RC reage à acusação de traição e eleva tom contra Eunício

O prefeito Roberto Cláudio (PDT) reagiu ontem às acusações de traição feitas pelo presidente do Senado, Eunício Oliveira (MDB), e elevou o tom das críticas ao emedebista. “Eu teria um longo tratado sobre lealdade, traição e lado político para falar do Eunício e do MDB, mas não farei. Isso não ajudará na resolução desse impasse”, disse Roberto Cláudio durante reunião com secretariado na manhã de ontem.O impasse citado pelo prefeito se refere ao trâmite para o empréstimo do Banco Mundial a Fortaleza, recurso que seria destinado a obras e ações para preservação ambiental. Para ser liberada, a concessão de US$ 150 milhões precisa passar por votação no Senado. Roberto Cláudio detalha que o processo estava bem encaminhado até pouco antes das eleições, mas, após os resultados e consequente derrota de Eunício, houve uma regressão.

O assunto pautou a Câmara Municipal na última terça-feira, quando vereadores da base aliada do prefeito teceram críticas ao senador. No dia seguinte, Eunício negou que tenha barrado a tramitação do processo e acusou Roberto Cláudio de traição, responsabilizando-o pela votação pouco expressiva que obteve na Capital. “Ele disse que ia me apoiar (nas eleições) e depois fez um acordo paralelo com meus adversários”, afirmou o senador. “Jamais farei vingança política, mesmo com os traidores”, continuou.

De acordo com Roberto Cláudio, no último dia 4 de outubro, documento assinado foi encaminhado da Casa Civil para o Senado. “A eleição foi domingo (7 de outubro). A partir de segunda-feira, depois do resultado, o financiamento simplesmente não andou, parou, voltou para o Tesouro. Nós fizemos um esforço para voltar para a Casa Civil e não foi resolvido”, afirmou.

Caso não seja votado até o fim do ano, todo o processo para pedido de empréstimo, iniciado em 2014, teria que ser reiniciado, explica a titular da Secretaria Municipal do Urbanismo e Meio Ambiente, Águeda Muniz.

“A pergunta é bem simples: o senador Eunício vai se vingar da rejeição eleitoral que sofreu em Fortaleza atrapalhando o povo ou ele vai cumprir sua obrigação de senador?”, questionou o prefeito.

Entre as obras previstas para aplicação do recurso, está a construção de complexos ecológicos no Passaré e na Lagoa Parque da Viúva, a urbanização do Parque Rachel de Queiroz e da foz da Barra do Ceará, além da garantia de balneabilidade em toda a orla.

Apesar do embate, o prefeito afirmou preferir não “nutrir qualquer tipo de rivalidade pessoal ou ataques pessoais” com Eunício. Ele ressalta que está pedindo “mediação, conciliação, bom senso e responsabilidade para cumprir as obrigações de mandato de senador”. “Mas irei brigar até o último momento, porque não deixarei isso barato. É obrigação do mandato do senador trabalhar pela Cidade e não atrapalhá-la”, reforçou.

Também ontem, o presidente do Congresso Nacional divulgou uma certidão que atesta que todas as mensagens solicitando autorização de empréstimo para o Estado do Ceará e seus municípios, que chegaram durante sua gestão, já foram aprovadas.

O documento, assinado pelo secretário-geral da Mesa do Senado, Luiz Fernando Bandeira de Melo Filho, afirma que nenhuma outra mensagem (além das já aprovadas) foi protocolada na Casa.

Com o documento, Eunício assegura que o empréstimo a que se refere Roberto Cláudio, nem sequer chegou ao Legislativo. “Quaisquer informações divulgadas de forma contrária têm a única intenção de confundir a população. Estarei como sempre estive, até o fim do meu mandato, à disposição de Ceará e seus municípios para tudo o que for destinado a melhorar a vida das pessoas, especialmente as que mais precisam”.

Eleições

Em Fortaleza, Eunício ficou em quarto lugar na disputa pelas duas vagas ao Senado. atrás de Cid Gomes (PDT), Eduardo Girão (Pros) e Mayra Pinheiro (PSDB). No Ceará, ele ficou na terceira posição.

 

Com informações: O Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *