Banco Mundial apresenta relatório sobre êxitos do Governo do Ceará na educação

Integrantes do Banco Mundial apresentaram nesta segunda-feira (10), na sede da Vice-Governadoria, um relatório sobre a experiência do Ceará na educação básica. O documento foi compartilhado com membros da instituição internacional e com técnicos da área que compõem o Governo do Ceará. A vice-governadora Izolda Cela participou do encontro e explicou as principais reformas implantadas no Ceará, com foco nos municípios, para atingir os bons resultados na área.

O estudo aponta quatro pilares para a evolução dos índices no Ceará: incentivo para os municípios atingirem bons resultados, assistência técnica à rede de ensino fundamental, autonomia das gestões municipais para implementar suas políticas de educação e, por fim, sistema robusto e confiável de avaliação.

Política de Estado

“Fomos ganhando crédito pouco a pouco e os municípios perceberam que, se fizesse bem feito, teriam apoio, incentivo e reconhecimento, independentemente de qual partido fossem ou de qual grupo político pertencessem”, disse a vice-governadora.

Entre os destaque apontados pelo relatório para a eficácia da educação no Ceará está a reforma na divisão da cota-parte do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que, a partir de 2007, passou a ser transferido aos municípios de acordo com resultados nas áreas da saúde, meio ambiente e educação, tendo essa última maior peso.

Iniciativas como o Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic) e o monitoramento tomando como base o Sistema Permanente de Avaliação da Educação Básica do Ceará (Spaece) também foram exaltados na avaliação do Banco Mundial.

Modelo municipal

Parte do modelo implantado no Ceará surgiu quando Izolda Cela era secretária da Educação de Sobral. Atualmente, a cidade acumula resultados na educação que são exemplos internacionais.

“O Ceará quebra um determinismo socioeconômico, mostra nossa capacidade de promover mudanças mesmo com o contexto adverso que enfrentamos. Acho bacana também que já atravessamos muitas eleições municipais, com altos índices de mudanças nas gestões, mas os resultados na educação não mudam, o que sinaliza que é uma política de Estado”, ressaltou Izolda.

De acordo com André Loureiro, economista sênior do Banco Mundial, a ideia do encontro foi, além de validar o relatório, prospectar a replicação do sistema adotado no Ceará. “Em abril, queremos voltar aqui com uma comitiva de países e estados que pretendem reproduzir essa experiência do Ceará. Paralelamente, estamos fazendo um relatório similar para Sobral, que tratamos como uma inspiração para o que foi feito no Ceará”, afirmou. Nesta semana, o grupo ainda visitará a cidade.

Comitiva

A missão foi coordenada por Omar Arias, gerente da área de educação do Bando Mundial. Participaram Paloma Anós Casero, diretora do Banco Mundial para o Brasil, Reema Nayar, coordenadora de iniciativas especiais da educação, Emanuela Di Gropello, gerente de educação para a América Latina, Pablo Acosta, coordenador de desenvolvimento humano para o Brasil, e André Loureiro, economista sênior.

Integram também a comitiva Ildo Lautharte, economista, Ezequiel Molina, economista, Jason Allen Weaver, especialista sênior em educação, Ruth Charo, especialista sênior em educação, Lúcia Nhampossa, especialista em educação, Janssen Teixeira, especialista sênior em educação, Monica Yanez, economista sênior, Tihtina Zenebe Gebre, jovem profissional, e Louisee Cruz, consultora.

Completam o grupo Halsey Rogers, economista líder, Michael Crawford, especialista líder em educação, Enrique Alasino, especialista sênior em educação, Lars Sibdergaard, programleader, Maria Elisa Diniz, assessora sênior de comunicação, Carolina Abreu, assistente de projetos, Marcelo Barbosa, consultor, Flávio Prol, representante da Fundação Lemann, e Cristina Castelian, representante da Fundação Lemann.

 

Com informações: ASCOM do Governo do Ceará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *