Coronavírus: portos e aeroportos do Ceará são monitorados há 15 dias, diz Secretaria da Saúde

Órgãos de saúde do Ceará encaram a primeira suspeita do novo tipo de coronavírus, o 2019-nCoV, no município de Sobral. No entanto, há pelo menos 15 dias os portos e aeroportos do Estado já são monitorados quanto à possível entrada da enfermidade a partir de pessoas que chegaram da China, de acordo com Magda Almeida, assessora técnica da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa).

A medida é realizada em parceria com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). “A gente se antecipou. Hoje, teremos a primeira reunião do Comitê de Emergência onde temos a Sesa, universidades e a Anvisa para planejar ações principalmente com as Prefeituras de Fortaleza e São Gonçalo do Amarante, onde temos fluxo maior de pessoas vindas da China”, explica a assessora.

Além disso, os órgãos já mapearam todos os leitos em que há isolamento respiratório, em Sobral, onde um homem de 27 anos foi internado no Hospital Regional Norte (HRN). “Esse paciente não tem sintoma grave de angústia respiratória e pode ser acompanhado em Sobral sem nenhum problema. Num caso muito extremo é que vem pra Fortaleza, para o Hospital São José. Temos estrutura no interior para acompanhar”, garante Magda.

Sem transmissão local

A médica reforça que não é possível diferenciar os sintomas do coronavírus de uma gripe comum porque ele segue o mesmo padrão da influenza, embora tenha letalidade menor. Os sinais de infecção são os mesmos: febre, dor no corpo, dor de cabeça, tosse seca e falta de ar. “O que vai diferenciar é se a pessoa veio da China. A transmissão local é só lá. O que podemos fazer é evitar viajar onde há essa transmissão”, separa.

No Ceará, não há necessidade de pânico, segundo a representante da Sesa, uma vez que não existe caso confirmado. Muito menos se pode falar de surto, quando ocorrem várias confirmações. “Nos outros países, inclusive, não há transmissão local. Os suspeitos são os que vieram da China, ou que tiveram contato com alguém que veio de lá, e que estão apresentando sintomas gripais”, tranquiliza.

O coronavírus foi detectado inicialmente na província chinesa de Wuhan; em seguida, se espalhou por outros países asiáticos, pela Europa e América. A doença já matou 132 pessoas e infectou mais de 6 mil em pelo menos 18 países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS).

 

 

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *