Na crise do coronavírus, Camilo vira exemplo de liderança

É nos tempos mais críticos que se esgarçam as diferenças entre quem é apenas um político e quem é um líder. Nesta calamidade imposta ao mundo pelo coronavírus – sem precedentes para as novas gerações -, faz-se gritante a necessidade de figuras capazes de guiar com a fusão calculada de serenidade nas palavras e firmeza nas ações; de bom senso nas decisões, respeito à ciência e apreço aos cidadãos. E, acima de tudo, de entender as corretas prioridades inerentes à crise.

Até o momento, o governador Camilo Santana tem feito o que se espera de um líder. Vê-se com nitidez que a gestão do Estado pôs no alto das prioridades a preservação da vida, e este entendimento é um passo essencial para que o futuro não nos reserve o colapso do sistema de saúde. A Itália é um triste exemplo da ruína que a doença pode causar a uma nação.

 “A economia a gente busca depois recuperar. Vidas a gente tem que salvar”, enfatizou o governador.

Do ponto de vista econômico, as previsões são as piores possíveis, é verdade. Devem crescer rapidamente a pobreza, o desemprego e a miséria, cenário muito preocupante para um País que mal se recuperou de uma recessão. Mas primeiro deve-se salvar a vida para depois ser possível salvar o bolso.

Cabe frisar que Camilo tem fugido, de forma inteligente, de picuinhas desnecessárias com o Governo Federal. Não é hora de cisão. O panorama pede pragmatismo, ação concreta, planejamento, capacidade de resolver problemas reais.

Em situações como esta, é impossível para os gestores fracos manter a máscara da falsa competência. Ela tende a cair diante de todos. E rápido. Aqueles que têm na verborragia seu superpoder agora encontraram sua kryptonita. Falas baratas e discursos beligerantes não superam um vírus; só o fortalecem.

É preciso entender que esta batalha é apartidária, as ideologias às favas. Se esquerda e direita perderem tempo com contendas fúteis, quem sai vitoriosa é a Covid-19. Camilo parece ter entendido isso.

Mesmo filiado a um partido (PT) com tendência à confrontação ideológica, o governador tem investido energia apenas no que realmente importa, com medidas severas para garantir o isolamento social e impedir a proliferação da ameaça. É isto que todos os profissionais da Saúde, que estão heroicamente empenhados nesta guerra, vêm clamando à população.

Considerando as deficiências da saúde pública, há ainda muito trabalho a ser feito, e as autoridades precisam estar sempre um passo à frente. As próximas semanas serão cruciais. Mas é reconfortante saber que há um grupo de gestores e profissionais dedicados, com o objetivo compartilhado de superar a crise.

#FiqueEmCasa

Com informações: Diário do Nordeste

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *