Ciro diz que procura outro senador para votar no Ceará, além de Cid

Ciro Gomes, candidato do PDT à Presidência da República, acompanhado do prefeito Roberto Cláudio, visitou na manhã de hoje as obras de construção do Residencial Alto da Paz, no Bairro Vicente Pizón, em Fortaleza, como primeiro ato de campanha no Ceará, após a homologação do seu nome para disputar a chefia do Executivo Nacional.

Indagado, Ciro disse que está a procura de um segundo senador para dar o seu voto, no Ceará, pois o primeiro é Cid Gomes.

A obra do Residencial Alto da Paz, sob a responsabilidade da Prefeitura de Fortaleza, dentro do Programa Mina Casa, Minha Vida, está com 60% da sua primeira etapa efetivadas.  São  1.111 apartamentos, divididos em vários blocos de quatro andares cada um. Numa segunda etapa, serão construídos mais 317 apartamentos, de frente para o mar, com três quartos cada um,  novidade em todo o Programa Minha Casa, Minha Vida. A segunda etapa tem a participação do Governo do Estado.

Com informações: Edison Silva

Candidata ao Senado, Mayra terá como suplentes tucanos do Cariri e Quixadá

O PSDB definiu ontem os suplentes da médica Mayra Pinheiro (foto) na disputa pelo Senado. São eles o empresário do ramo da educação e liderança católica em Quixadá, José Nilson Ferreira, e o médico com atuação no Cariri, Rosemberg de Freitas.

A chapa é pura do PSDB. Com as indicações, fica definida a última composição majoritária que ainda faltava no Ceará. Mayra vai fazer dobradinha com o empresário Eduardo Girão, do Pros.

Com informações: Focus

PDT, MDB e Pros definem suplentes para o Senado; PSDB deve confirmar na quarta-feira, 8

A maioria dos partidos já definiu os suplentes que integrarão a chapa que concorrerá ao Senado Federal. PDT, MDB e Pros já têm nomes escolhidos para a disputa. O PSDB ainda deve escolher até quarta-feira, 8.

Como suplentes de Cid Gomes, o PDT indicou Prisco Bezerra e Julio Ventura. Bezerra é irmão do prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio. Ele foi sugerido pelo partido. Ventura é empresário e ex-secretário do Governo e da Prefeitura e amigo pessoal de Cid Gomes.

Para a suplência de Eunício Oliveira (MDB), que busca a reeleição, foram escolhidos Gaudêncio Lucena (MDB) e Edmilson Souza (PSD). Gaudêncio é empresário e ex-vice-prefeito de Fortaleza. Edmilson também é empresário e preside o PSD em Tauá.

Eduardo Girão (Pros) terá como suplentes o coronel reformado da Polícia Militar Plauto Lima (Pros) e Dr. Guimarães (Pros), que pertence à sigla na cidade de Sobral.

Com informações: Blog de Política O Povo

Ceará tem 6 candidatos a governador e 11 a senador, veja quem são

Com a recém-anunciada candidatura própria do PCO, sobe para seis o número de candidatos ao Governo do Estado. Agora, as legendas têm até o próximo dia 15 de agosto para registrar oficialmente os nomes escolhidos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Confira quem são os candidatos neste ano a governador e senador pelo Ceará:

PT – PDT

Governador: Camilo Santana (PT)
Vice-governadora: Izolda Cela (PDT)
Senador: Cid Gomes (PDT)
Senador: Eunício Oliveira (MDB) – aliança informal

PSDB-Pros

Governador: Guilherme Theophilo (PSDB)
Vice-governadora: Emília Pessoa (PSDB)
Senador: Eduardo Girão (Pros)
Senadora: Mayra Pinheiro (PSDB)
Psol-PCB
Governador: Ailton Lopes (Psol)
Vice-governadora: Raquel Lima (PCB)
Senador: Jamieson Simões (Psol)
Senadora: Anna Karina (Psol)
PSL
Governador: Hélio Góis (PSL)
Vice-governadora: Ninon Tauchmann (PSL)
Senador: Pedro Ribeiro (PSL)
Senador: Márcio Pinheiro (PSL)
PSTU
Governador: Francisco Gonzaga (PSTU)
Vice-governador: Reginaldo Araújo (PSTU)
Senador: Geraldo Magela (PSTU)
Rede
Senador: João Saraiva (Rede)
PCO
Governador: Mikaelton Carantino (PCO)
Vice-governador: Lino Almeida (PCO)
Senador: Alexandre Barroso (PCO)
Com informações: O Povo

Partidos cuidam da burocracia para o registro das coligações e candidaturas

Após o fim do período de convenções partidárias, encerrado, ontem, os partidos trabalham para organizar a burocracia exigida pela Justiça Eleitoral para o registro das coligações majoritárias para governador e senador e as coligações proporcionais para deputado federal e deputado estadual. Eles têm até o próximo dia 15 de agosto para registrar as suas candidaturas junto à Justiça Eleitoral.

A coligação em torno da disputa à reeleição do governador Camilo Santana (PT), da vice-governadora, Izolda Cela (PDT), e do candidato ao Senado, o ex-governador, Cid Gomes (PDT), foi formada com 16 partidos: PT, PP, PSB, PR, PTB, DEM, PDT, PCdoB, PPS, PRP, PV e PMN, PPL, Patriota, PRTB e PMB.

Já para as eleições proporcionais de deputado federal e deputado estadual, seguindo a “verticalização”, esses partidos se dividem em vários blocos. Para a disputa na Câmara Federal, o grupo governista estuda fazer três coligações. Uma com o Patriota, PPS e PRTB. Outra entre PDT, PTB, DEM, PSB, PPL e PRP. E uma última com PT, PP, PV, PR, PCdoB e PMN.

Para a disputa de vagas na Assembleia Legislativa, entre os partidos da base governista, o Patriota e o PMN deverão lançar chapa pura de candidatos e outros 4 blocos devem concorrer. Um deles formado com PPS, PRTB e PPL. Outro com PT, PV e PSB. Um terceiro com PDT, PP, PR, DEM e PRP e outra composição entre PTB e PCdoB.

Há ainda uma outra coligação majoritária com outros oito partidos da base governista, tendo como candidato à reeleição o senador, Eunício Oliveira (MDB). São eles: MDB, PSD, PSC, PHS, PRB, Podemos, Avante e Solidariedade. Essa coligação conta apenas com um candidato ao Senado, no caso, Eunício, que é apoiado pelo governador.

O MDB foi vetado da coligação majoritária de Camilo, em razão da candidatura à Presidência da República de seu principal aliado, Ciro Gomes (PDT), que faz oposição ao MDB. E os partidos dessa coligação deverão marchar juntos na disputa proporcional.

Enquanto isso, no campo adversário da disputa ao Governo do Estado, a coligação do candidato, general Guilherme Theophilo, é formada pelo seu partido, o PSDB, e o PROS, cada partido com um candidato ao Senado. Pelo PROS, o empresário Luis Eduardo Girão, e pelo PSDB, a ex-presidente da Associação dos Médicos do Estado, Mayra Pinheiro.

Para as eleições de vagas no Legislativo Estadual e no Legislativo Federal, o PROS e o PSDB vão lançar cada um uma chapa pura de candidatos, sem coligação com outros partidos.

Já o PSOL, que lançou o candidato a governador, Ailton Lopes, se coligou com o PCB na disputa majoritária, assim como nas eleições proporcionais marcharão juntos. O PSL, com o candidato a governador do Estado, Hélio Gois, está na disputa majoritária “sozinho”, diferente da eleição proporcional, em que aparece coligado com o DC. O outro candidato a governador do Estado, Francisco Gonzaga, do PSTU, não compõe aliança com outros partidos na majoritária e na proporcional e disputará sem coligação.

Com informações: Edison Silva

Todas as chapas estão definidas para as eleições no Ceará; veja os candidatos a Governo e Senado

A dois dias para o fim dos prazo para realização de convenções no Ceará, as chapas estão com candidatos definidos tanto para a disputa ao Governo do Estado quanto para o Senado. Agora, as legendas têm até o próximo dia 15 de agosto para registrar oficialmente os nomes escolhidos no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A legislação eleitoral prevê que os magistrados definam até o próximo dia 17 de setembro a validade de tais propostas.

PT-PDT

Cid Gomes, Camilo Santana e Izolda Cela

A convenção do PT ocorre na data limite para realização do evento. Contudo, conforme adiantou o blog do jornalista Eliomar de Lima, a chapa liderada por Camilo Santana (PT) será dividida com a atual vice-governadora, Izolda Cela (PDT). Ambos devem apoiar o companheiro de clã político e ex-governador do Ceará, Cid Gomes (PDT). O segundo nome defendido pela dupla é motivo de impasse. Desde o ano passado, o petista se aproximou de Eunício Oliveira (MDB), que busca a reeleição. Contudo, a aliança é vista com maus olhos por companheiros do próprio partido. Ainda assim, o partido decidiu não apresentar nome para o cargo legislativo e o apoio ao candidato emedebista deve ocorrer informalmente.

Governador: Camilo Santana (PT)
Vice-governadora: Izolda Cela (PDT)
Senador: Cid Gomes (PDT)   *Senador: Eunício Oliveira (MDB) * Aliança informal

PSDB-Pros

Emília com General Theophilo e Tasso. (Foto: reprodução/Facebook)

A oposição ao atual governador Camilo Santana traz a aliança firmada entre o PSDB e o Pros. Sob liderança do general Guilherme Theophilo (PSDB), a chapa ao Governo do Estado terá como candidata a vice a vereadora de Caucaia Emília Pessoa (PSDB). A aliança entre as duas legendas também traz nomes ao Senado Federal. O empresário Eduardo Girão (Pros) e a médica Mayra Pinheiro (PSDB) foram confirmados como candidatos no último domingo, 29.

Governador: Guilherme Theophilo (PSDB)
Vice-governadora: Emília Pessoa (PSDB)
Senador: Eduardo Girão (Pros)
Senador: Mayra Pinheiro (PSDB)

Psol-PCB

Ailton Lopes (Foto: Divulgação)

Escolhido no último sábado, 28, como candidato ao Governo do Estado, o bancário Ailton Lopes (Psol) irá formar chapa com a a militante do Partido Comunista Brasileiro (PCB), Raquel Lima, ligada a movimentos de ocupação. A aliança também terá candidatos das duas siglas em busca de vaga no Senado. Estarão na corrida o pastor protestante, militante de direitos da infância e adolescência e do movimento negro, Jamieson Simões (Psol), e pela professora Anna Karina (Psol).

Governador: Ailton Lopes (Psol)
Vice-governadora: Raquel Lima (PCB)
Senador: Jamieson Simões (Psol)
Senador: Anna Karina (Psol)

PSL

Confirmado como nome do PSL na disputa ao Governo do Estado, o advogado e professor universitário Hélio Góis (PSL) terá como vice a também advogada Ninon Tauchmann (PSL). A chapa pura terá ainda dois candidatos na disputa ao Senado, o pastor Pedro Ribeiro (PSL) e o médico Márcio Pinheiro (PSL).

Governador: Hélio Góis (PSL)
Vice-governadora: Ninon Tauchmann (PSL)
Senador: Pedro Ribeiro (PSL)
Senador: Márcio Pinheiro (PSL)

PSTU

Novamente tentando chegar ao Palácio da Abolição, o operário Francisco Gonzaga (PSTU) terá como vice Reginaldo Araújo (PSTU). A chapa pura também definiu Geraldo Magela (PSTU) como nome a disputar cadeira no Senado.

Governador: Francisco Gonzaga (PSTU)
Vice-governadora: Reginaldo Araújo (PSTU)
Senador: Geraldo Magela (PSTU)

Rede

A sigla não deve apresentar candidato ao Governo do Estado. Já para o Senado, o ambientalista João Saraiva (Rede) será homologado no evento.

Senador: João Saraiva (Rede)

Com informações: Igor Cavalcante/Blog de Política O Povo

Luizianne apresenta recurso por candidatura do PT ao Senado

A deputada federal Luizianne Lins, membro da Executiva Nacional do PT, assinou, junto com demais integrantes do partido no Ceará, um recurso que será apresentado nesta quinta-feira, 2, ao Diretório Nacional da legenda, em São Paulo, contra a decisão do PT local de não aprovar candidatura ao Senado.

Entre os argumentos redigidos no documento, estão a alta popularidade do ex-presidente no Ceará, e por isso a necessidade de um palanque, a crítica em relação aos interesses estritamente locais, em razão da negativa pela manutenção da vaga da sigla no Senado, e o apoio indireto ao senador Eunício Oliveira (MDB).

“Não podemos esquecer que o MDB de Temer, principal articulador do golpe juntamente com Eduardo Cunha, conspirou com o PSDB e executou o plano que derrubou o governo legítimo da nossa presidenta Dilma Rousseff, com voto favorável do senador Eunício Oliveira”, diz trecho do documento.

A decisão de não lançar nome do partido ao Senado, acaba abrindo caminho para reeleição do presidente do Congresso Nacional. Na base de Camilo Santana (PT) o assunto já é pacificado. O governador contra-argumenta a movimentação de reversão da decisão local em âmbito nacional ao ressaltar a decisão “democrática” que os delegados do PT no Ceará enfrentaram a situação.

“Todo mundo tem direito de questionar. Foi uma decisão tomada de forma muito democrática. 75% dos delegados estaduais aprovaram a resolução. Espero que a decisão da maioria democraticamente decidiu seja mantida”, declarou o petista.

De acordo com a deputada Luizianne, a estratégia recursal tem base em um entendimento nacional do partido de manter as vagas já ocupadas pela legenda. “Nesse recurso a gente vai estar recorrendo à instância do Diretório Nacional se possível ao Encontro Nacional que será no sábado, 4, para rever a decisão e lançar um candidato ao Senado do Partido dos Trabalhadores”, disse.

“E nós fazemos isso porque acreditamos que o partido não pode diminuir de tamanho. Nós temos uma vaga já de Senado, ocupada pelo José Pimentel, e acreditamos que essa vaga não pode sair do PT porque a orientação da Executiva do PT é nenhuma vaga a menos, e, além disso, que a gente amplie a possibilidade os espaços do PT na Câmara e no Senado”, acrescentou a ex-prefeita.

Com informações: Wagner Mendes / O Povo

Disputa pelo Senado no Ceará: Pesquisa aponta liderança de Cid Gomes

O ex-governador do Ceará, Cid Gomes (PDT), lidera a pesquisa estimulada quando se trata da 1ª opção de voto para o Senado. O pedetista pontua 43% das intenções de voto. Em 2º está o então presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), com 21% da preferência do eleitorado.

Intenção de voto para senador (1ª Opção)

Mayra Pinheiro será candidata do PSDB ao Senado Federal

Mayra Pinheiro confirmou no início da tarde desta sexta-feira, 27, que será candidata ao Senado Federal. Conforme antecipado por parte da imprensa, o nome da médica já era tratado como certo entre aliados. Ela formará chapa com o ex-presidente do Fortaleza, Eduardo Girão (Pros), que também busca assento no câmara alta do Congresso.

Mayra Pinheiro – (Foto: Divulgação)

O nome de Mayra ganhou força após a desistência do ex-senador Luiz Pontes, principal cotado para a vaga. Ele desistiu após pedido da família. Antes dele, o ex-governador do estado, Lúcio Alcântara, também havia negado convite.

Agora, a preocupação tucana é com a vice-governadoria. Conforme Mayra, é cogitado o nome do médico cardiologista Carlos Roberto Martins Rodrigues Sobrinho, conhecido por “Doutor Cabeto”.

A convenção da chapa PSDB-Pros será realizada neste domingo, dia 29, no ginásio da Faculdade Ari de Sá, na Avenida Heráclito Graça, às 9 horas.

Com informações: O Povo

Advogado criminalista tenta ser opção do PSDB ao Senado pelo Ceará

A desistência da ex-presidente do Sindicato dos Médicos, Mayra Pinheiro (PSDB), e do ex-governador do Lúcio Alcântara (PSDB) ao Senado pelo Ceará pode abrir caminho para o advogado criminalista e ex-presidente do Conselho Estadual de Segurança, Leandro Vasques, de 43 anos, que se filiou à sigla após deixar a titularidade do conselho.
Leandro Vasques disse que conversou com o senador Tasso Jeireissati (PSDB) sobre a possibilidade no final de 2017. Além disso, tem tido encontros com o presidente estadual do partido, Francini Guedes, e o deputado federal Danilo Fortes (PSDB) para tratar da possibilidade de se lançar.
Vasques coloca que as desistências de Mayra e Alcântara o fizeram se sentir instigado a colocar seu nome à disposição do partido. Enfatiza, entretanto, que não tem qualquer obsessão pelo cargo, já que não quer da política um meio de vida. Vasques diz que sua tentativa nasce do cansaço de ver a moral da política se derretendo.
A partir do comentário, o advogado foi questionado sobre os envolvimentos do partido em casos de corrupção a nível nacional – Aécio Neves, por exemplo, se tornou réu por obstrução de Justiça e corrupção, e o ex-governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo, foi preso neste ano por peculato e lavagem de dinheiro no mensalão tucano. “Os partidos do Brasil precisam sofrer um processo de amadurecimento. Aqueles que eventualmente do meu partido tiverem cometido irregularidades, paguem”, respondeu.
Se candidato, ele afirma que defenderá a flexibilização do porte de armas, o fim da reeleição para todos os cargos e redução do número de assessorias para 25% do que é hoje. Diz também que, aliado ao pré-candidato ao governo do Estado, Guilherme Theophilo (PSDB), adotará a Segurança Pública como um dos temas principais de campanha. “Se eu vier a participar, será a renovação de uma nova forma de fazer política (primeiro eixo). Segundo eixo, eixo principal, será o enfrentamento da violência urbana. O terceiro eixo será a saúde pública, que está crítica”, planeja.
Com informações: O Povo