Luizianne Lins e Capitão Wagner são os candidatos com mais gastos contabilizados na campanha eleitoral

Os candidatos a prefeito em Fortaleza, Capitão Wagner (PROS) e Luizianne Lins (PT), foram os que declararam, até aqui, os maiores gastos nesta campanha eleitoral, que teve início dia 27 de setembro passado. Alguns postulantes, porém, ainda não registraram todas as despesas feitas.

Capitão Wagner, por exemplo, possui receitas totais de R$ 1,5 milhão, sendo R$ 1 milhão da executiva nacional do PROS e R$ 500 mil doados pelo senador Eduardo Girão (Podemos). O postulante, porém, já gastou ao menos R$ 751 mil, ou seja, a metade do que arrecadou, conforme divulgou a Justiça Eleitoral.

Desse total, a maior parte foi para produção de programas de TV. Ao menos R$ 300 mil foram para este fim. Cerca de R$ 218 mil, segundo registrou, foram destinados apenas para impulsionamento de conteúdo nas redes sociais, enquanto que R$ 117 mil foram gastos com militância.

Luizianne Lins, porém, arrecadou cerca de R$ 1 milhão, oriundo de fundo do Partido dos Trabalhadores. A candidata, porém, já gastou 73% de tudo o que recebeu, ou seja, cerca de R$ 733 mil. Pelo menos R$ 350 mil foram para a produção das propagandas eleitorais da campanha, enquanto que R$ 11 mil foram para serviços prestados e R$ 110 mil gastos com pesquisas eleitorais.

Anízio Melo (PCdoB), porém, de acordo com o que foi enviado à Justiça Eleitoral, foi o candidato que gastou mais do que arrecadou. Segundo o portal Divulgacandcontas, o candidato somou receitas totais no valor de R$ 58 mil, mas teve gastos no valor de R$ 64 mil, sendo R$ 50 mil com programas de TV e R$ 10 mil para impressão de material de campanha.

Heitor Férrer (SD), que até o momento, arrecadou R$ 250 mil, registrou gastos no valor total de R$ 31 mil, todo com publicidade de material impresso. Apesar de estar gravando programas eleitorais para rádio e TV, o postulante ainda não declarou esses valores à Justiça Eleitoral. Dos R$ 133 mil arrecadados, Renato Roseno (PSOL) já gastou R$ 55 mil.

Já o candidato com maiores recursos registrados, Sarto (PDT), gastos apenas R$ 150 mil com impulsionamento de conteúdo. O pedetista declarou receitas totais no valor de R$ 4,3 milhões.

Célio Studart (PV) arrecadou R$ 690 mil, gastando, até o momento R$ 265 mil, sendo a maior parte, R$ 181 mil, com impulsionamento de conteúdo nas redes sociais. Já Paula Colares (UP) apresentou receita no valor de R$ 8 mil e gastou, somente com material impresso, R$ 6 mil. Samuel Braga (Patriota) e Heitor Freire (PSL) não declararam os valores das despesas feitas.

 

Com informações: Edison Silva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *