HGF chega aos 50 anos de mãos dadas com a sociedade

“O reconhecimento é a memória do coração. Essa foi uma frase que eu ouvi do meu pai e ela é muito simbólica, porque mistura vários sentimentos ao mesmo tempo e eu quero dedicar esse momento a alguns professores que estão aqui presentes. É espelhando no passado que se faz o futuro e esse é o ponto fundamental que incentiva a vida, é isso que nos dá força para trabalhar todos os dias, para passar os momentos difíceis e para exercer o que a gente mais precisa no momento, a solidariedade. Eu agradeço a tudo que vocês fazem pela saúde do Estado”. Foi assim que o secretário da Saúde do Estado do Ceará, Carlos Roberto Martins Rodrigues, abriu a 50ª Reunião Anual do Hospital Geral de Fortaleza (HGF) nesta terça-feira, 21, evento que integra as comemorações do 50º aniversário da Unidade.

A história do HGF se confunde com a consolidação do sistema público de saúde do Ceará. Maior hospital do Estado, a instituição chega ao jubileu como referência e fazendo parte da vida dos cearenses, sendo eles pacientes ou profissionais da saúde. É o caso do vigilante Carlos Augusto Rodrigues, 45, que está internado na unidade desde o último dia 11 de maio, e da colaboradora Maria dos Prazeres Rabelo, 74, endocrinopediatra que compôs o corpo médico do hospital desde a fundação.

Ambos dedicaram ao HGF, ainda que de maneira diferente, capítulos relevantes em suas vidas. Ele passa pela segunda internação no hospital por conta de um transplante rim, e ressalta a importância que a instituição teve na manutenção da sua saúde.

“Eu fiz o meu primeiro transplante de rim há dez anos. Recebi o órgão da minha irmã, mas com o passar dos anos o corpo rejeitou e eu tive que entrar na fila por uma nova espera do órgão. Foram sete longos anos de hemodiálise, até que eu tive uma nova chance na minha vida. O hospital me ligou durante a madrugada e me deu vida nova, mais uma vez. Eu só tenho a agradecer por toda essa atenção que a equipe nos dá”, declara Augusto Rodrigues.

Se ele teve a vida mudada como paciente, ela é parte da construção de meios para salvar vidas. Maria dos Prazeres, além de estar desde a fundação da unidade, fez parte da criação do serviço de pediatria do HGF, onde até hoje se diz orgulhosa em “ter vestido a camisa” e recebeu uma honrosa homenagem pelo tempo de serviço no hospital.

“Durante três meses, eu e o Dr. Luis Castelo ficamos morando dentro do hospital. Nós chegamos antes da inauguração para que pudéssemos implantar o serviço de pediatria com a estrutura necessária para a época. Eram oito leitos de alto risco e 20 para as mães com seus bebês. Eu trabalhei durante 30 anos na instituição e quando eu saí para lecionar, foi como se tirasse um filho de mim, pois o prazer que eu tinha em fazer isso era imenso. Fico lisonjeada com essa homenagem de hoje”, relata.

Aniversário

Tendo como tema 50 anos de mãos dadas com a sociedade, a abertura do jubileu de ouro teve a apresentação dos corais da Santa Casa de Misericórdia e da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), além de atividades como palestras, homenagens aos funcionários aposentados da instituição e o reconhecimento pelo trabalho de funcionários que atuam há mais tempo no hospital. Alguns serviços, por sua importância e também por terem alcançado um elevado nível de organização, foram convidados a apresentar como atingiram a excelência em seus processos ao longo desses 50 anos.

Ainda durante esta semana, haverá uma programação especial voltada à população, com serviços de saúde, na Praça do Ferreira, no sábado, 25. As atividades do Saúde na Praça reunirá vários serviços divididos em stands, como aferição de pressão arterial, verificação de glicemia, ação preventiva de câncer de boca, orientação de escovação bucal, ações educativas para prevenção de AVC, oficinas e captação de mães doadoras de leite, orientações sobre doação de órgãos, palestra de cuidados com a voz, atividades sobre higienização das mãos e oficina de cuidado com o paciente de alta complexidade.

Dando sequência aos festejos, ocorrerão ainda uma solenidade em homenagem ao jubileu que ocorrerá no Cineteatro São Luiz, na próxima quinta-feira, 23, às 19h e uma sessão solene em comemoração aos 50 anos de fundação do Hospital Geral de Fortaleza, na Assembleia Legislativa.

“É uma honra para nós estarmos comemorando 50 anos da maior instituição pública do Estado do Ceará, ao mesmo tempo é uma responsabilidade muito grande, porque a partir de agora, começam mais 50 anos que tem que ser tão bons quanto os que já passaram. Para que isso aconteça, a gente precisa da contribuição de cada um, o hospital se faz através de seus colaboradores”, destaca o gestor da Unidade, Daniel de Holanda.

As comemorações iniciaram no último sábado, 18, com o torneio de futebol para colaboradores do hospital. O Torneio R9 HGF 50 Anos seguiu até o domingo, 19, e teve a equipe Sinergia, formada por funcionários da segurança, nutrição e hotelaria, como grande campeã.

Na segunda-feira, 20, tiveram início as celebrações na unidade, com o hasteamento das bandeiras e um ato ecumênico para servidores, colaboradores, pacientes e acompanhantes com apresentação da Banda da Polícia Militar.

O HGF

O Hospital Geral de Fortaleza foi inaugurado em 23 de maio de 1969, como unidade pertencente ao extinto Instituto Nacional de Assistência Médica da Previdência e Social (Inamps), idealizado para ser Centro de Referência para a região Norte e Nordeste no tocante à assistência de alta complexidade.Tem sido marcante o desenvolvimento das tecnologias de saúde adotadas pelo hospital, proporcionando uma melhor qualidade às práticas do cuidado. Atualmente, há 4.540 trabalhadores em diversas áreas da saúde, administrativas, técnicas e de apoio, que fazem do HGF referência em atendimento de alta complexidade para a população do Ceará e também de outros estados do país.

São esses profissionais que continuam diariamente a contar a história do hospital que, há 50 anos, existe para cuidar, salvar vidas, melhorar qualidade de vida dos pacientes. No período de abril 2018 ao mesmo mês de 2019, o HGF realizou 248,5 mil consultas, 41,8 mil atendimentos na emergência, 9,6 mil cirurgias eletivas e de emergência e 2,04 milhões de exames laboratoriais e de imagens.

 

Com informações: ASCOM do Governo do Estado do Ceará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *