Seis prefeitos eleitos não tomarão posse no Ceará

Votar e eleger um prefeito não significa, necessariamente, que ele estará à frente de um município algum tempo depois. Mesmo consagrado por uma vitória nas urnas. Apesar da posse de 178 prefeitos cearenses neste mês de janeiro, em alguns municípios, a situação ainda é de indefinição.

A questão envolve as outras seis cidades do Estado onde os respectivos candidatos eleitos ainda travam disputas judiciais para tentar efetivar o triunfo eleitoral e assumir seus cargos para os próximos quatro anos. Caso não tenham sucesso, a Justiça Eleitoral determina a realização de eleições suplementares para a escolha de um novo gestor ou gestora.

Um dos casos é o de Martinópole. Enquanto o prefeito eleito, James Martins (PP), está com registro de candidatura indeferido e aguarda a decisão de recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), quem ocupa o posto no Executivo do município é o presidente da Câmara, Francisco Ediberto (PP), o Betão.

Correligionário de James Martins, Betão diz estar recebendo do ex-prefeito Júnior Fontenele (PL) uma gestão sucateada. O interino afirma que o atual dever é “pacificar esse período transitório e não deixar a população carente de um gestor” e “de repassar a administração na melhor condição possível para o futuro prefeito”.

“Atualmente, meu maior desafio é o ex-gestor municipal. Devido ao imbróglio que estamos vivendo, a resistência para entregar o município foi imensa”, protesta.

No município de Barreira, quem assume o posto de prefeito, no momento, é o empresário João Carlos Fernandes (PSD), presidente da Câmara.

A prefeita eleita, Maria Auxiliadora (PSD), espera julgamento do TSE após ter o registro de candidatura indeferido pelo TRE por contas reprovadas, em 2018, pelo Tribunal de Contas. Procurados, a prefeita e o seu interino não responderam à reportagem para aprofundar as declarações de defesa.

Em Caridade, quem assume o posto de Maria Simone Tavares (PDT) é o aliado e presidente da Câmara, Erivaldo Fernandes (PDT). Na região, contudo, a situação é complicada para a vencedora nas urnas.

Maria está impedida de exercer o mandato com base na Lei da Ficha Limpa, após ter contas reprovadas no TCE, na gestão anterior. Com o registro indeferido, o caso chegou ao TSE, que manteve o impedimento da posse em 1º de janeiro. Em 18 de dezembro, a Corte determinou ainda a realização de novas eleições no município.

Nas redes sociais, a pedetista publicou, em novembro, que foi eleita democraticamente e “desde o início da campanha”, “sofre de perseguição política do candidato adversário”, Antônio Xerez (PT). O interino Erivaldo foi procurado pela reportagem, mas não respondeu às mensagens enviadas.

Em Jaguaruana, o pedetista reeleito Roberto da Viúva foi substituído interinamente por Elias Oliveira (PCdoB), conhecido como Elias do Sargento. Roberto teve o registro rejeitado pelo TSE e a defesa negada pelo STF em dezembro.

Na última sexta-feira, 15, em seu perfil pessoal no Facebook, Elias relatou dificuldades em lidar com o pagamento do funcionalismo público da região, criticando a gestão de Roberto da Viúva.

“Se existiam recursos nas contas, porque não pagaram as folhas de pagamento? Aguardemos então o relatório da auditoria que está sendo realizada, a qual indicará, os inúmeros absurdos cometidos pela gestão anterior”, comentou Elias. O parlamentar não atendeu aos telefonemas para comentar detalhes da gestão.

Em Missão Velha e Pedra Branca, os presidentes de Câmara que assumem os cargos dos prefeitos eleitos Washington Luiz (MDB) e Antônio Góis (PSD), são, respectivamente, os vereadores Inácia Arraes (MDB), ou Dona Nazinha, e Rogério Curdulino (Pros).

“Recebemos o Município com grandes dificuldades, muitas dívidas, inclusive os salários do mês de dezembro dos servidores”, avalia Rogério sobre o momento da gestão.

O prefeito temporário adianta ainda que já conseguiu pagar os servidores da saúde e que sua equipe está na busca de recursos para a programação do pagamento das demais secretarias. A reportagem não conseguiu contato com Dona Nazinha.

 

Cidades com prefeitos interinos

Barreira

Prefeita eleita: Maria Auxiliadora Bezerra (PSD)

Prefeito interino: João Carlos Fernandes (PSD)

Caridade

Prefeita eleita: Maria Simone Fernandes (PDT)*

Prefeito interino: Erivaldo Fernandes (PDT)

*Candidatura indeferida no TSE, que determinou a realização de novas eleições no município

Jaguaruana

Prefeito eleito: Roberto Barbosa Moreira/Roberto da Viúva (PDT)

Prefeito interino: Elias Oliveira/Elias do Sargento (PCdoB)

Martinópole

Prefeito eleito: James Martins Pereira/James Bel (PP)

Prefeito interino: Betão Souza (PP)

Missão Velha

Prefeito eleito: Washington Luiz Macedo (MDB)

Prefeita interina: Inácia Arraes/Dona Nazinha (MDB)

Pedra Branca

Prefeito eleito: Antônio Góis Monteiro (PSD)

Prefeito interino: Juarez Abrantes de Melo (Solidariedade)

 

Com informações: O Povo Mais

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *