Wagner crê que escolhido do PDT não será nenhum dos cinco e “torce” para ser Ciro

O pré-candidato a prefeito de Fortaleza Capitão Wagner (Pros) afirmou que o nome do PDT na disputa à sucessão de Roberto Cláudio não será nenhum dos cinco que foram anunciados pelos dirigentes do partido em live na semana passada: Samuel Dias, José Sarto, Idilvan Alencar, Ferruccio Feitosa e Salmito Filho. “Sempre fazem assim”, justificou, resumido.

E emendou: “Pelo que eu sei, o Cid permanece com o título em Sobral, mas o chefe da gangue aí ainda está com o título em Fortaleza, que é o Ciro. Então, estou torcendo para que seja ele aí, para animar o debate”, provocou.

Na última vez em que Ciro se dirigiu a Wagner, no contexto do motim de parte das forças de segurança no Ceará no início deste ano, o pedetista o classificou como “miliciano”.

Em janeiro, durante série de entrevistas com os pré-candidatos até então anunciados, Wagner afirmou não querer “debater com um poste”. Questionado se atribui essa condição aos cinco pedetistas, ele ponderou no tom. “Não quero ofender os cinco que estão na relação, não, até porque não foi definido quem é.”

Wagner segue costurando aliados para disputa de modo a fazer frente aos grandes arranjos políticos comuns ao ferreiragomismo. O mais recente deles é o Partido Trabalhista Cristão (PTC), que vai se somar ao arco de aliança dele. A oficialização da adesão ocorre no próximo sábado, 25, disse o ex-deputado estadual Tomaz Holanda.

Assim, Wagner entra na disputa com nove partidos, contando com o dele, chegando ao cálculo projetado desde o início do ano. São eles: Pros, Podemos, PL, Republicanos, Avante, PSC, PTC, PMN e PMB. O deputado afirmou haver margem para crescimento. Embora não tenha citado abertamente, disse que conversa com três agremiações.

O Povo apurou com fonte que no radar dele estão o PSDB, que tem a pré-candidatura de Carlos Matos, o PSL, com o deputado federal Heitor Freire também pré-postulante, e o DEM do vice-prefeito Moroni Torgan, que ensaia deixar a base do prefeito Roberto Cláudio (PDT) para a disputa em 2020, sem que isso signifique que irá apoiar o policial reservista. PSDB e DEM têm conversas nessa perspectiva.

Procurado, Matos deixou em aberto. Afirmou que a candidatura própria se mantém até então, mas que dialoga com vários pré-candidatos além de Wagner, sem citar quais. Um dirigente do DEM deixou o cenário em aberto e Freire não mostrou intenção de declinar dos planos.

O prefeito de Fortaleza foi procurado via assessoria de comunicação para responder às afirmações do opositor. Não houve retorno até o fechamento desta página.

 

Com informações: O Povo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *