Com Ceni mantido, Leão montará time da Série A no início de 2019

No fim da tarde de quinta feira passada, o Fortaleza confirmava a renovação de contrato do técnico Rogério Ceni para a temporada de 2019. Um vídeo de produção sofisticada anunciava a permanência do treinador e, nas entrelinhas, já lançava no ar o grande desafio que o clube passa a ter a partir desse projeto ousado. Isso porque Rogério Ceni não somente quer um elenco competitivo e de qualidade para as disputas da Série A do Brasileiro, como também vai solicitar ao clube a criação de uma estrutura capaz de sustentar o Leão na elite do futebol brasileiro.
Rogério Ceni deixou de lado uma possível proposta do Goiás, um clube com orçamento de R$ 80 milhões – com um CT que abriga até a Seleção Brasileira – e que tinha interesse no seu concurso.
Ilusão, não
O presidente do Leão, Marcelo Paz, repetiu que o principal objetivo com relação à Série A é a permanência na competição. “Nós estamos totalmente alinhados. Não vamos vender para o torcedor uma ideia de título, de Libertadores, isso aí é vender ilusão. Pode acontecer, pode, em futebol tudo é possível, mas temos que ser realistas”, avaliou Paz.
Orçamento
O Fortaleza tem uma previsão orçamentária de R$ 56,7 milhões para o ano de 2019 e com folha de pagamento estimada em R$ 2,5 milhões. Nos bastidores, já se projeta que Rogério Ceni pretende contar com um orçamento acima do que foi aprovado pelo Conselho Deliberativo do Leão. Será uma nova oportunidade para a diretoria buscar patrocínios fortes capazes de bancar a missão que aguarda os tricolores.
Um dos apoiadores de todo esse projeto é o sócio-torcedor. Atualmente, o Leão tem em torno de 27.600 torcedores, mas a meta é chegar a 35 mil, quando começar a Série A. O gestor do programa de sócio-torcedor do Leão, Gigliane Maia, informou que se o clube atingir 35 mil sócios, entrarão como receita R$1 milhão nos cofres, mensalmente.
Elenco
O presidente Marcelo Paz disse que há interesse em alguns atletas que fizeram parte da campanha vitoriosa da Série B, mas não adiantou quais. Já se sabe, por exemplo, que o artilheiro Gustavo ficará mesmo no Corinthians; O Atlético/MG, no momento, não esboçou desejo de emprestar o meia Dodô, e assim por diante.
“O elenco tem que ser montado desde o início, já pensando em Série A. Todas as ações, têm quer montadas pensando no reflexo da Série A, que é o principal objetivo do ano”, revelou o presidente tricolor.
Quantidade
A diretoria, também já alinhada com Rogério Ceni montará um elenco com 26 a 28 jogadores. “Não é um elenco pequeno, pois não adianta ter 35 atletas no elenco e quando chegar uma viagem, você deixar 10 de fora da relação, o que causa uma insatisfação no grupo que não é relacionado”, observou o dirigente.
Obras no Pici
O projeto de transformar o Estádio Alcides Santos em Centro de Excelência terá de ser acelerado, dentro do que foi solicitado por Ceni, bem como melhorias no CT Ribamar Bezerra. O clube busca recursos para isso, que poderão vir do sócio-torcedor, de patrocínios e da possível venda do meia Everton, do Grêmio, do qual o Leão tem 10% de direitos econômicos.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *