Alcides Santos: De estádio a centro de excelência

O bucolismo do Estádio Alcides Santos, que tanto abrigou torcedores em suas arquibancadas ao longo de um século de história do clube, fará parte de um passado romântico do Fortaleza. O clube apresentou na tarde de ontem, o projeto que irá revirar o Pici de ponta cabeça tirando-lhe a aura do xodó da torcida, para transformá-lo em um centro de excelência do futebol.

O plano é ousado, pois vai causar surpresa a quem conhece o Alcides Santos no formato que hoje existe. Grande parte das arquibancadas será retirada. Será uma troca de concreto por grama. Onde há arquibancada vazia de torcedores, haverá novos campos de treinamento.

Três campos

Serão três campos integrados, com maior visibilidade interna entre os setores e os campos, de tal modo que a comissão técnica terá um Raio X do que acontece em cada um.

Os alojamentos Otoni Diniz e Ribamar Bezerra vão ceder lugar a um hotel moderno, com refeitório capaz de acolher 120 a 130 pessoas. Cada espaço é integrado a outro, como a academia – cujos novos equipamentos chegam em janeiro – é acoplada à fisioterapia.

“Temos que entender que o Estádio Alcides Santos não tinha mais como crescer e por isso tínhamos que tornar o local mais adaptado à preparação da equipe”, disse o diretor de patrimônio, Rodrigo Monteiro, que apresentou a maquete do centro de excelência junto com o segundo vice-presidente, Rolim Machado.

Tudo isso foi um pedido do técnico Rogério Ceni que, com os dirigentes e o arquiteto Darcy Pessoa, visitaram vários clubes, entre eles, São Paulo, Palmeiras, Atlético/PR, para ver como era o centro de excelência de cada um deles. “O Projeto da obra do centro de excelência está todo pronto, agora nos resta executar, buscando parcerias comerciais”, disse o 2º vice-presidente, Rolim Machado. O centro de excelência será construído entre quatro a oito meses, mas quando o Leão estrear na Série A, 70% das obras já terão sido concluídas.

Derley

O volante Derley é mais um atleta que renova contrato com o Fortaleza. Antes, havia sido o atacante Éderson. Enquanto isso, o Projeto Leão 100 homenageou na tarde de ontem, o volante Erandir, ídolo do clube nas Séries B e A.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *