‘Não é a política que vai mudar esta nação, é a igreja’, diz Damares Alves

Pastora e advogada, Damares Alves é conhecida no meio evangélico por ser crítica à chamada “ideologia de gênero” e ao feminismo. Também já disse que é a igreja evangélica, e não a política, que “vai mudar a nação”. Nas palestras disponíveis na internet ou nas entrevistas que costuma conceder a sites, ela costuma criticar ainda a “guerra” entre homens e mulheres.

Damares Alves foi confirmada nesta quinta-feira, 6, como futura ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos no governo Jair Bolsonaro.

“As feministas promovem uma guerra entre homens e mulheres. Me preocupo com a ausência da mulher de casa. Hoje, a mulher tem estado muito fora de casa. (Me preocupam) funções que a mulher tinha no passado, principalmente em relação às crianças”, afirmou em entrevista a um veículo identificado como Expresso Nacional. “Eu costumo brincar o seguinte: como eu gostaria de ficar em casa, toda tarde, numa rede, me balançando, e meu marido ralando muito para me sustentar e me encher de joias e presente. Esse seria o padrão ideal da sociedade. Mas, infelizmente, não é possível, temos de ir para o mercado de trabalho.”

Na mesma entrevista, ela chama a ideologia de gênero de “morte”. Desconhecida entre movimentos de direitos humanos ou de mulheres, Damares está na política há três anos. Desde 2015, ela ocupa o cargo de auxiliar parlamentar júnior, cuja remuneração é, atualmente, de R$ 5.488,95, sem os descontos, e está lotada no gabinete do senador Magno Malta.

Lagoinha

Pastora voluntária na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte (MG), uma comunidade evangélica que reúne cerca de 30 mil pessoas na capital mineira, Damares costuma reunir 6 mil pessoas nos cultos que ministra na cidade. “A visão dela é dentro dos princípios bíblicos”, diz o assessor parlamentar Ricardo Coutinho, que há trinta anos frequenta a igreja. A futura ministra é contra o aborto e defende a chamada Escola Sem Partido.

“Damares tem forte atuação na área da proteção à criança e adolescente. Em seus cultos, afirma ter sido violentada aos seis anos de idade por um integrante da igreja que frequentava. “Isso a impediu de ter filhos”, afirma o pastor Washington Sá. Em suas aparições públicas, Damares aborda ainda a questão indígena. A futura auxiliar de Bolsonaro apoia a atuação de missionários que trabalham em aldeias tentando acolher crianças banidas de tribos por terem nascido com algum tipo de deficiência.”

Em uma pregação de 2013 na Igreja Primeira Batista, em Campo Grande (MS), ela afirmou que é a igreja evangélica que “vai mudar a nação”, não a política. Além disso, disse que não é verdade que o aborto é questão de saúde pública, como defendem especialistas, e que “ninguém nasce gay”. Reservou a parte final de sua palestra para criticar frontalmente o infanticídio indígena.

“Naquele dia, Deus renovou nossas forças. Porque Deus nos disse que não são os deputados que vão mudar essa nação, não é o governo que vai mudar essa nação, não é a política que vai mudar essa nação, que é a Igreja Evangélica, quando clama. É a igreja evangélica, quando se levanta, que muda a nação”, disse a futura ministra.

 

Com informações: O Estado de Minas

Corrupção: 13 prefeitos cearenses foram afastados nos últimos 3 anos por ações do MP

Nos últimos três anos, ações da Procuradoria de Justiça dos Crimes contra a Administração Pública (PROCAP), do Ministério Público Estadual, levaram ao afastamento de treze prefeitos cearenses. O balanço foi apresentado em coletiva nesta sexta-feira (7). Quatro afastamentos ocorreram só neste ano, nas operações Cascalho do Mar II e III, em Paracuru, que afastou o prefeito Ribeiro (PSDB); Abelha Rainha II em Jati, que levou ao afastamento da prefeita Maria de Jesus Diniz Nogueira (PSD);  Fiel da Balança, em Quixadá, que afastou Ilário Marques (PT) de suas funções; e Abre Alas, em Aracoiaba, que levou à cassação de Antônio Cláudio Pinheiro (PSDB).

Segundo a procuradora Vanja Fontenele (foto acima), coordenadora da PROCAP, há no momento 70 investigações em curso. “Durante esse período, nós estamos intensificando o trabalho de prevenção, que é o mais importante, muito mais do que o de repressão, com as investigações. O balanço que se faz desse período todo, de 2016 pra cá, é que infelizmente nossos gestores precisam deixar a prática de delitos que realmente onerem os cofres públicos e retirem da população o acesso aos serviços básicos”, afirmou.

Só do ano passado para cá, o Centro de Apoio Operacional da Defesa do Patrimônio Público e da Moralidade Administrativa (CAODPP), que auxilia a atuação funcional do MP junto aos órgãos de execução, moveu 130 ações judiciais, sendo 117 ações civis públicas por improbidade administrativa e 13 ações em defesa do patrimônio público, além de 1125 ações extrajudiciais, tratando de atos de improbidade administrativa, irregularidades em obras públicas, uso indevido de bens públicos, entre outros expedientes.

Coordenador do Centro, o promotor Helder Ximenes aponta a leniência com a corrupção como uma questão endêmica no Brasil. “A experiência mostra que independente de partido, independente de governante, independente de pessoas, existem entidades, empresas constituídas  formalmente ou organizações criminosas semelhantes a empresas, que atuam permanentemente, não importa quem esteja na administração ou eleito, visando ao desvio de recursos públicos”, reconhece.

Segundo ele, a superação da corrupção enquanto problema estrutural passa por um trabalho contínuo de educação da população.

“Existem trabalhos preventivos, projetos do Ministério Público Estadual, do Ministério Publico Federal, da Controladoria Geral da União, de várias escolas de gestão pública, voltados para as crianças, nos colégios,  para fomentar nessas crianças, que são necessariamente nosso futuro, a mudança de cultura”, disse.

Corrupção Zero

Além de membros da PROCAP e do CAODPP,  participaram da coletiva na sede do MPCE representantes do Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), do Grupo de Atuação Especial de Combate à Sonegação Fiscal (GAESF) e do Núcleo de Investigação Criminal (NUINC) , que também divulgaram números relativos aos últimos três anos, em ações que integram a campanha Corrupção Zero.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Guimarães sofre pressão da Executiva Nacional para permanecer na Câmara. Petista recebeu convite para Secretariado de Camilo

Integrantes da Executiva Nacional do PT querem que o deputado José Nobre Guimarães, reeleito, neste ano, para o quarto mandato consecutivo, permaneça em Brasília e não assuma cargo no primeiro escalão do Governo do Estado. A cúpula nacional considera que Guimarães continuará cumprindo importante papel na Câmara, principalmente, com o novo ciclo de poder que começa a partir de primeiro de janeiro de 2029.

Guimarães recebeu convite do Governador Camilo Santana e ficaria com a Secretaria do Desenvolvimento Agrário.

Experiente e com fama de bom articulador, Guimarães acha que, mesmo com todas as adversidades, chegou a hora de um voo mais alto e o cargo de secretário o daria visibilidade para sonhar com uma vaga majoritária na sucessão de Camilo. A Secretaria de Desenvolvimento Agrário seria o melhor caminho para 2022 – seja no sonho de entrar na chapa majoritária ou mesmo tentar a reeleição com menos dificuldades.

A fonte secou. O Guimarães precisa renovar as bases, trabalhar para consolidar a votação que recebeu nas eleições deste ano e, em 2022, a realidade, sem Governo Federal, será outra. A reeleição deste ano, com os mais de 173 mil votos, ainda foi capitalizada pela herança dos Governos Lula e Dilma. A Secretaria o daria fôlego, avalia um pedetista, que acompanha de perto os bastidores do Palácio da Abolição. Se Guimarães aceitar assumir o cargo de secretário, a primeira suplente à Câmara Federal, Gorete Pereira (PR), assumirá o mandato logo no início de 2019.

 

Com informações: Ceará Agora

Caucaia: Música e emoção marcam a abertura do Natal do Renascimento

As vozes dos corais e os sons dos instrumentos musicais contagiaram o público presente na Praça da Matriz durante a abertura do Natal do Renascimento na noite desta sexta-feira (7/12). O evento foi promovido pela Prefeitura de Caucaia, sob o comando da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social (SDS).

A programação iniciou com apresentações da Orquestra Soure. Em seguida, as vozes do coral de idosos encantou o público. O grupo de balé infantil levou alegria ao auto de Natal. As apresentações musicais de crianças e alunos da Escola de Ensino Infantil e Ensino Fundamental (EEIEF) Nair Guerra também emocionaram as pessoas, além da Banda Chiquita Braga. Com muitos aplausos, o Papai Noel recebeu a chave da cidade.

Representando o prefeito Naumi Amorim, o titular da Secretaria Municipal de Turismo e Cultura, Paulo Guerra, destacou a dedicação de todos para realizar a abertura do Natal do Renascimento. “É um misto de alegria e certeza de que a maioria das crianças aprecia este momento. Vivenciamos e celebramos as bênçãos neste momento propício à união”.

Para secretária de Educação, Camila Bezerra, é importante a participação dos alunos das escolas municipais que se dedicaram e prestigiaram a noite. “Pensamos nas boas ações, nos momentos de reflexões, e desejamos que eles não sejam manifestados apenas no Natal, mas todos os dias” observou.

Já para dona Lenir de Oliveira Miranda, moradora do Parque Soledade, a festa representa um momento especial para as crianças. “A comunidade precisa de momentos como este. O Natal traz uma nova esperança para todos os caucaienses”.

 

Com informações: ASCOM da Prefeitura de Caucaia

Três nomes ganham força para presidir a AL-CE

Entre os cotados para presidir a Assembleia Legislativa do Ceará (AL-CE) a partir do ano que vem, três nomes ganharam força nas últimas semanas: os deputados estaduais Evandro Leitão, Tin Gomes e o atual chefe da Casa, Zezinho Albuquerque – todos do PDT, partido com a maior bancada.

A cerca de dois meses da eleição, marcada para 1º de fevereiro de 2019, os postulantes já trabalham articulação com os parlamentares para se cacifarem na corrida pela chefia da mesa.

Nessas negociações, dois pré-candidatos reuniriam mais condições para chegar ao comando da Assembleia: Tin, que teria bom trânsito entre os colegas; e o próprio Zezinho, pelo capital construído ao longo de três mandatos na presidência.

A longa permanência nesse posto, no entanto, é definida como um entrave aos planos do pedetista. Em conversa com a reportagem, Zezinho disse que as discussões ainda estão se iniciando.

“Precisamos conversar muito com os presidentes de partidos, o governador, saber qual o pensamento de cada um”, respondeu o deputado. “Estou procurando amigos, lideranças, pra ver se o melhor é eu continuar. Não há nada definido.”

Nessa briga silenciosa, deputados ouvidos pela reportagem apontaram vantagem para Tin. “O governador disse que acolheria o nome consensualmente indicado pela Assembleia”, falou um deles. “O Tin é o que tem mais proximidade entre a gente. É o mais simpático aos deputados.”

Uma parlamentar ressalvou ainda que, para que Zezinho retirasse seu nome da disputa pela presidência da AL-CE, teria de ser compensado. “E seria uma recompensa alta”, sugeriu, em seguida acrescentando que o pedetista poderia assumir uma secretaria no segundo mandato de Camilo. “Tudo depende da conversa”, resumiu.

Tin admite que tem procurado deputados para tratar sobre a sua candidatura e que a reação “tem sido muito receptiva”. Segundo ele, o mais importante é chegar a um nome que represente não apenas o PDT, mas a maioria da Casa.

“A intenção é evitar divisão, como aconteceu naquela outra vez”, enfatizou, referindo-se à última eleição, quando a postulação do deputado Sérgio Aguiar (PDT) contra Zezinho abriu uma crise na base que teria como efeito direto a extinção do Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) pela AL.

Desde a última segunda-feira, Camilo tem recebido os deputados da base  para diálogos. Na próxima semana, o governador tem reunião acertada com o presidente estadual do PSD e deputado federal, Domingos Neto. Na pauta, está o espaço que a legenda pode vir a ter no novo desenho do secretariado do petista.

Atual presidente da sigla, Neto vai ceder o comando do PSD no Ceará para o pai, Domingos Filho.

Tentamos contato com o deputado Evandro Leitão, mas não obtivemos retorno.

 

Com informações: O Povo

Diplomação: Última etapa do processo eleitoral. Dia 10 em Brasília, e 19 no Ceará

No próximo dia 10 de dezembro, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realizará a sessão solene de diplomação do presidente da República eleito em 2018, Jair Bolsonaro, e de seu vice, general Hamilton Mourão. Na ocasião, a presidente do TSE, ministra Rosa Weber, entregará a ambos os respectivos diplomas eleitorais, documentos que os habilitarão a tomar posse para exercer os mandatos para os quais foram eleitos pela maioria dos brasileiros no pleito geral deste ano.

No Ceará, a diplomação dos eleitos acontecerá no próximo dia 19, no Centro do Eventos, segundo definição dos integrantes do  Tribunal Regional Eleitoral. Serão diplomados o governador Camilo Santana (PT) e a vice Izolda Cela (PDT), os senadores Cid Gomes (PDT) e Eduardo Girão (PROS), 22 deputados federais e 46 deputados estaduais. A posse do governador e da vice-governadora acontecerá no dia primeiro de janeiro, enquanto a dos senadores, deputados federais e estaduais será no dia primeiro de fevereiro.

De acordo com o Glossário Eleitoral, a diplomação é o ato por meio do qual a Justiça Eleitoral, com a entrega dos diplomas devidamente assinados, atesta quem são, efetivamente, os eleitos e seus suplentes. É somente a partir da diplomação que os candidatos se tornam aptos a tomar posse no cargo para o qual foram eleitos.

O diploma é confeccionado e emitido pela Justiça Eleitoral após o encerramento da eleição com a confirmação do resultado das urnas. O documento legaliza, portanto, a posse do candidato no cargo para o qual concorreu e foi eleito, e o legitima a representar a população da circunscrição eleitoral pela qual foi escolhido.

Como dispõe o parágrafo único do art. 215 da Lei nº 4.737/1965 (Código Eleitoral), as seguintes informações deverão constar nos diplomas: o nome do candidato; a indicação da legenda do partido político ou da coligação pela qual o candidato concorreu; o cargo para o qual foi eleito ou a sua classificação como suplente; e, facultativamente, outros dados a critério da Justiça Eleitoral. O documento emitido deverá apresentar código de autenticidade gerado pelo Sistema de Candidaturas após o registro da diplomação.

A sessão de diplomação

A sessão solene de diplomação deve ocorrer até o dia 19 de dezembro do ano da eleição, após a análise das prestações de contas dos candidatos eleitos, porém antes do início do recesso forense, que vai de 20 de dezembro a 6 de janeiro.

A cerimônia é realizada pelo órgão eleitoral competente. Os candidatos eleitos aos cargos de presidente e vice-presidente da República receberão diplomas assinados pelo presidente do TSE. Os eleitos aos demais cargos federais, estaduais e distritais, assim como os vices e suplentes, receberão diplomas assinados pelos presidentes do respectivos tribunais regionais eleitorais.

Por sua vez, nas eleições municipais, a competência para realizar a diplomação é da Junta Eleitoral (se houver mais de uma junta no município, será aquela presidida pelo juiz mais antigo), e o diploma é assinado pelo juiz-presidente.

Conforme explica o assessor-chefe substituto de Cerimonial do TSE, Diego Silva de Oliveira, a entrega dos diplomas aos eleitos marca não só a abertura de prazos importantes para a Justiça Eleitoral – como o início do prazo para o ajuizamento de ações de impugnação da diplomação e de impugnação do mandato eletivo –, mas também o encerramento dos trabalhos da Justiça Eleitoral relativos à eleição recém-concluída.

“A sessão solene de diplomação é o coroamento do trabalho da Justiça Eleitoral. Após a diplomação, temos o sentimento de dever cumprido. É um evento que, quando realizado com êxito, nos deixa muito felizes e satisfeitos. A partir daí, a Justiça Eleitoral cumpriu a sua função de conduzir todo o processo eleitoral brasileiro e pode passar a responsabilidade para os poderes competentes pela cerimônia de posse dos eleitos”, destaca.

 

Com informações: Edison Silva / TSE

Falta apenas um ministro ser nomeado por Bolsonaro

A equipe de ministros que comporão o governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), está quase formada. No início da tarde desta quinta-feira, 6, a assessora do senador não reeleito Magno Malta (PR-ES), a pastora Damares Alves foi nomeada futura ministra dos Direitos Humanos.

Agora, o capitão da reserva tem de anunciar o futuro titular do Meio Ambiente. São especulados alguns nomes para a função. A pretensão de Bolsonaro é nomear alguém que tenha bom trânsito no setor ruralista.

O agrônomo Evaristo de Miranda, da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), foi o primeiro nome a ser ventilado, mas já afirmou que não aceitaria o convite por razões pessoais.

O delegado Alexandre Silva Saraiva, superintendente da Polícia Federal no Amazonas foi sondado por Bolsonaro. Na lista de cotados, está ainda o ex-secretário do Meio Ambiente de Geraldo Alckmin, em São Paulo, o advogado Ricardo Salles, filiado ao partido Novo.

O engenheiro agrônomo Xico Graziano é outro nome que integra a lista. Não agrada o núcleo militar do governo, entretanto, a relação que Graziano já manteve com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Confira ministros já anunciados:

  1. Paulo Guedes (Economia)
  2. Onyx Lorenzoni (Casa Civil)
  3. Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública)
  4. General Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional)
  5. Marcos Pontes (Ciência e Tecnologia)
  6. Tereza Cristina (Agricultura)
  7. General Fernando Azevedo e Silva (Defesa)
  8. Ernesto Araújo (Relações Exteriores)
  9. Wagner Rosário (Controladoria Geral da União)
  10. André Luiz de Almeida Mendonça (Advocacia Geral da União)
  11. Roberto Campos Neto (Banco Central)
  12. Luiz Henrique Mandetta (Saúde)
  13. Gustavo Bebianno (Secretaria Geral da Presidência)
  14. Ricardo Vélez Rodríguez (Educação)
  15. Carlos Alberto dos Santos (Secretaria do Governo)
  16. Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura)
  17. Gustavo Henrique Rigodanzo Canuto (Desenvolvimento Regional)
  18. Osmar Terra (Cidadania)
  19. Marcelo Álvaro Antonio (Turismo)
  20. Bento Costa de Albuquerque (Minas e Energia)
  21. Damares Alves (Direitos Humanos)

 

Com informações: Blog de Política O Povo

Presidente do TCE apresenta números da atuação da Corte

O conselheiro Edilberto Pontes, presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE) do Ceará, apresentou ontem, como vem fazendo nos últimos anos, uma prestação de contas das atividades da Corte de Contas estadual no decorrer deste ano. Os números são bem maiores, em relação aos anteriores, em razão de já haver completado um ano da absorção pelo TCE das competências atribuídas ao extinto Tribunal de Contas dos Municípios, responsável, quando da sua existência, pelo controle externo das atividades municipais.

O Tribunal de Contas do Ceará, no contexto nacional, é um dos mais modernos e eficientes, também em razão das suas parcerias com o fim de melhor exercer o seu mister, no caso, a fiscalização quanto à boa aplicação dos recursos públicos, sem descuidar da devida orientação aos gestores municipais e estaduais, muitos deles até com bons propósitos, mas sem o devido preparo para o cumprimento das normas legais.

No encontro de hoje do presidente do TCE, outros conselheiros e procuradores com jornalistas, quando os números foram apresentados, Edilberto anunciou a criação de um Conselho, dentro do novo projeto de Governança daquele Tribunal, integrado por pessoas representativas da sociedade cearense, como mais um canal de transparência, assim como poder  discutir  ações da Corte de Contas e sugerir medidas para mais abrangente ainda ser o controle externo que o Tribunal executa.

 

Com informações: Edison Silva

“Se for o Tasso, ganho mais fácil ainda, inclusive dentro do PSDB”, diz Renan sobre Tasso Jereissati

Renan Calheiros (MDB), candidato a presidente do Senado, garante ter 30 colegas da Casa na sua base de votação. Ele, no entanto, evita dar mais detalhes, informa a Veja Online.

A propósito, Renan Calheiros é o entrevistado desta noite de sexta-feira do jornalista Roberto D’Avila, na GloboNews. Perguntado sobre sua candidatura, o emedebista mandou essa:

— Vou decidir se sou candidato na última hora. Mas seu eu for, ganho. E se for contra o Tasso, ganho mais fácil ainda. Inclusive dentro do PSDB.

 

Com informações: Eliomar de Lima

Caucaia é beneficiada com projeto nacional de iluminação pública

O município de Caucaia foi contemplado por um Acordo de Cooperação Técnica firmado entre o Ministério da Segurança Pública (MSP) e o Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão (MP), que tem o objetivo de ampliar a iluminação pública da cidade. Em todo o País, 19 cidades foram contempladas pelo projeto, que visa, sobretudo, melhorar a sensação de segurança em pontos com atividades urbanas noturnas.

O projeto chegará a 12 estados, cujos municípios foram escolhidos por meio de “um mapeamento das áreas críticas e realizado através das informações recolhidas no Sistema Nacional de Informações de Segurança Pública (Sinesp), uma plataforma de informações integradas que possibilita consultas operacionais, investigativas e estratégicas sobre segurança pública, em parceria com os entes federados”, de acordo com o MSP.

A Secretaria de Desenvolvimento e Infraestrutura do Ministério do Planejamento realizou um chamamento público dos municípios através de dados que são encaminhados pelos estados, a exemplo de números relativos a Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que englobam homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte.

De janeiro até o dia 4 de dezembro deste ano, foram registrados 325 CVLIs em Caucaia, segundo estatísticas publicadas pela Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social do Ceará (SSPDS).

“O chamamento público se deve ao Fundo Federal de Apoio à Estruturação e ao Desenvolvimento de Projetos de Concessões e Parcerias Público-Privadas (PPP) para a ampliação do atendimento, o incremento da eficiência e a melhoria de qualidade dos serviços prestados à população, em áreas mais sensíveis”, destacou a Pasta de Planejamento e Gestão. O projeto prioriza outras áreas, como o esgotamento básico. As cidades escolhidas têm, no mínimo, 100 mil habitantes.

“Para se trazer mais segurança, a ação deve ser em conjunto. Não adianta iluminar a praça sem asfaltar as ruas. A Colômbia fez assim, mostrando que são políticas públicas que não devem ser pensadas isoladamente”, destacou a pesquisadora do Laboratório de Estudos da Violência (LEV) da Universidade Federal do Ceará (UFC), Celina Lima.

O titular da Secretaria Municipal de Patrimônio Serviços Públicos e Transporte (SPSPTrans) de Caucaia, Assis Medeiros, disse que a maior estratégia no que tange ao aperfeiçoamento da iluminação pública é a substituição de lâmpadas que emitem fachos de luz mais quentes (amarelas) por lâmpadas de teor mais frio (brancas). “Isso já proporciona mais qualidade de vida, porque a qualidade da luz azul é superior. Somente este ano, já trocamos aproximadamente 3 mil luminárias em pontos principais, como BRs e ainda em locais da periferia”, reforça o gestor.

“Hoje a gente passa pelas ruas, e percebe que as pessoas voltaram a sentar nas calçadas; que as crianças voltaram a brincar de noite”, complementa o secretário Assis.

A SPSPTrans está instalando um novo parque de iluminação pública na rodovia Presidente Juscelino Kubitschek (BR-020). A obra trará uma maior sensação de segurança a todos: motoristas, pedestres e moradores dos arredores.

O investimento é de R$ 4.497.766,60. Serão, ao todo, 488 unidades de luminárias de LED com suporte de 480 braços ornamentais simples e outros quatro duplos, além de 484 postes divididos entre concreto tubular (468), ferro galvanizado (12) e de concreto duplo (4). Do sertão à praia, o município de Caucaia contemplado tem cerca de 33 mil pontos luminosos.

Com informações: Diário do Nordeste