Partidos realizam primeiro ato virtual pelo impeachment de Bolsonaro

Cinco partidos realizam hoje, às 18h30min, o ato “Janelas pela Democracia: Impeachment Já”. As siglas PDT, PSB, Rede , PV e Cidadania reunirão, ao vivo pelas redes sociais, artistas e lideranças políticas. O objetivo é cobrar a tramitação dos mais de 30 pedidos de impeachment contra o presidente Jair Bolsonaro no Congresso Nacional.

Neste mês, o PDT, juntamente com o PSB, Rede e o PV, decidiram conjuntamente, após reunião por videoconferência das direções nacionais dos partidos, apoiar as iniciativas de cada legenda e a respectiva bancada pelo impeachment de Bolsonaro. Dentre os líderes pedetistas confirmados estão, Carlos Lupi e Ciro Gomes, presidente nacional e vice-presidente nacional da legenda, respectivamente, e do secretário-geral nacional do partido, Manoel Dias.

No Ceará, o movimento conta com o apoio de lideranças partidárias locais. Segundo o presidente estadual do PDT e líder da oposição na Câmara dos Deputados, André Figueiredo, o ato é pioneiro na formação de uma ampla frente de enfrentamento ao governo Bolsonaro.

“Nós estamos trabalhando para promover mobilização nas janelas e terraços para que as pessoas possam ficar mais atentas a todas as ações que são promovidas pelo presidente da República. Ele chama as pessoas pra rua, não se importa com diálogo, com a comunidade científica e reforça a tese de um medicamento que não tem comprovação científica”, afirma.

Sobre a futura entrada de outros partidos de oposição no ato, André reforça que o objetivo é reunir “todas as forças possíveis em uma ação unitária” nas demais edições. “O próprio MBL que já protocolou pedido (de impeachment) pode vir a integrar. Não temos de forma alguma o interesse de excluir partidos” disse.

Perguntado sobre a ausência do PT – principal bancada de oposição no Congresso – Figueiredo alegou que não havia protocolo de impeachment no Congresso por parte legenda petista. E que não há indicativos por parte da Executiva nacional de recusa à futuras propostas de inclusão do PT.

Apesar de, até poucos dias, o PT não ter firmado posição em prol do impeachment, na última sexta-feira, 15, a presidente nacional da sigla, deputada Gleisi Hoffmann (PR), anunciou que o partido decidiu se manifestar e afirmou que fará campanha pelo “Fora, Bolsonaro”.

Na semana passada, o ex-presidente Lula afirmou que Bolsonaro tende a “endurecer” o discurso e caminhar para um viés cada vez mais “autoritário”. “Espero que o presidente da Câmara coloque o impeachment em votação”, disse em rede social.

Por meio de assessoria de imprensa, Gleisi afirmou que o partido realiza hoje uma reunião com os presidentes de partidos para definir ações conjuntas de enfrentamento e a qual poderá definir a participação da legenda nas demais mobilizações já vigentes. A parlamentar adiantou ainda que o PT articula, junto à partidos e movimentos sociais, um pedido coletivo de impeachment, o qual será entregue até o fim desta semana.

 

Com informações: O Povo Mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *