Coronavírus: Camilo decide hoje o que pode abrir na indústria e no comércio

Sob pressão de setores da indústria, do comércio e do serviço, o governador Camilo Santana – que sábado, 28, por decreto, estendeu até o próximo domingo, 5 de abril, por causa da pandemia do coronavírus, o isolamento social, com algumas exceções, como a usina da CSP, as fábricas de alimentos e de produtos farmacêuticos e de higiene e limpeza, além de farmácias, padarias e supermercados – toma hoje mais uma decisão importante.

Nesta segunda-feira, ele e seu Comitê de Crise examinam que outras áreas da economia cearense poderão retomar suas atividades.

Ao prolongar a quarentena, o governador agiu subordinado à orientação técnica e científica das autoridades sanitárias da OMS, do Ministério da Saúde e de sua Secretaria da Saúde, que serão de novo respeitadas na deliberação desta data.

Perguntas: as lojas de shopping centers e as de ruas, os bares e os restaurantes – empregadores intensivos de mão de obra – serão reabertos?

Em caso positivo, sob que condições funcionarão?

E os ônibus intermunicipais, o metrô e o VLT voltarão a circular?

Em caso afirmativo, com que restrições?

Já se sabe que as escolas e as universidades – privadas e públicas – permanecerão fechadas, como orienta o ministério da Saúde e aconselha a ciência.

O governador Camilo Santana tem um compromisso firme com a segurança sanitária da população, mas também observa as graves consequências da pandemia do coronavírus na economia estadual.

Ele sabe que, só na área de bares e restaurantes, mais de cinco mil pessoas foram desempregadas na semana passada.

Sem gente para transportar – a população permanece em casa, fiel ao isolamento – os motoristas do transporte por aplicativo já devolveram seus veículos – o pátio da Localiza está cheio de carros devolvidos.

Donos de salões de beleza, de lojas e de boxes de shopping populares, onde autônomos tiram o dinheiro que sustenta suas famílias, além de milhares de micro comerciantes que enchem as feiras livres, aguardam, com muita fé em Deus e no espírito de justiça do governador, sua decisão de hoje.

É mais um dia difícil para Camilo Santana nestes tempos de pandemia.

CERÂMICAS

Atenção!

A Polícia Civil do Ceará precisa ser avisada de que está liberado o funcionamento das indústrias de cerâmica – que usam alto-forno – em toda a geografia do Ceará.

No sábado, 28, uma cerâmica de Beberibe foi autuada pela Delegacia de Cascavel porque, aparentemente, estava operando.

Advogados do Sindicato da Indústria de Cerâmica já recorreram.

MÁSCARAS

Deram-se as mãos a cearense Santana Textiles e a Associação Comercial e Industrial de Toritama, no agreste de Pernambuco, um dos maiores e mais importantes polos de confecções do Nordeste.

A Santana Textiles criou, usando um tecido especial, um tipo de máscara que, já em produção pelas confeccionistas de Toritama, será doada às secretarias de saúde dos municípios do entorno de Caruaru.

Para uso exclusivo dos profissionais de saúde que atendem os infectados pelo corona vírus naquela região de Pernambuco, onde a empresa cearense tem grandes clientes.

VIVA O AGRO!

Mais uma vez, é o agro que garante o abastecimento da população brasileira – a do Ceará no meio.

Aqui, apesar da pandemia, produção de frutas, verduras e legumes (FVL), em todas as regiões do Estado, prossegue normalmente.

Essa produção concentra-se no Maciço de Baturité, nas chapadas da Ibiapaba e do Apodi, na Serra de Uruburetama e no Cariri.

Quem quiser ver o tamanho e a importância dessa produção é só ir até a Ceasa de Maracanaú, onde tudo é comercializado.

PELO CELULAR

Confirmando o que revelara aqui seu colega Honório Pinheiro, da rede Supermercado Pinheiro, o empresário Severino Ranalho Neto, sócio majoritário e CEO da rede Mercadinhos São Luiz, informa:

Nestas semanas de coronavírus, as vendas de suas lojas, por meio de aplicativo, foram multiplicadas por três.

Neto não tem dúvida de que, passada esta pandemia, o varejo cearense não será mais o mesmo.

Por necessidade – está proibido de sair de casa – o consumidor cearense está agora descobrindo que “comprar pelo celular e receber a compra na loja ou em casa é muito melhor”.

É a modernidade chegando com o avanço tecnológico e tornando-se um aliado do varejo.

DINHEIRO

Juntaram-se o Bradesco, o Itaú e o Santander para anunciar aos micro e pequenos empresários o segunte:

Empresas com receita inferior a R$ 10 milhões por ano, com folha de pagamento e obrigações em dia, terão, em qualquer um desse trio bancário, o salário de seus funcionários garantido por dois meses.

Com financiamento em até três anos e juros de 3,75% ao ano.

É um programa criado em parceria com o Tesouro Nacional, o Banco Central e o BNDES.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *