vésperas das eleições de 2010, como agora, a mesma revista inventou uma mentira ainda mais chocante, que foi na mesma hora desmentida pela Polícia Federal. Até hoje, quem se informa por essa desonesta publicação, jamais teve o direito de saber a verdade.

De igual leviandade é a tentativa sórdida de, mais uma vez, envolver Cid Gomes nesse processo de mentira. Cid é honrado e nunca se envolveu em nenhuma imoralidade, ilegalidade ou corrupção.”

Ciro Ferreira Gomes.

Com informações: Eliomar de Lima