Deputados repudiam especial de Natal de grupo de humor Porta dos Fundos

Três deputados estaduais fizeram pronunciamentos, nesta quinta-feira (12), repudiando o filme “Especial de Natal Porta dos Fundos: A primeira Tentação de Cristo”, produzido pelo grupo de humor brasileiro Porta dos Fundos. A comédia faz parte do catálogo da plataforma americana de streaming Netflix.

A deputada Dra Silvana (PL) repudiou a produção na sessão plenária da Assembleia Legislativa. “Estou cansada de ver a lei ser desrespeitada em nome da liberdade do que chamam de arte. Esses comediantes insultam nossa fé”, enfatizou a parlamentar.

Dra. Silvana afirmou que, como cristã, tem obrigação de se manifestar contra o filme, pois “esses pseudo-artistas confundem arte com excremento moral”. Ela informou ainda que já existe um abaixo-assinado na internet pedindo a retirada do filme da plataforma.

A parlamentar conclamou a população a não assistir ao filme e disse que quem o fizer, será conivente. “Um filme vagabundo e imoral como este não pode ser considerado normal. Não assistam e nem deixem que seus filhos assistam, pois a Netflix tem medo de perder sua audiência”, aconselhou.

Em aparte, o deputado Fernando Hugo (PP) concordou com a colega deputada e sugeriu que o filme fosse punido pela lei. “Elabore requerimento para enviarmos ao presidente do Supremo Tribunal Federal, que na forma da lei, providencie a punição para tal ato. Não adianta só reclamarmos, temos que tomar providências”, opinou.

Tempo de liderança

No tempo de liderança, mais dois parlamentares trataram do assunto. O deputado Davi Durand – pastor evangélico, assim como Dra. Silvana – também repudiou a produção. Durand definiu o filme como uma ‘patifaria’ e afirmou já haver 600 mil assinaturas virtuais de repúdio.

Na sequência, foi a vez de Vitor Valim (Pros) também tecer críticas ao conteúdo produzido pelo Porta dos Fundos. Segundo ele, ninguém gostaria que fosse feita chacota com a própria família, referindo-se às referências feitas pelo filme à Jesus Cristo e Maria de Nazaré.

 

Com informações: Edison Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *