Apoio ao impeachment de Bolsonaro alcança 54% e aprovação de Moro vai a 57% após demissão

Acrise instalada pela saída de Sergio Moro do Governo Federal na última sexta-feira, 24, levou a um feito inédito na série histórica de pesquisas realizadas pela consultoria Atlas Político: a maioria dos entrevistados (54%) é favorável a um processo de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). As informações são do jornal El País.

Desde fevereiro, a aprovação do Governo vinha em queda diante da crise do coronavírus e do baixo desempenho econômico nesse período. Porém, a demissão do ministro mais popular de Bolsonaro afetou diretamente seu capital político: 64,4% responderam que desaprovam seu desempenho enquanto 30% o aprovam.

Enquanto isso, o ex-ministro Sergio Moro fortalece a sua imagem pública e vê sua aprovação chegar a 57%, índice que não alcançava desde a suspeição levantada sobre a sua atuação como juiz após o vazamento de mensagens de integrantes da força-tarefa da Lava Jato.

Mandetta e Sérgio Moro têm imagem fortalecida, segundo pesquisa

A pesquisa mostrou ainda que 68% dos entrevistados discordam da demissão de Valeixo por Bolsonaro enquanto 72% concordam com as críticas feitas por Moro ao presidente, como a alegação de tentativa de interferir politicamente em investigações da PF.

Troca de acusações

Na última sexta-feira, Moro deixou o Ministério da Justiça e da Segurança Pública fazendo graves acusações contra o presidente Jair Bolsonaro. (https://www.opovo.com.br/noticias/politica/2020/04/24/moro-anuncia-saida-do-ministerio-da-justica-e-deixa-governo-bolsonaro.html) Entre elas a de interferência nas investigações da Polícia Federal, com a exoneração de Maurício Valeixo da direção-geral da PF, a contragosto de Moro.

Horas depois, o presidente rebateu Moro acusando-o de mentir e negando intenção de interferir na PF. Ambos protagonizam uma guerra política em meio à crise sanitária mais grave do século que atingiu suas imagens públicas.

Pela primeira vez, Bolsonaro tem índices de rejeição maiores que o ex-presidente Lula (PT). Bolsonaro também tem menos popularidade que o ministro da economia Paulo Guedes, cuja aprovação só é menor que a de Mandetta e de Moro. Líderes políticos que se colocam como oposição, como por exemplo Lula e Fernando Haddad, não têm crescido em meio à crise.

Sobre a pesquisa

A pesquisa do Atlas Político foi realizada com 2.000 pessoas entre os dias 24 e 26 de abril. A margem de erro é de dois pontos percentuais. O Atlas Político é uma plataforma para inteligência de dados e engajamento político.

 

Com informações: O Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *