Ceni fala de 2020 e se declara ao Fortaleza: “Time do coração”

A trajetória de Rogério Ceni no Fortaleza é escrita com capítulos de grandeza que apenas o consolidam como o maior técnico da história do clube. E se a carreira foi conduzida em outro tricolor, o presente também o faz ídolo no Leão. Tempo esse que trouxe os títulos da Série B, da Copa do Nordeste, do Campeonato Cearense e, oficialmente, o da permanência na 1ª divisão. Com tantas conquistas, o ex-goleiro e agora treinador se declarou ao clube cearense que o abraçou, mesmo quando a opção foi sair por um instante.

“Foi uma grande aventura e risco (voltar ao Fortaleza), mas também foi uma forma de gratidão por tudo que pude viver nesses dois grandes momentos da minha vida. Aos 17, cheguei no São Paulo e morei embaixo da arquibancada para depois atuar por 25 anos no time e, hoje, dois anos se passaram (no Fortaleza) e passo a tê-lo como time do coração. Vou guardar para sempre no coração”, explicou.

O sentimento é recíproco pelos feitos do trabalho de quem tanto se dedicou ao clube desde que chegou. Com três rodadas de antecedência, garantiu o objetivo principal e tem a oportunidade de galgar novos caminhos em caso de classificação para a Sul-Americana de 2020, antes sonho, agora realidade. Ceni, que tem contribuído com o planejamento para a próxima temporada, ressaltou que a temporada a seguir deve ser ainda mais desafiadora, assim como a escolha por ficar no Fortaleza.

“Se eu falar que não adoro a cidade, os amigos, o clube, jogadores… Não sei se encontraria em outro lugar. Arrisquei minha carreira voltando, mas está entregue a permanência. Se fosse pela paixão, o respeito e o carinho serão para sempre. 2020 é um ano fora de planejamento, temos mais nove pontos, e se colocarmos o Fortaleza na Sul-Americana, como o Quintero diz, seria o 3º título da temporada”, afirmou.

O próximo desafio do Fortaleza é diante do Goiás, domingo (1º), às 16 horas, no Serra Dourada. Depois o Leão encara o Fluminense no Maracanã (4/12) e fecha a temporada diante do Bahia, dia 12, na Arena Castelão – em jogo com portões abertos devido efeito liminar junto ao STJD que impede a punição de duas partidas sem público.

Outros pontos da entrevista

Campanha
“Estar junto com esses caras me da orgulho. Aparecer na 1ª pagina já na 35ª rodada, ser campeão da Série B, ficar na Série A apesar do menor investimento de TV… Tem que ter orgulho a cidade de Fortaleza, o torcedor, os jogadores, que me suportam no dia a dia e compram a ideia. Ao modelo de jogo que não é só meu, mas de todo mundo que ajuda. O Fortaleza hoje entrega muito para o que qualquer pesssoa poderia esperar do futebol brasileiro. Pra mim, motivo de muito orgulho”.

Goiás
“É um jogo duríssimo. O Goiás venceu o Internacional, tem um jogador especial, o Michael é a grande revelação. O Goiás dentro de casa é favorito, mas os objetivos são do tamanho que a gente tem. A partir de agora é uma vaga de Sul-Americana”.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *