Após criticar Alckmin, Temer grava novo vídeo rebatendo Haddad: “Tome cuidado”

Após publicar dois vídeos nas redes sociais com pesadas críticas ao candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, o presidente Michel Temer (MDB) lançou agora há pouco nova gravação com ataques a outro presidenciável. Desta vez, o alvo dos ataques é o candidato do PT, Fernando Haddad.

No novo vídeo, divulgado na página oficial de Temer no Twitter, o presidente “recomenda” que o candidato do PT pare de o chamar de golpista e de criticar a reforma trabalhista. “Na Constituição está escrito que, quando um presidente é impedido, o vice constitucionalmente assume”, diz. “O que acontece é que hoje ninguém quer cumprir lei, querem fazer o que você está fazendo”.

O presidente critica ainda tese de Haddad de que a reforma trabalhista tenha retirado direitos de trabalhadores. “Esses direitos estão na lei maior, na Constituição Federal. Ao fazer a reforma fizemos foi oportunidade de emprego. Só neste ano foram 448 mil carteiras assinadas”, diz. Ao final, Temer deixa um recado para o candidato: “Tome cuidado”.

Sobre Alckmin

O presidente Michel Temer (MDB) fez nesta quarta-feira o seu mais duro ataque ao presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB).

Em vídeo divulgado nas redes sociais, o emedebista acusa o tucano de veicular “falsidades” na campanha eleitoral.

“Geraldo Alckmin, candidato a presidente da República. Me dirijo a você pelas falsidades que você tem colocado no programa eleitoral e eu não posso silenciar em homenagem ao povo brasileiro”, disse Temer.

Em seguida, o presidente menciona ministros do seu governo integrantes de partidos que fazem parte da base do ex-governador de São Paulo na disputa pela Presidência.

“Você diz que a educação foi um desastre. Pois você sabe quem foi o meu ministro da Educação?”, pergunta Temer, dirigindo-se a Alckmin.

“É o Mendonça Filho, que é do DEM, um partido que apoia a sua candidatura. E o Mendonça fez um belíssimo trabalho.”

O chefe do Executivo continua: “Você fala mal da saúde, como se a saúde fosse um desastre. E está com PP, um partido que apoia a sua candidatura, teve três ministérios, continua com três. E ele, Ricardo Barros, também fez um belo trabalho. E você critica indevidamente”.

Temer cita ainda o titular da Indústria e Comércio, Marcos Pereira, do PRB, “que apoia a sua candidatura”, “estava no meu governo e agora é base de apoio a sua candidatura”.

“Você fala em desemprego”, acrescenta o emedebista. “Você sabe quem conduziu o Ministério do Trabalho? O PTB, que apoia a sua candidatura e está na base do meu governo. E se você vier a ganhar a eleição, essa base será a sua base governamental.”

O presidente finaliza o vídeo, que tem menos de dois minutos e, até as 23h30min desta quarta, tinha sido retuitado mais de 3 mil vezes, pedindo ao candidato ao Palácio do Planalto para que não atenda a marqueteiros.

“Eu me lembro, Geraldo, quando você foi candidato a governador, candidato a presidente, nas vezes que te apoiei para esses cargos”, segue Temer, “acho que você era diferente. Não atenda o que dizem os seus marqueteiros”.

E conclui: “Atenda apenas a verdade. E a verdade significa que nós fizemos muito por essas áreas, conduzidas por aqueles que hoje apoiam a sua candidatura”.

Num segundo vídeo, de 1min18s, postado também hoje, Temer menciona ministros tucanos nomeados por ele, como José Serra(Relações Exteriores), Bruno Araújo (ex-Cidades) e Antonio Imbassahy (ex-Secretaria de Governo).

Na sequência, desfere novo ataque: “O PSDB apoiou o meu governo. Não faça como aqueles que falseiam e mentem para conseguir votos influenciados por marqueteiros. Seja realista. Conte exatamente a verdade”.

Com informações: Blog de Política O Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *