Governo do Ceará anuncia a implantação de 22 novas escolas em tempo integral

A educação cearense conquistou mais um importante avanço nesta quinta-feira (7). Em evento marcado por festa de estudantes e educadores na Secretaria da Educação (Seduc), o governador Camilo Santana assinou o documento que oficializa a implantação de mais 22 novas escolas de Ensino Médio em tempo integral. Com isso, a rede pública estadual passará a ofertar a jornada prolongada para 35% das unidades escolares do Estado em 2019: das 727 escolas estaduais, 252 serão de tempo integral. Deste total, 130 são Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral (EEMTIs) e 122 são Escolas Estaduais de Educação Profissional (EEEPs).

As 19 novas Escolas de Ensino Médio estão localizadas nos municípios de Itaitinga, Aquiraz, Trairi, Granja, Ipu, Sobral, Iracema, Quixeramobim, Crateús (2), Senador Pompeu, Farias Brito e Fortaleza (7). O atendimento abrangerá 2.305 estudantes. Já as três novas escolas profissionalizantes são nas cidades de Caririaçu, Forquilha e Ocara. Serão beneficiados até 1.620 alunos nestas unidades.

Camilo Santana destacou que as escolas em tempo integral são uma política de Estado do Governo do Ceará para garantir um futuro melhor para a juventude. “Este é o grande caminho para garantir uma qualidade maior na educação do Ceará. Queremos até o final de 2019 tornar o Ceará uma das principais referências no Brasil em educação de tempo integral. Vamos manter o Ceará como referência em ensino público de qualidade e com uma ampla rede de escolas em tempo integral. Esta é uma das metas do nosso Governo”, disse o chefe do Executivo.

Além do governador, participaram da solenidade a secretária da Educação, Eliana Estrela, os deputados estaduais José Sarto, Evandro Leitão, Walter Cavalcante, Acrísio Sena, Nizo Costa, Julio Cesar, Romeu Aldigueri, Jeová Mota, Leonardo Pinheiro e Elmano de Freitas, os deputados federais Idilvan Alencar e Robério Monteiro, prefeitos de municípios beneficiados, estudantes, professores e diretores de escola.

Em seu discurso, a secretária da Educação ressaltou o envolvimento intensivo dos estudantes com a ideia da escola em tempo integral. “Eu estou visitando as escolas em tempo integral e tive a satisfação de visitar uma aqui, em Fortaleza, onde pude escutar e dialogar com os alunos e ouvir deles: ‘eu amo essa escola’. Estudantes estão abraçando o protagonismo estudantil e aproveitando com qualidade o tempo na escola”, disse Eliana Estrela.

Estímulo

Estudante do último ano do Ensino Médio, Luiz Guilherme Moreira Rodrigues, 18 anos, vê o tempo integral como fundamental para a cidadania. “Estou gostando bastante da experiência porque o tempo integral oferece bastante oportunidade para a gente exercer a nossa cidadania e sem dúvida a gente amadurece a nossa forma de ser”, contou. Luiz projeta trabalhar com artes visuais e dedica tempo na escola para se aprofundar sobre o tema.

Diante da empolgação dos estudantes, o governador avalia que o estímulo dado pelas ações do Governo na Educação tem fortalecido o aprendizado e garantido melhores resultados aos estudantes no ingresso ao Ensino Superior.

“É impressionante o testemunho dos alunos que passam a vivenciar uma escola em tempo integral. As oportunidades se abrem, as janelas se abrem, são pessoas que fazem o ensino regular no primeiro período, depois a escola discute e dialoga para saber o que os alunos querem se aprofundar: informática, esportes, música, literatura. O ambiente da escola é muito importante”, disse.

Investimento

O investimento destinado ao Programa de Ensino Médio Integral chegará a R$ 316 milhões em 2019. Este recurso será usado na ampliação, adaptação, aquisição de novos equipamentos, contas públicas, além da alimentação escolar, custos com salários de professores e contratação de terceirizados nas 130 Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral. As novas EEMTIs passarão por processos de adequação essenciais para conversão ao modelo de ensino, como construção de salas de aula, climatização, reformas de vestiários, cozinhas e refeitórios.

Com relação às novas EEEPs, serão investidos R$ 38,8 milhões para construir, equipar e mobiliar as três unidades de ensino. Os recursos são oriundos dos governos Federal e Estadual.

Ensino Médio em Tempo Integral

O Governo do Ceará, por meio da Seduc, iniciou, em 2016, o projeto-piloto para a implantação do tempo integral em 26 escolas estaduais de ensino regular. Em 2017, outras 45 escolas passaram a ofertar a jornada prolongada. No ano passado, mais 40 unidades integraram o Programa de Ensino Médio em Tempo Integral. Neste ano, já serão 50 municípios com Escolas de Ensino Médio em Tempo Integral, beneficiando cerca de 40 mil alunos. Em Fortaleza, são 48 unidades com a jornada prolongada.

A maioria das EEMTIs está localizada entre os municípios mais populosos. As escolas foram distribuídas em áreas consideradas mais vulneráveis. A oferta do ensino integral começa a partir da 1ª série do Ensino Médio e a expansão ocorre gradualmente para as próximas séries. Cada escola oferta uma jornada de nove horas, garantindo três refeições diárias. O currículo é composto por 30 horas semanais de disciplinas da base comum a todos e 15 horas na parte flexível, sendo que 10 são escolhidas pelos alunos.

De acordo com o projeto, a oferta das eletivas deve ser estruturada levando em consideração eixos temáticos de modo a possibilitar aos alunos a estruturação de seu itinerário formativo e uma reflexão sobre sua trajetória acadêmica, desenhada por suas escolhas e interesses. Os 10 eixos temáticos são os seguintes: Educação em Direitos Humanos; Educação Científica; Formação Profissional /e-Jovem – Informática; Educação Ambiental e Sustentabilidade; Mundo do Trabalho; Comunicação, Uso de Mídias, Cultura Digital e Tecnológica; Esporte, Lazer e Promoção de Saúde; Artes e Cultura; Clubes Estudantis e Desenvolvimento de Projetos, além de Aprofundamento de Conteúdos do Núcleo Comum.

Ensino profissional

A partir de 2008, foram implantadas as Escolas Estaduais de Educação Profissional. O programa começou com 25 escolas. No ano seguinte, foram mais 26 unidades. Atualmente, 94 municípios cearenses possuem escolas profissionais, reunindo 50 mil alunos matriculados em 52 cursos. Na Capital, são 21.

Nessas unidades, é ofertado o Ensino Médio integrado à Educação Profissional, com duração de três anos, com funcionamento diário em tempo integral, das 7h às 17h. Dessa forma, os alunos aprendem uma profissão ao mesmo tempo em que fazem os três últimos anos da educação básica. Durante o terceiro ano, o Governo do Ceará propicia o acesso ao estágio curricular obrigatório e remunerado a todos os alunos. Ao todo, 4,5 mil empresas são parceiras nos programas de promoção de estágio profissional com a previsão de atendimento de 15 mil estudantes.

O currículo desenvolvido nessas escolas é composto por disciplinas da base nacional comum, da formação profissional, além de uma parte diversificada, que abrange componentes curriculares como: Empreendedorismo, Projeto de Vida, Mundo do Trabalho, Formação para a Cidadania, Projetos Interdisciplinares, Horários de Estudo, Língua Estrangeira Aplicada. A carga horária total trabalhada ao longo dos três anos do ensino médio integrado à educação profissional é de 5.400h.

É possível identificar que 60,8% dos alunos que finalizam os estudos nas EEEPs estão inseridos no mercado de trabalho ou em uma universidade. De 2010, ano de formação das primeiras turmas da educação profissional, até 2017, foram 76.320 alunos formados.

 

Com informações: ASCOM do Governo do Estado do Ceará

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *