Número de mortes violentas no Ceará cai pelo oitavo mês consecutivo

O total de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) apresentou redução de 30,6% em novembro no Ceará, configurando o oitavo mês consecutivo de queda de mortes violentas no Estado. No mês, foram 326 casos. No mesmo período do ano passado, foram 470. O acumulado do ano, de janeiro a novembro, também é considerado positivo, com redução de 10,5%. Esta é a maior redução do

Com esta atualização, novembro se torna o mês que mais reduziu homicídios em 2018. A redução foi puxada pela Capital, com 42,6%. Fortaleza também foi o local de maior queda no acumulado dos 11 meses, com 1.799 mortes em novembro de 2017 ante 1.387 neste ano.  Apenas o Interior Norte do Estado não reduziu CVLIs, aumentando em 3,8% os homicídios no penúltimo mês do ano e em 13,8% no acumulado.

O Estado tem registrado quedas seguidas de homicídios desde abril. No último levantamento, sobre outubro, a redução foi de 29,8%, até então a mais significativa.

O norte do Ceará também teve índices negativos de Crimes Violentos Contra o Patrimônio tipo 2 (CVP-02), que engloba roubos a banco, a residência,  de carga, de veículo e roubo com restrição de liberdade. De 97 crimes desta natureza no ano passado o número passou para 143, um aumento de 47,4%. No geral, as ocorrências de CVP-02 caíram em 18,9% em novembro e 15,6% no acumulado.

As informações foram divulgadas pelo secretário da segurança André Costa em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira, 6 na sede da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) e incluem estatísticas de homicídios, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios.

Latrocínio 

Casos de roubo seguido de morte, latrocínio, um dos componentes dos CVLIs, diminuíram em 50%. Neste mês foram 42 casos enquanto o mesmo período do ano passado teve 84 ocorrências.

 

Com informações: O Povo

Governadores do Nordeste discutem segurança pública e novos investimentos em Brasília

O governador Camilo Santana participou nesta terça-feira (4), em Brasília, da reunião do Fórum dos Governadores do Nordeste. Estiveram na pauta o bônus de assinatura das novas reservas de exploração do pré-sal, a securitização da dívida dos estados para o aumento da capacidade de investimento, a garantia federal de ações em Segurança Pública, dentre outros assuntos que serão tratados com a equipe do presidente da República eleito, Jair Bolsonaro. Para o encontro, também foram convidados os governadores da região Norte.

Além do chefe do Executivo no Ceará, estiveram presentes o governador do Pernambuco, Paulo Câmara, o governador do Piauí, Wellington Dias, o governador eleito da Paraíba, João Azevedo, o vice-governador do Maranhão, Carlos Brandão, a governadora eleita do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, o governador do Alagoas, Renan Filho, o governador da Bahia, Rui Costa, e o governador do Amapá, Waldez Goes.

Camilo Santana destacou a importância de juntar as pautas dos estados do Nordeste e do Norte, no intuito de evoluir na aprovação de mais benefícios para a população das regiões. “Nós compreendemos que são duas regiões com muitos temas em comum. O nosso fórum tem se reunido todos os anos para discutir temas importantes. Consideramos que unificar as pautas é importante, exatamente para que a gente possa pensar nos mandatos dos próximos quatro anos. Todos nós queremos contribuir com o melhor para o país”, afirmou.

Demandas

A primeira pauta discutida entre os governadores foi o bônus de assinatura das novas reservas do pré-sal, que atualmente está no Senado Federal. “Compreendemos ser importante distribuir esse bônus com os estados e municípios, dentro do princípio federativo da divisão. Teremos audiência com o presidente do Congresso Nacional, senador Eunício Oliveira, para tratar desse tema. É uma negociação entre o Congresso, o atual governo e o novo governo”, explicou Camilo.

Além disso, os governadores se empenharam em buscar a garantia de resolução para o projeto de securitização das dívidas dos estados do Brasil, reivindicação antiga dos estados, além de organizar as questões que serão tratadas em reunião no próximo dia 12 junto ao futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro. “Queremos apresentar uma proposta do Nordeste brasileiro para melhorias em Segurança Pública”, revelou o governador cearense.

Pedido por prioridades

No último dia 21, Camilo já havia participado de uma reunião em Brasília com os governadores do Nordeste, para listar reivindicações dos estados e municípios por investimento e auxílio da União em áreas prioritárias. O encontro resultou em carta destinada ao presidente da República eleito, assinada por todas as autoridades nordestinas. O documento solicitou ainda uma audiência para tratar de temas relacionados à liberação de investimentos federais, além de ações em Segurança Pública, Saúde e Educação.

 

Com informações: ASCOM do Governo do Estado do Ceará

Após sua confirmação no governo, Moro estará nesta quarta em Brasília

Pela primeira vez em Brasília, depois de confirmado que participará do governo Jair Bolsonaro, o juiz federal Sergio Moro desembarca, nesta quarta-feira (7/11), na capital para reuniões. Moro vai se encontrar com o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, para formalmente receber informações sobre a pasta.
O Ministério da Justiça incorporará Segurança Pública, a Controladoria-Geral da União e o Conselho de Controle de Atividades Financeiras, hoje sob tutela da Fazenda. Nessa terça-feira (6/11), durante entrevista coletiva, Moro disse que quer ouvir os “colegas mais experientes” para iniciar os trabalhos.
Bolsonaro afirmou que a pasta será reforçada para ter condições de atuar nas frentes que considera fundamentais: o combate ao crime organizado e à corrupção. Moro vai tirar um período de férias, antes da exoneração para, em seguida, dedicar-se à transição.
Determinações
Moro defendeu mais rigor para a progressão e prescrição de crimes. Também se mostrou favorável à redução da maioridade penal para 16 anos em casos específicos de crimes contra a vida. Segundo ele, jovens com essa idade têm consciência de seus atos.
O juiz federal negou qualquer possibilidade do futuro governo de “discriminação contra minorias.” “Todos têm direito à segurança pública. Crimes de ódio são intoleráveis.”  Segundo ele, se necessário, acionará a Polícia Federal (PF) para combater esse tipo de crime.
“Não existe nada de política persecutória contra homossexuais e outras minorias. Não existe nada disso na mesa ou sendo gestado; nenhuma intenção de política discriminatória. As minorias vão poder exercer seus direitos livremente. Não vejo nada além de receios infundados”, destacou.
Com informações: Correio Braziliense

Camilo assume compromisso de fazer da Polícia Civil a melhor do Brasil

O bairro Serviluz, em Fortaleza, recebeu a visita do governador Camilo Santana nesta quinta-feira  (27). Ao lado de centenas de militantes, populares e candidatos à Assembleia Legislativa e Câmara Federal, Camilo caminhou por ruas, ocasião em que recebeu apoio e ouviu anseios da população.
Enquanto caminhava, o governador assumiu o compromisso de fazer da Polícia Civil cearense a melhor do Brasil. “Para isso, nós fizemos concurso público aumentando o efetivo em 42% nesses três anos, lancei novo edital com quase 1500 vagas já para esse ano. A primeira coisa que a gente precisa fazer é fortalecer o efetivo da Polícia Civil para garantir o resultado da suas ações”.
Depois, conforme ressaltou Camilo, é a ampliação das delegacias 24 horas.  “Nós praticamente dobramos nesses últimos três anos o número de delegacias 24 horas no Ceará. Porque é fundamental que a delegacia esteja aberta de manhã, de tarde, a noite, no final de semana e feriado. Essa era uma reclamação da comunidade e da própria polícia que precisava se deslocar de madrugada para outra cidade onde tivesse uma delegacia aberta, de plantão”.
Integração
Outro compromisso do governador está na integração das polícias. “Estamos trabalhando as chamadas Unidades Integradas de Segurança (Unisegs), e, com o Laboratório Integrado de Segurança Pública, com o Centro Integrado de Inteligência do Nordeste aqui no Ceará, isso vai possibilitar que a Polícia Civil possa cumprir o seu papel muito mais efetivo. A polícia do Ceará tem dado resposta importante nos últimos anos, mas é importante fortalecer. O meu plano é fazer da Polícia Civil do Ceará a melhor Polícia Civil do Brasil e essa é a minha determinação”.

Caucaia: Pichações em muros ameaçam população do município

Os muros de algumas residências no Bairro Padre Maria Júlia, em Caucaia, no Ceará, foram pichados com mensagens em tom de ameaça. Segundo os moradores da região, o local é ameaçado pela violência entre grupos criminosos.

Além das mensagens de intimidação, o portão de uma das casas foi alvejado por disparos de armas de fogo.

Morador do local, que optou por não ser identificado, revelou que os vizinhos estão abandonados as residências.

Crime

Nessa mesma rua foi registrado um homicídio no início da tarde desta terça-feira (25). Francisco Madson Almeida Dias, de 22 anos, foi assassinado à tiros em frente a um estabelecimento comercial. Não há informações se as pichações têm relação com o crime.

As equipes da Divisão de Homicídios e Proteção a Pessoa (DHPP) e da Perícia Forense (Pefoce) estiveram no local para dar prosseguimento às investigações.

Com informações: G1 Ceará

No Norte e Nordeste, os dez estados mais violentos do Brasil

A engrenagem que vem fazendo o Brasil bater recordes sucessivos de mortes intencionais violentas desde 2014 continuou girando em alta velocidade no primeiro semestre deste ano. Mais uma vez, a situação é mais grave nos estados das regiões Norte e Nordeste, que ocuparam as dez primeiras posições do ranking nacional de homicídios.

A situação mais dramática é a de Roraima, estado com a maior taxa de mortes violentas do Brasil no primeiro semestre de 2018. Caso o ritmo seja mantido, Roraima pode dobrar o total de assassinatos em relação ao ano anterior. Em janeiro de 2017, o estado foi palco de uma rebelião no sistema penitenciário promovida pela disputa entre facções que causou 33 mortes.

Além disso, a crise humanitária vivida na Venezuela acabou criando uma instabilidade política na região, fragilizando as instituições políticas locais e ampliando a sensação de vulnerabilidade de uma população já amedrontada. Nesses cenários, se multiplica a oportunidade de ação para indivíduos e grupos que tentam se impor pela violência. O crescimento das taxas de homicídio é o principal sintoma da fragilização da legitimidade das instituições democráticas na região.

Os estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Acre, respectivamente na segunda, terceira e quarta posição do ranking nacional de homicídios, também enfrentam situações dramáticas, decorrentes de rivalidades entre facções originadas nas prisões, mas que se espraiaram para os bairros pobres.

A crise da violência no Rio Grande do Norte se acentuou no ano passado, quando o estado registrou a maior taxa de homicídios do Brasil. A rebelião em Alcaçuz, em janeiro de 2017, com 26 mortos, ajudou a acirrar a rivalidade entre grupos criminais do estado, que cresceu ainda mais diante da fragilidade fiscal e política do governo local, que enfrentou greve de polícias ao longo do ano.

No Ceará e no Acre a situação degringolou diante da truculência na disputa entre grupos regionais, respectivamente Guardiões do Estado e Bonde dos 13. Aliados do Primeiro Comando da Capital, ambos passaram a travar conflitos territoriais com os rivais locais que levantaram a bandeira do Comando Vermelho. Chacinas, mortes de policiais, vídeos de assassinatos e torturas passaram fazer parte da cena criminal desses estados.

Integram ainda a parte superior do ranking no primeiro semestre deste ano os estados de Sergipe (5°), Pará (6°), Pernambuco (7°), Alagoas (8°), Amapá (9°) e Bahia (10°). Todos esses lugares correm o risco de encerrar 2018 com taxas acima de 50 por 100 mil habitantes caso as autoridades não consigam implementar políticas capazes de reverter a situação em curto prazo e reduzir o ritmo de violência.

Apesar do sinal amarelo seguir aceso, alguns estados vêm conseguindo resultados consistentes na redução das taxas de homicídios. Paraíba e Maranhão, no Nordeste, Rondônia, no Norte, e Espírito Santo e Brasília são cinco exemplos. Ainda faltam investigações e estudos mais detalhados para compreender como esses estados estão alcançando esses resultados – o que deve ser uma missão a ser enfrentada por este Monitor da Violência.

Em comum, no entanto, as autoridades afirmam ter melhorado a governança por meio de estratégias traçada a partir de análise criminal, que concentrou o foco das polícias nos locais mais violentos do estado – tendo atenção especial à investigação dos homicidas. Esses casos parcialmente bem-sucedidos mostram que a redução das taxas não é uma utopia e pode ser alcançada em prazo curto, desde que enfrentada com políticas públicas adequadas.

Com informações: Bruno Paes Manso / G1

Ceará: Saúde preocupa mais que Segurança

O problema que mais aflige a mulheres e homens cearenses, de todas as idades e escolaridades, na Capital e no Interior, segundo pesquisa feita pelo Ibope, desta semana, é o da Saúde. 73% dos entrevistados apontaram-na como um dos “maiores problemas”, bem mais preocupante que o da Segurança, apontada por 54% dos abordados pelos pesquisadores.

No Governo passado, de Cid Gomes (PDT), a promessa era de fazer da Saúde o melhor serviço público do Estado, com a construção de hospitais regionais, policlínicas e outros equipamentos. Parte das obras planejadas realmente foi concluída.

O atendimento, porém, deixa muito a desejar. O governador Camilo Santana (PT) não admite a dificuldade na extensão apontada, embora reconheça dificuldades pontuais, como a falta de profissionais especializados em alguns dos equipamentos próprios no Interior, onde, realmente, os serviços foram estendidos, embora não na extensão reclamada, sobretudo nos centros populacionais de menor densidade, obrigando deslocamentos de pacientes carentes a cidades polos, assim como para a própria Capital, onde sempre há filas intermináveis, causando demoras no atendimento.

A tendência é de agravamento. Os recursos estão ficando mais escassos, embora o Estado cumpra a obrigação constitucional de investir, na área, o percentual de 12% do seu Orçamento. Os recursos do Sistema Único de Saúde não são suficientes para o custeio dos serviços reclamados pela população, sempre crescente, por razões várias, principalmente em face dos preços cobrados pelos planos de saúde, obrigando a migração de pacientes para o serviço público.

A rede hospitalar e ambulatorial do Ceará cresceu bem menos, nos últimos anos, em comparação com os anteriores. O grande Hospital da Região Metropolitana de Fortaleza, projetado para o Município de Maracanaú, embora fazendo parte de uma das Parcerias Público-Privadas programadas pelo Estado, não saiu do papel.

Ele deveria servir, também, para desafogar o IJF, que, mesmo com sua ampliação em curso, não será suficiente para atender, na sua especialidade, a traumatologia, pacientes de todo o Estado do Ceará, e até da vizinhança.

Drogas

A Segurança, embora deixe apavorada toda a população, informada constantemente de inúmeros homicídios, latrocínios, roubos, furtos e outros crimes, está em segundo lugar na lista dos problemas mais graves apontados pela população. 54% dos cearenses apontaram-na como a segunda preocupação. A maior parte deles é residente na Capital e Região Metropolitana de Fortaleza. O governador, falando sobre essa questão, ressalta os investimentos e o aumento do contingente policial, vaticinando, inclusive, que ao fim de um segundo mandato, se conquistar, a Segurança como exemplo para o Brasil.

Tomara. Seja ele quem for o próximo governante, terá de estancar essa violência que, já agora, de certa forma está aprisionando a sociedade, e deixando em pânico as famílias. Atrelada à Segurança está o problema das drogas. 31% dos entrevistados, na Capital e no Interior, registraram suas preocupações com a disseminação e os efeitos maléficos por elas produzidos. Todas as políticas públicas, quer sejam de repressão ou esclarecimentos dos prejuízos que elas causam, estão sendo insuficientes.

A Educação pública foi citada como problema para um universo de 40% dos cearenses que os pesquisados representavam. Reconheça-se o crescimento que o Estado do Ceará teve, nos últimos anos, na qualidade do ensino básico, ao ponto de ter 77 das suas escolas dentre as 100 melhores do País. Mas a escola pública ainda deixa muito a desejar. Como a Saúde, a escola pública recebeu muitos novos alunos egressos dos colégios privados em razão da queda nas condições econômicas de inúmeras famílias brasileiras em razão das dificuldades econômicas, geradoras de desempregos e de defasagens salariais. É um contingente de pessoas bem mais exigente com a qualidade de ensino.

Com informações: Edison Silva

Nova onda de ataques a equipamentos públicos atinge Grande Fortaleza

Em pouco mais de 72 horas, 24 ataques contra ônibus, prédios públicos e instituições financeiras foram registrados na Grande Fortaleza. As ações, segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), foram em represália à morte de três suspeitos de envolvimento em assaltos a ônibus e carros-forte na quinta-feira, 26, em Amontada, a 168 Km de Fortaleza.
Motivação
Francisco Adriano Martins da Silva, 33, conhecido como Macumbeiro, Francinei Nobre da Silva, 46, o Gangão, e José Sílvio dos Santos Vieira , 39, mortos na quinta-feira, 26, estavam foragidos e com mandados de prisão em aberto. “Os envolvidos na ocorrência (em Amontada) eram pessoas com largos antecedentes criminais, uma história longa no crime, tinham uma certa posição de chefia ligada a um grupo criminoso aqui no Ceará”, explicou o secretário André Costa.
Modus operandi
As retaliações ocorrem principalmente durante a noite. Grupos de jovens param os coletivos, ordenam que os passageiros abandonem o veículo enquanto despejam combustível e iniciam o incêndio. Nos atentados aos prédios, os criminosos disparam contra a fachada dos locais e fogem logo em seguida. Até a noite de domingo, 29, a SSPDS contabilizada 22 casos. Nesta segunda-feira, 30, mais dois registros: uma granada foi deixada na porta do 28º Distrito Policial, em Maracanaú. Durante a madrugada, um coquetel molotov foi jogado contra o Batalhão Policial Militar Ambiental (BMPA), localizada na avenida Raul Babrbosa, atingindo um veículo da unidade.
Ataques
Na sexta-feira, 27, além de nove coletivos atacados, houve disparos de armas de fogo contra a agência dos Correios, no bairro Jacarecanga, prédio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), no São Gerardo, na sede da Secretaria Municipal de Segurança Cidadã, no Vila União. Também houve ataques contra a Regional IV, na Serrinha, e uma agência bancária, no Carlito Pamplona.
Sábado
Já no sábado, 28, três veículos foram incendiados nos bairros Passaré, Carlito Pamplona e Cristo Redentor. Uma agência do banco Itaú, na av. Washington Soares, a Delegacia de Chorozinho e a sede da Pefoce também sofreram ataques.
Domingo
No domingo, 29, um ônibus foi incendiado e alvejado no KM 23, na localidade de Boqueirão, em Caucaia. No bairro Bonsucesso, em Fortaleza, a SSPDS confirmou outra ação contra um coletivo, totalizando 14 ônibus depredados pelos bandidos.
Prisões
Até agora, dez suspeitos foram presos. Gean Patrick Aguiar Lima, 19, foi capturado na tarde de sábado com um galão de gasolina, no Bairro Vila Ellery. Oderison dos Anjos Oliveira, 19, foi preso ao infringir o perímetro permitido pelo uso de tornozeleira eletrônica, na Sapiranga. Pedro Henrique Mesquita de Sousa, 27, foi apreendido no Cristo Redentor,com uma arma de fogo calibre 12 de fabricação artesanal. Os outros sete suspeitos ouvidos não foram presos por falta de “elementos para flagrante” mas continuam sob investigação.
Com informações: O Povo

Secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, André Costa visitará Itapajé hoje

O secretário de Segurança Pública e Defesa Social do Ceará, André Costa visitará Itapajé nesta quinta-feira (12). A informação é da Assessoria de Comunicação do Prefeito Dimas Cruz que receberá o representante do governo em seu gabinete na prefeitura, a partir das 14 horas, para tratar sobre a segurança pública daquela cidade. Certamente na pauta estará a instalação do pelotão do BP Raio no município.

Além dessa reunião, o secretário deverá ter encontros com a nova Delegada do Município e com o comando da Polícia Militar da cidade.

Com informações: Blog do Maikon Rios

Quatro cidades do Ceará estão entre as mais violentas

Quatro cidades do estado do Ceará, estão entre as 123 cidades com maior taxa de homicídios do Brasil. Os municípios são: Fortaleza, Caucaia, Maracanaú e Juazeiro do Norte.

Os dados foram divulgados nesta sexta-feira (15), pelo Instituto de Estudos e Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) e fazem parte do Atlas da Violência.

O município de Maracanaú é o que registrou o maior número de homicídios por grupo de 100 mil habitantes, foram registrados 95 homicídios. Logo em seguida, vem a cidade de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, com 61,1 homicídios. Em terceiro lugar aparece a capital cearense, com 55 homicídios e o quarto município cearense dessa relação é Juazeiro do Norte, na Região do Cariri, com 52,2 homicídios, por 100 mil habitantes.

A cidade de Maracanaú aparece na 10º posição entre os municípios brasileiros com os maiores índices de homicídios.

Entre as cidades com mais de 100 mil habitantes, o município de Itapioca na Região Norte, tem uma das menores taxas de homicídio e aparece na 61ª colocação, com 15,8 mortes por grupo de 100 mil habitantes.

Com informações: CNews