Medidas para reduzir velocidade em vias preocupantes são reforçadas

Instalação de novos semáforos, reforço da fiscalização horizontal e ações de conscientização em vias consideradas preocupantes buscam frear um dado alarmante na Capital: um em cada cinco motoristas ultrapassa o limite de velocidade no trânsito. A informação consta no levantamento realizado pela Universidade Johns Hopkins (EUA), em parceria com a Universidade Federal do Ceará (UFC). O desrespeito chama atenção da Prefeitura de Fortaleza, que elenca o sucesso de iniciativas que serão expandidas pela cidade até o fim do ano.

De redesenho viário a campanhas educativas, a Capital desenvolve estratégias para prevenir o agravamento da problemática. Nas Avenidas da Universidade, João Pessoa, Osório de Paiva, Dom Luís e Santos Dumont, ações de redução de velocidade já foram finalizadas e estão em fase de conclusão em outras vias, como a Bezerra de Menezes, Francisco Sá e Coronel Carvalho. O cronograma da Prefeitura prevê a expansão para outros trechos da capital até o final do ano.

A preocupação encontra justificativa na Organização Mundial da Saúde (OMS), que cita a infração como amaior causadora de acidentes. Em 2018, quando a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC) fez a última sondagem anual, o excesso de velocidade figurou como a infração mais cometida. Foram aplicadas 220.790 multas a motoristas que transitaram em velocidade superior à máxima permitida em até 20 quilômetros.

Para o coordenador executivo da Iniciativa Bloomberg, Dante Rosado, que apoia a Prefeitura de Fortaleza em ações no trânsito desde 2015, embora os condutores tenham absorvido um “comportamento mais seguro”, ainda há gargalos não superados. “O condutor tem usado mais capacete, cinto de segurança e dirigido menos alcoolizado. A velocidade é um fator de risco que ainda precisa ser melhor trabalhado”, considera.

Campanha

Dentro do pacote de intervenções adotado pela gestão municipal, a AMC lançou, na manhã de ontem (4), uma nova campanha com foco no respeito aos pedestres e no cumprimento do limite de velocidade nas vias urbanas. Além de ser veiculada nos meios de comunicação e redes sociais, a ação também terá a participação de agentes em áreas com grande volume de transeuntes e registros de ocorrências. Informativos impressos e orientações importantes serão repassados ao público.

arte

Ao mesmo tempo, recursos de engenharia de tráfego já começaram a ser implementados. Conforme o superintendente da AMC, Arcelino Lima, recuperar a sinalização horizontal para pedestres em corredores comerciais e instalar novos semáforos fazem parte das intervenções. Nas Avenidas da Universidade, João Pessoa, Osório de Paiva, Dom Luís, Santos Dumont, a ação já foi concluída, assim como na Regional do Centro.

“Já estamos também trabalhando na Francisco Sá, Coronel Carvalho e Bezerra de Menezes. Vamos expandir esse programa até o fim do semestre nas avenidas que tenham grande volume de travessia. Nós temos priorizado a recuperação da sinalização para favorecer os pedestres”, justifica o superintendente.

Resultados

Com as mudanças, o órgão espera obter o mesmo êxito de outros trechos que já adotaram as medidas, a exemplo da Avenida Leste-Oeste, entre o Pirambu e a Barra do Ceará, que reduziu demodo significativo as ocorrências de trânsito. Se entre outubro de 2016 e março do ano passado 119 acidentes foram contabilizados, oito meses depois, o quantitativo decresceu para 75, uma queda de 37,5%. Já o número de acidentes com vítimas lesionadas foi de 92 a 64, enquanto o de atropelamentos passou de 29 para 11, caindo 63,3%.

A Avenida Osório de Paiva também recebeu intervenções. Seis semáforos foram instalados, sendo um para pedestres em frente ao Terminal do Siqueira e outros cinco no cruzamento da Av. Osório de Paiva com as ruas Afrânio Peixoto, Napoleão Quezado, Dom Henrique, Leão do Norte e Leblon Maia. Dessa forma, houve redução de 25,8% de acidentes, 32,8% de vítimas lesionadas e 28,6% de atropelamentos na região.

“Cabe ao poder público induzir uma consciência da sociedade. Não conseguiremos fiscalizar todos os cruzamentos da cidade,mas conseguiremos com a ajuda de todos ter
um respeito às faixas de pedestres, criar um clima de respeito também ao limite de velocidade”, almeja o titular executivo da Secretaria da Conservação e Serviços Públicos (SCSP), Luiz Alberto Saboia, com as intervenções.

 

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *