Apenas 5 dos 25 parlamentares da bancada cearense em Brasília, comparecem à reunião com Bolsonaro

Em meio à insatisfações com a relação entre Executivo e Legislativo, apenas 5 dos 25 parlamentares cearenses – entre aliados e opositores – compareceram ao café da manhã com o presidente Jair Bolsonaro e a bancada nordestina, nesta quarta-feira (22).

Estiveram presentes os deputados federais Heitor Freire (PSL), Capitão Wagner(Pros), Roberto Pessoa (PSDB), Moses Rodrigues (MDB) e o senador Luis Eduardo Girão (Pros).

O coordenador da bancada cearense, deputado Domingos Neto (PSD), e outros parlamentares de partidos mais alinhados ao governo faltaram ao encontro.

Dias antes da reunião, porém, nem todos os parlamentares cearenses sabiam o que seria tratado. Eduardo Bismarck (PDT), por exemplo, reclama da falta de comunicação.

“Mandaram um e-mail para o nosso gabinete, uma coisa impessoal, e uma reunião com 150 pessoas? Se quisesse unir e pedir apoio da gente para alguma coisa, chamaria eventualmente as bancadas por estado ou por partido. A impressão que fiquei é que era para ficar batendo palma para o presidente”.

Embora seja do PDT, partido que faz oposição ao Governo Bolsonaro, Bismarck diz que a bancada “está querendo ajudar o país”, mas que o presidente não tem facilitado essa relação.

Já José Guimarães (PT) disse que o partido decidiu boicotar a reunião. O parlamentar critica a ausência de programas e projetos para o Nordeste diante do “arrouxo fiscal” implementado pelo governo.

“Ir conversar com o presidente se o Nordeste está parado, não tem investimento, as obras paradas. O Nordeste está sendo tratado, lamentavelmente, com pão e água. O Nordeste ativo, protagonista do passado virou o de ‘pires na mão’ em Brasília”.

Estratégia 

No convite enviado pelo Palácio do Planalto ao coordenador da bancada do Nordeste na Câmara, deputado Júlio César (PSD-PI), o Governo Federal expôs os pontos que seriam discutidos com os parlamentares. Primeiro deles a reforma da Previdência, depois a reestruturação da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (DNOCS) e a Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).

Além disso, estava na pauta a conclusão de obras como a Transposição do Rio São Francisco, a renegociação de débitos dos agricultores e “outros assuntos de interesse da Região”.

Apesar do governo estar em campanha para conquistar votos para aprovação da reforma da Previdência, a líder do governo no Congresso, deputada Joice Hasselmann (PSL-SP), destacou que o encontro foi um passo para a aproximação do governo com o Nordeste.

“Ouvimos sobre a demanda da região, há um consenso de que não se resolve o problema do Brasil sem resolver  o problema do Nordeste. A principal demanda foi infraestrutura como conclusão de estradas, geração de emprego e água nas regiões de Sertão. O presidente deixou claro que está voltado para as demandas do Nordeste. O presidente não tratou de reforma da Previdência”, negou.

A deputada confirmou a viagem do presidente para o Nordeste na próxima sexta-feira (24), a primeira dele para a Região depois de eleito. Jair Bolsonaro cumprirá agendas em Pernambuco e fará o lançamento do Plano de Desenvolvimento da Região.

Presentes

Moses Rodrigues (MDB), por outro lado, considerou a reunião proveitosa. Um dos potenciais aliados do Governo Bolsonaro na bancada cearense, o emedebista disse que o encontro foi importante para alertar o governo sobre pontos prioritários para a Região.

“Alguns estados, como o Ceará, a Paraíba e o Rio Grande do Norte pediram para que a Codevasf (Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba) tivesse mais atuação nesses estados. Pedimos para que o Governo Federal possa priorizar a Ferrovia Transnordestina, a Transposição do São Francisco e foi tratado também sobre a questão do incentivo à pesca”, listou.

Segundo Capitão Wagner (Pros), o Governo Federal deve lançar um pacote de ações dos diversos ministéros voltadas paro Nordeste.

“Foram apresentadas várias demandas, a questão do BNB, a questão do DNOCS, a questão da Transposição do Rio São Francisco. Está programada essa agenda paro o Nordeste e acho que, a partir dessa visita que ele vai fazer, a intenção é lançar um pacote de ações dos diversos ministéros voltadas pro Nordeste.

O coordenador da bancada do Nordeste na Câmara, Julio Cesar, disse que o presidente ouviu atentamente aos deputados sobre a proposta de revisão do Pacto Federativo.

“Nós queremos que seja dividido como era no passado, quando o IPI, IR representavam 51% e hoje representam um pouco mais de um terço das receitas da União. E nós queremos fazer essa revisão compartilhando, como o próprio presidente que tem compromisso de campanha de  fazer a revisão do pacto.”

Ainda segundo Julio, na próxima semana será marcada uma reunião com o ministro da economia, Paulo Guedes, para discutir detalhes do novo modelo de pacto federativo.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *