Na véspera do fim do prazo, Mais Médicos tem 123 vagas abertas

De acordo com levantamento divulgado nesta quinta-feira (6) pelo Ministério da Saúde, ainda restam 123 vagas disponíveis no programa Mais Médicos. Segundo a pasta, 3.721 médicos já se apresentaram aos municípios onde deverão trabalhar. O edital oferta, ao todo, 8.517 vagas em 2.824 municípios e 34 distritos indígenas.

Na última terça-feira (4), 200 profissionais desistiram de trabalhar no Mais Médicos e as vagas foram reabertas.

O prazo de inscrição vai até está sexta-feita (7), às 23h59, e os médicos têm até o dia 14 para se apresentarem nos municípios.

Com informações: Ceará Agora / G1

Mais Médicos: 114 cidades cearenses receberão 443 profissionais; apenas 11 estão confirmados

O Ministério da Saúde divulgou novo edital do Programa Mais Médicos nesta segunda-feira, 26, em que lista todos os municípios brasileiros que deverão receber os profissionais de forma imediata. O documento mostra que 114 cidades cearenses serão atendidas com 443 médicos. Apenas 11 deles, porém, já estão confirmados em sete cidades do Estado.
Até às 12 horas desta segunda, 30.734 médicos com registro no Conselho Regional de Medicina (CRM) estavam inscritos no programa, mas de acordo com a pasta, 21.407 inscrições foram efetivadas. Deste total, 8.278 profissionais já foram alocados nos municípios em que atuarão. O número representa 97,2% do total de vagas disponíveis.
Cada profissional selecionado tem até o dia 14 de dezembro para se apresentar ao Município em que trabalhará, para entregar a documentação exigida no edital. O Ministério informa que até o momento, 224 médicos já realizaram apresentação nas unidades básicas de saúde.
São Paulo é o estado que mais receberá médicos: 1.408. No Nordeste, a Bahia receberá 853 profissionais. Em seguida vem o Ceará, que tem estimada a chegada de 443 médicos, os quais deverão ser distribuídos por 114 cidades.
Até o momento, sete cidades cearenses tiveram a chegada de médicos confirmada, segundo o Ministério da Saúde. Confira:
Cidade / Vagas
Acarau / 3
Iraucuba / 1
Marco / 1
Pacajus / 1
Parambu / 2
Quixeramobim / 1
Tianguá / 2
Programa Mais Médicos
Neste novo edital do Mais Médicos, 8.517 vagas estão sendo ofertadas para atuação em 2.824 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), que antes eram ocupadas por médicos da cooperação com Cuba.
Podem se candidatar às vagas médicos formados no Brasil que tenham CRM ou o diploma revalidado. Cada profissional recebe bolsa-formação no valor de R$ 11,8 mil e ajuda de custo inicial, entre R$ 10 e R$ 30 mil, para deslocamento para o município de atuação. Todos os participantes têm ainda moradia e alimentação custeadas pelas prefeituras.
Com informações: O Povo

96,6% das vagas do Mais Médicos foram preenchidas, diz Ministério da Saúde

Foram preenchidas 96,6% das vagas do Mais Médicos, de acordo com balanço divulgado neste domingo (25) pelo Ministério da Saúde. Das 8.517 vagas disponíveis no novo edital do programa, 8.230 já foram alocadas para atuação imediata.

Até as 17h de ontem, foram 29.780 inscritos com registro (CRM). Os dados divulgados pela pasta não informam se os candidatos manifestaram preferência por trabalhar em alguma região do país. Também não informam se os médicos inscritos já foram notificados de sua aprovação no programa e em qual localidade deverão atuar.

Até o dia 14 de dezembro, os médicos aprovados deverão entregar os documentos exigidos nos municípios onde irão trabalhar. Até agora, 40 profissionais já se apresentaram, segundo o ministério.

As inscrições para o Programa Mais Médicos seguem até o dia 7 de dezembro. O site disponibilizado para o cadastramento dos profissionais chegou a apresentar instabilidade na manhã de abertura, quando recebeu mais de 1 milhão de acessos. O governo diz que a alta procura e ataques cibernéticos provocaram lentidão no sistema.

Como foi o edital anterior

No último edital lançado para o programa, em dezembro de 2017, a demanda por vagas era alta: o Ministério recebeu mais de 8 mil inscrições para 983 vagas. O programa conseguiu preencher quase 100% das vagas. Na época, o Ministério da Saúde preencheu 977 de 983 vagas, que atenderam 507 municípios. Todas as vagas foram preenchidas por brasileiros.

Mesmo com o alto número de inscritos, seis vagas ficaram sem médicos.

Desde o início do programa, o ministério abre editais para preenchimento de vagas por profissionais brasileiros. Além de preencher vagas por desistência e encerramentos de contrato.

Saída dos cubanos

O governo de Cuba decidiu deixar o Mais Médicos na quarta-feira (14), citando “referências diretas, depreciativas e ameaçadoras” feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro à presença dos médicos cubanos no Brasil.

Com aparelhos de TV e muita bagagem, médicos cubanos embarcam no Aeroporto de Brasília (DF) rumo à Cuba, nesta quinta-feira, 22. — Foto: DIDA SAMPAIO

 

O primeiro grupo de médicos cubanos embarcou de volta ao país natal na quarta-feira (21), em Brasília. Na bagagem, ele levaram muitos equipamentos eletrônicos, televisores, roupas e até animais de estimação. O segundo voo para Cuba decolou às 5h40 de sexta-feira (23) – o avião foi fretado pelo governo do país e levou 215 médicos.
Até meados de dezembro, cerca de 8 mil cubanos devem embarcar de volta ao país de origem, em voos semelhantes.

 

Com informações: G1

Prorrogada até o dia sete de dezembro as inscrições para o Programa Mais Médicos

Está prorrogado até o dia sete de dezembro o prazo para os médicos, com registro no Brasil, se inscreverem no Programa Mais Médicos. A medida, anunciada, nesta quinta-feira (22), pelo ministro da Saúde Gilberto Occhi, em Petrolina, Pernambuco, foi tomada devido à instabilidade do site do programa causada pelos ataques cibernéticos, que foram identificadas desde o primeiro dia de inscrição.

Com esta alteração, a data de apresentação aos municípios, também, mudou. A partir desta sexta-feira (23) até o dia 14 de dezembro, os médicos já inscritos e alocados podem entregar a documentação no município escolhido e iniciar as atividades.

Com a mudança, o prazo para apresentação dos médicos nos municípios para a homologação do contrato também foi estendido. Agora os inscritos terão até o dia 14 de dezembro para entregar a documentação no município escolhido e iniciar o trabalho.

Sobre a instabilidade do site, o Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (SUS) informou que está atuando para melhorar o sistema de inscrições. “O setor já identificou a maior parcela dos robôs e máquinas programadas que estão promovendo os ataques à página do Mais Médicos”, diz nota divulgada pela pasta.

De acordo com o Ministério da Saúde, até as 17h desta quinta-feira (22), segundo dia de inscrições, o número de candidatos ao programa com registro em Conselho Regional de Medicina (CRM) brasileiro chegou a 11.429. Desse total, 5.212 profissionais efetivaram a inscrição e 3.648 médicos já selecionaram o município de atuação. Os profissionais podem se inscrever no site do programa.

O edital do programa, publicado na última terça-feira (20), oferece 8.517 vagas para trabalhar em 2.824 municípios e 34 distritos sanitários especiais indígenas. Essas vagas eram ocupadas por médicos cubanos.

O programa Mais Médicos foi criado em 2013 para ampliar a assistência da população na atenção básica, levando médicos para regiões carentes de profissionais. Segundo o Ministério da Saúde, o programa tem 18.240 vagas em mais de 4 mil municípios, além de 34 distritos sanitários especiais indígenas, e atende a cerca de 63 milhões de brasileiros.

Os profissionais do Mais Médicos recebem uma bolsa-formação no valor de R$ 11,8 mil e uma ajuda de custo inicial de R$ 10 e R$ 30 mil para deslocamento para o município onde vão trabalhar. Os profissionais que atuam no programa também têm a moradia e a alimentação custeadas pelas prefeituras.

 

Com informações: Edison Silva / Ministério da Saúde

Inscrições para o Programa Mais Médicos começam nesta quarta-feira

As inscrições do Programa Mais Médicos para preencher vagas abertas com a saída dos médicos cubanos começaram a partir das 8h desta quarta-feira (21) e vai até o dia 25 deste mês. Conforme o edital publicado nessa terça-feira (20) pelo Diário Oficial da União, poderão se inscrever os médicos brasileiros com CRM Brasil ou com diploma revalidado no país.

De acordo com o Ministério da Saúde, os profissionais habilitados podem se inscrever por meio do site maismedicos.gov.br. O início das atividades está previsto para 3 de dezembro. São ofertadas 8.517 vagas para atuação em 2.824 municípios e 34 Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEI), que antes eram ocupadas por médicos da cooperação com Cuba. As vagas serão preenchidas por ordem de inscrição.

“O edital é a medida emergencial adotada pelo governo brasileiro para garantir a assistência em locais que contam com profissionais de Cuba, após o comunicado da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no qual o governo cubano informa que encerrou a cooperação no programa Mais Médicos”, diz nota publicada pelo ministério.

Gilberto Occhi

Durante entrevista à imprensa na segunda-feira (19), em Brasília, o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, detalhou o novo edital do programa e informou que caso as vagas disponíveis não sejam preenchidas elas serão oferecidas, por meio de um novo edital a ser lançado no próximo dia 27.

Ministro da Saúde, Gilberto Occhi – Foto: Valter Campanato/Agência Brasil
“Estamos disponibilizando um sistema que o médico poderá acessar, fazer seu cadastro e escolher o estado e cidade que quer atuar. Se houver vaga, poderá acessar. Vamos dizer que numa cidade há 10 vagas. Os 10 primeiros médicos que acessarem e atenderem aos requisitos vão consumir essas vagas e elas serão retiradas do sistema”, explicou o ministro.

O prazo para que os médicos assumam os novos postos de trabalho é curto, segundo o ministro, para evitar que a população fique desassistida após o anúncio do governo cubano de sair do programa no Brasil, por discordar de exigências feitas pelo governo eleito de Jair Bolsonaro. Com isso, mais de 8 mil médicos cubanos que atuavam no programa vão deixar o país.

Os médicos aprovados deverão se apresentar nos municípios escolhidos a partir do dia 3 de dezembro para homologar a contratação e começar a trabalhar. O prazo final para que os médicos aprovados se apresentem é dia 7 de dezembro, às 18h, ou serão eliminados do processo e a vaga será disponibilizada novamente no sistema de inscrição do Ministério da Saúde.

O ministro informou que na próxima segunda-feira (26) o Ministério vai divulgar um relatório consolidando o interesse dos médicos no programa. “Ao final do dia 26, nós iremos publicar esse resultado com todos os inscritos e as respectivas lotações”, disse Occhi.

Segundo ele, os médicos que se inscreverem no segundo edital também terão que fazer o Revalida, mas poderão trabalhar enquanto isso não acontece mediante a apresentação de cerca de 17 documentos exigidos pelo governo. “O profissional brasileiro formado no exterior que não tenha CRM nem Revalida só poderá exercer sua atividade legalmente no Brasil por meio do Mais Médicos”, explicou.

 

Com informações: Agência Brasil

Ceará pode perder 448 profissionais sem os médicos cubanos

A cobertura de atendimento médico na cidade de Monsenhor Tabosa (a 311 km de Fortaleza) só foi possível depois do Mais Médicos. Lá, dos nove profissionais do programa, sete são cubanos: quatro na cidade e três nos distritos indígenas. “Agora não sei o que fazer diante dessa situação”, explica Celi Bezerra Saraiva, titular da Secretaria da Saúde do município. Ela se refere à decisão do governo cubano que informou ontem a saída do programa Mais Médicos do Brasil após declarações “ameaçadoras e depreciativas” do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

No Ceará, 118 municípios serão atingidos. De acordo com a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), no mês de outubro havia 1.229 profissionais no Ceará pelo Mais Médicos. Desse total, 448 são cubanos, a maioria atuando em áreas de vulnerabilidade, reservas indígenas e distritos distantes. É o caso de Tucunduba, distrito de Caucaia. Lá, o posto de saúde conta com uma profissional do programa. “É uma médica que realmente observa o paciente, examina bem”, afirma a auxiliar operacional Emery Forte, 29, que esta semana chegou a buscar atendimento. Ela acredita que a mudança pode complicar bastante no atendimento de saúde local. “As pessoas hoje conseguem ter acesso a uma profissional excelente, todos os dias, sem precisar ir ao centro de Caucaia (distante 24 km)”.

Cuba tomou a decisão de solicitar o retorno dos 8.332 médicos que trabalham hoje no Brasil depois que Bolsonaro questionou a preparação dos profissionais e condicionou a permanência “à revalidação do diploma”, além de ter imposto “como via única a contratação individual”.

O Mais Médicos tem 18.240 vagas em 4.058 municípios ? cobertura de 73%. Quando são abertos chamamentos para o programa, a seleção segue ordem de preferência: médicos com registro no Brasil (formados em território nacional ou no exterior, com revalidação do diploma no País); médicos brasileiros formados no exterior; e médicos estrangeiros formados fora do Brasil. Após as primeiras chamadas, caso vagas não sejam ocupadas, os profissionais de Cuba são convocados.

Tentamos manter contato com médicos cubanos, que não se pronunciaram sobre a decisão.

Carlile Lavor, diretor da Fiocruz Ceará, concorda com a necessidade de revalidação e acredita que existem profissionais brasileiros disponíveis para essas funções.

Para Juliana de Paula, doutora em saúde global e sustentabilidade pela Universidade de São Paulo (USP), a retirada abrupta dos médicos cubanos acarreta numa série de problemas. A situação é vista como “um dos maiores golpes à saúde brasileira”. “Isso vai resultar em atendimentos inacabados, agravamento de casos que estavam sendo acompanhados”, afirma.

O Ministério da Saúde, em nota, informou que “tranquiliza a população que adotará todas as medidas para que profissionais brasileiros estejam atendendo no programa de forma imediata”.

Médicos cubanos nos municípios do Ceará

21 – Morada Nova

19 – Iguatu

15 – Fortaleza

13 – Itapajé

11 – Granja e Limoeiro do Norte

10 – Acaraú e Acopiara

9 – São Benedito, Sobral, Tamboril e Viçosa do Ceará

8 – Camocim e Guaraciaba do Norte

7 – Crateús, Icó, Ipu, Parambu e Tianguá

6 – Bela Cruz, Cedro, Ibiapina, Ipueiras, Itarema, Marco e Uruoca

5 – Independência, Pacajus, Reriutaba, Santa Quitéria e Senador Pompeu

4 – Baturité, Itatira, Jaguaribe, Monsenhor Tabosa, Moraújo, Morrinhos, Nova Russas, Pereiro, Poranga, Tauá e Ubajara

3 – Amontada, Ararendá, Cariré, Chorozinho, Horizonte, Iracema, Irauçuba, Itapipoca, Itapiúna, Jaguaretama, Miraíma, Mombaça, Piquet Carneiro, Quiterianópolis, Quixeramobim, Santana do Acaraú e Várzea Alegre

2 – Altaneira, Assaré, Barroquinha, Canindé, Cariús, Carnaubal, Coreaú, Deputado Irapuan Pinheiro, Forquilha, Frecheirinha, Hidrolândia, Jaguaribara, Meruoca, Mucambo, Novo Oriente, Pacatuba, Palmácia, Pedra Branca, Pentecoste, Pires Ferreira, Quixadá, Russas, São Gonçalo do Amarante, Solonópole e Tabuleiro do Norte

1 – Alcântaras, Arneiroz, Barreira, Boa Viagem, Campos Sales, Capistrano, Catunda, Caucaia, Chaval, Choró, Croatá, Cruz, Ererê, Fortim, Graça, Ipaporanga, Jaguaruana, Jucás, Lavras da Mangabeira, Madalena, Maranguape, Martinópole, Mulungu, Ocara, Orós, Pacoti, Palhano, Paracuru, Pindoretama, Saboeiro, Senador Sá, Tururu, Umirim e Uruburetama

5 – Distrito Sanitário Especial Indígena

Total: 448

 

Com informações: O Povo

Caucaia: Campanha “Olhar Saudável” é oficialmente lançada no município

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) lançou oficialmente nesta quinta-feira (8/11), no auditório do Convento das Irmãs Cordimarianas, no Pabussu, a campanha “Olhar Saudável”. Com ela, a Prefeitura vai operar até o fim de dezembro 560 pacientes com catarata, a principal causa de cegueira no mundo.

A campanha é iniciativa é da SMS, com recursos captados pela pasta junto ao Ministério da Saúde. Estão sendo investidos R$ 743 mil em 962 cirurgias. Caucaia concentra, portanto, mais da metade desses procedimentos.

As cirurgias estão sendo realizadas em clínicas conveniadas à Prefeitura, como o Centro de Excelência Oftalmológica (CEO) e a Clínica de Oftalmologia Nossa Senhora dos Prazeres (Clinosp).

Segundo o titular da SMS, Moacir Soares, “Caucaia oferece a consulta e a cirurgia. Estamos facilitando o acesso e dando agilidade para quem precisa. Em 2019, a meta é fazer mais cirurgias.”

Conforme a coordenadora de Controle, Avaliação, Regulação e Auditoria da SMS, Denise Pontes, “existiam pessoas que aguardavam há bastante tempo as cirurgias”. Ela acrescenta que “as cirurgias chegam para ajudar na demanda que vem acumulando há algum tempo. Caucaia está dando todo este suporte para que todas as pessoas que precisem sejam contempladas.

A campanha integra uma nova linha de ação da SMS, que visa melhorar ainda mais a qualidade de vida da população. Os recursos foram disponibilizados especificamente para cirurgias eletivas.

Sífilis

Além do lançamento da campanha “Olhar Saudável”, a solenidade de hoje foi marcada pelo programa “Debate em Saúde”, que este mês tem a Sífilis como tema.

Com o “Debate em Saúde”, a SMS proporciona o encontro de profissionais da área com especialistas de outras cidades para uma troca de experiências. Participaram das discussões de hoje aproximadamente 100 profissionais da saúde.

 

Com informações: ASCOM da Prefeitura de Caucaia

Fortaleza e 10 cidades do Ceará não atingem meta de vacinação contra sarampo e pólio

A três dias do término da campanha nacional de vacinação, onze municípios do Ceará – incluindo Fortaleza – não atingiram a meta de vacinar, pelo menos, 95% das crianças contra o sarampo e a poliomielite. A capital Fortaleza registra coberturas baixas, com menos de 85% das crianças vacinadas. Em todo o estado, foram aplicadas mais de 983.968 mil doses das duas vacinas.

De acordo com o Ministério da Saúde, além de Fortaleza, os municípios cearenses de Aiuaba, Arneiroz, Cariús, Ipueiras, Itatira, Orós, Potengi, Quixerê, Tauá e Umari, precisam reforçar a vacinação neste tempo restante.

O ministro da Saúde, Gilberto Occhi, destaca a importância da mobilização de toda a sociedade para atingir a meta de vacinação. “A campanha termina na próxima sexta-feira (14). A vacina é a forma mais eficaz de proteger nossas crianças contra doenças já eliminadas no país”, ressalta.

Dados preliminares do Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização, alimentado pelos estados, apontam que o estado do Ceará vacinou 96,65 do público-alvo contra a pólio e 96,60% contra o sarampo.

Sarampo e poliomielite

A média nacional de vacinação está em 94%. Foram aplicadas em todo país cerca de 20,8 milhões de doses das vacinas (10,4 milhões de cada vacina). Onze estados e mais de 4 mil (72%) municípios atingiram a meta. Mas cerca de 1.500 cidades ainda devem buscar alternativas para vacinar 95% do público-alvo.

Na faixa etária de 3 e 4 anos, a cobertura vacinal está acima da meta, com 96,95% e 95,44%, respectivamente. A maior preocupação é com faixa de um ano de idade, cuja cobertura ainda está em 85,45%.

O sarampo e a poliomielite são doenças infectocontagiosas que podem resultar em complicações graves para as crianças, além de levar até a casos de morte.

Cidades do Ceará com cobertura vacinal abaixo de 95%

Cidade Cobertura Poliomielite Cobertura Sarampo
Fortaleza 86,9 87,4
Aiuaba 70,6 70,6
Arneiroz 91,2 91,2
Cariús 86,9 86,8
Ipueiras 94,8 94,1
Itatira 92,5 92,1
Orós 87,3 87,3
Potengi 69,1 69,1
Quixeré 92,2 92,2
Tauá 90,7 90,7
Umari 83,0 83,0

Sem atingir meta, vacinação contra sarampo e pólio terá novo ‘dia D’

Sem atingir a meta de vacinação contra sarampo e poliomielite, o Ministério da Saúde passou a orientar estados e municípios para que mantenham os postos de saúde abertos em horário estendido neste sábado (1º).

Na prática, a medida ocorrerá como um segundo “dia D” da campanha de vacinação contra as duas doenças.

A quatro dias do fim da mobilização, prevista para ser encerrada na sexta-feira (31), balanço da pasta aponta que 3,3 milhões de crianças de um ano a menores de cinco anos ainda não foram vacinadas -o equivalente a 30% do público-alvo, composto por 11 milhões de crianças desta faixa etária.

Diante da dificuldade, o ministério orienta que estados e municípios que não alcançaram a meta realizem um novo dia de vacinação.

A organização do novo dia D, porém, dependerá de cada secretaria de saúde. O ministério orienta aos pais que busquem informações junto à rede de saúde sobre quais postos devem ficar abertos ao longo do dia.

Segundo o ministro da Saúde, Gilberto Occhi, a nível nacional não há previsão de prorrogar a campanha, já que as vacinas estão disponíveis no calendário da rede de saúde.

A decisão sobre uma possível prorrogação, assim, dependerá de cada estado.

Até terça-feira (28), apenas um deles já havia atingido a meta: caso do Amapá, com 99,8% das crianças dessa faixa etária vacinadas contra a pólio e 99,4% contra o sarampo.

Outros estados, no entanto, ainda apresentam baixas coberturas. É o caso do Rio de Janeiro, com pouco mais de 51% das crianças já vacinadas, e do Distrito Federal.

Entre as capitais, os menores índices estão em Boa Vista e Salvador, ambas com cerca de 38% das crianças não vacinadas.

Avanço do Sarampo

Neste ano, a campanha de vacinação é “indiscriminada”, o que significa que mesmo crianças que estão com a carteirinha de vacinação em dia devem receber novas doses de reforço contra as duas doenças.
O objetivo é uniformizar a cobertura de vacinação em todo o país e evitar o avanço do sarampo.

Dados do último levantamento feito pelo ministério aponta que, desde fevereiro até 28 de agosto, já foram confirmados 1.553 casos da doença, com sete mortes. Outros 6.975 casos permanecem em investigação.

Dois estados registram surtos de sarampo: Amazonas, onde já foram confirmados 1.211 casos, e Roraima, com 300.

Também houve casos confirmados no Rio de Janeiro (18), Rio Grande do Sul (16), São Paulo (2), Rondônia (2), Pernambuco (2) e Pará (2). A pasta diz que a vacinação está sendo reforçada nesses locais para bloquear o avanço da doença.

Segundo o Ministério da Saúde, exames apontam que o genótipo do vírus que circula no país é o mesmo que circula na Venezuela -o que indica que o atual surto de sarampo é de origem importada.

Já em relação à poliomielite, dados da pasta não indicam registro de novos casos.

A recente queda nos índices de vacinação, porém, acendeu o alerta sobre o risco de um possível retorno da doença caso ocorra uma reintrodução do vírus e contato com não vacinados, uma situação que não ocorre desde 1990.

Em 2015, a taxa de vacinação de crianças contra a paralisia infantil era de 98,2%. Já em 2017, esse índice caiu para 77%.

Esquema de Vacinação

Realizada de forma indiscriminada a cada quatro anos, a campanha de vacinação visa elevar a cobertura e reforçar a proteção.

Durante a mobilização, a aplicação das doses tem esquemas diferentes dependendo da situação vacinal de cada criança. Crianças que nunca tomaram nenhuma dose de vacina contra a pólio, por exemplo, devem receber uma dose da VIP (vacina injetável).

Já aquelas que já tiverem tomado uma ou mais doses recebem a VOP (vacina oral), conhecida como gotinha. A ideia é reforçar a imunização contra a doença.

Contra o sarampo, a campanha prevê que todas as crianças recebam uma dose da vacina tríplice viral. A exceção são aquelas que já foram vacinadas nos últimos 30 dias.

Segundo as secretarias de saúde, a vacina é contraindicada apenas para crianças imunodeprimidas, como aquelas submetidas a tratamento de leucemia e pacientes de câncer.

Já crianças alérgicas à proteína lactoalbumina, presente no leite de vaca, devem informar o quadro às equipes de saúde. Neste caso, elas recebem outra vacina contra sarampo, produzida pelo instituto BioManguinhos.

Com informações: O Estado/Ce  Folhapress

 

Nove municípios do Ceará não registraram homicídios contra adolescentes nos últimos 17 anos

Nove municípios no Ceará não registraram homicídios contra adolescentes de 10 a 19 anos nos últimos 17 anos. Em um Estado com 184 municípios, as cidades se tornam exceção e chamam atenção para o cuidado com crianças e adolescentes. Os dados são do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), do Ministério da Saúde, repassados pela Secretaria de Saúde do Estado do Ceará (SESA).

As cidades são: Palhano (Vale do Jaguaribe), Guaramiranga (Maciço do Baturité), Potiretama (Vale do Jaguaribe), Pires Ferreira (Região Norte), Moraújo (Região Norte), Senador Sá (Sertão de Sobral), Chaval (Litoral Norte), Umari (Centro Sul) e Granjeiro (Cariri).

Em comum, os 9 municípios possuem uma população abaixo de 10 mil habitantes de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em contrapartida, as 175 cidades restantes somam 9.511 assassinatos contra adolescentes no mesmo período. No ano passado, o Ceará bateu recorde de assassinatos em toda história do Estado, com mais de 5 mil homicídios.

Análise

Para o coordenador do Fundo das Nações Unidas (Unicef), Rui Aguiar, a falta de registro deve-se ao baixo número populacional. Ao comparar os registros de homicídios com os dados do SIM e do IBGE, Rui pontua que, na medida em que cresce a população, aumenta o risco de adolescentes serem vítimas de assassinatos no Ceará.

O coordenador da Unicef ressalta levantamento que mostra o crescimento da violência paralelo ao das cidades. Em 61 municípios do Ceará com uma população média de 13 mil habitantes, foram registradas de 1 a 5 mortes nos últimos 17 anos.

Nas 59 cidades com cerca de 25 mil habitantes, houve 6 assassinatos no mesmo período. Nos 42 municípios com população média de 33 mil habitantes, o número chega a uma morte por ano, totalizando 17 mortes. Já em 12 municípios, cuja a média populacional é de 106 mil habitantes, foram contabilizados mais de 80 assassinatos. O maior registro foi na cidade de Caucaia, com 549 mortes.

“Na medida em que cresce a população, cresce o risco de homicídio contra adolescente”

O coordenador aponta que as maiores cidades do Ceará não têm infraestrutura adequada, o que resulta em problemas sociais que ainda não estão presentes nas cidades menores.

“Nas grandes cidades no interior do Ceará, há periferias com suas desigualdades sociais, falta saneamento básico, esporte e cultura. Esse cenário já não é presente nas cidades pequenas”, ressalta o especialista.

Avanço do crime

O promotor da Comarca de Pacoti (município a 40 quilômetros de Fortaleza) desde 2013, João Pereira Filho, que também atende Guaramiranga, cidade vizinha, destaca que a população da cidade conta com serviços básicos, como educação, saúde e segurança, o que favorece o baixo índice de mortalidade.

“A gente tem uma rede de proteção social, tem um conselho tutelar, um núcleo escolar com uma população pequena, tem um fórum, um juiz e um promotor. Há também agentes de saúde e unidade policial”, aponta.

Entretanto, ele acredita que esse cenário pode mudar. Segundo ele, se não houver medidas preventivas para conter o avanço do crime organizado, casos de homicídios contra adolescentes podem ser registrados nos próximos anos.

Nas cidades vizinhas, como Pacoti e Mulungu, a presença do tráfico de drogas já está presente. “É uma realidade que está se modificando negativamente. A desigualdade social na serra é gritante”, pontua.

Apesar de não ter registado homicídios, Guaramiranga possui casos de furtos e roubos nos últimos 10 anos. “É uma preocupação e precisa melhorar a prevenção nesse tipo de delito, porque é a entrada para outros crimes”, afirma João Pereira.

Como alternativa, o promotor sugere melhorias nas políticas públicas para minimizar a desigualdade social e, principalmente, nos métodos educacionais para manter o interesse dos jovens dentro das instituições de ensino.

“A escola tem que começar a perceber que os métodos tradicionais não mantêm o aluno na escola. A rua parece ser muito mais interessante. Esse é o desafio para as escolas: atualizar a sua linguagem educacional. Também deve ter atividades culturais destinadas para crianças de 5 a 8 anos”, sugere Pereira.

Com informações: Tribuna do Ceará